Alisu: A Algoteca da Universidade de Lisboa

Emiliania huxleyi
Ana Amorim

A Algoteca é uma infraestrutura científica que alberga uma coleção de microalgas em cultura: espécies de fitoplâncton marinho, algumas espécies de água doce e estuarinas que colonizam as zonas entre marés (microfitobentos).

O acrónimo Alisu – coleção de Algas da Universidade de Lisboa (UL) - reflete a sua ligação à coleção botânica da Universidade, internacionalmente referenciada como LISU, onde se inclui o herbário e banco de sementes, sediados no Museu Nacional de História Natural e da Ciência. Pela sua especificidade e requisitos de manutenção, esta coleção foi iniciada e mantida na Faculdade de Ciências da UL pelo grupo de botânica marinha do Centro de Oceanografia (CO) e localiza-se atualmente no C2, piso cinco.

Iniciada há 16 anos, a Algoteca é uma coleção única, por incluir maioritariamente espécies de algas marinhas e estuarinas da costa portuguesa, sendo por isso um verdadeiro repositório de património genético nacional.

“As espécies foram todas recolhidas por nós, representa a diversidade presente nas nossas costas e é fruto do esforço de uma equipa dedicada”, explica a responsável pela Algoteca, Ana Amorim, professora auxiliar do Departamento de Biologia Vegetal e investigadora do CO-FCUL.
Algoteca UL
Fonte: Ana Amorim
Legenda: Cultura de algas em crescimento

A coleção centra-se em espécies que podem afetar negativamente o ecossistema marinho, a exploração de recursos e o próprio Homem (HABs, sigla internacionalmente usada para referir harmful algae), ou de particular relevância ecológica. Uma das espécies, o coccolitóforo Emiliania huxleyi, responsável por um dos blooms algais mais conhecidos em todo o mundo, “é atualmente um dos modelos mais usados para melhor se compreender o funcionamento e papel regulador do oceano no ciclo do carbono”, afirma a investigadora. A compreensão deste mecanismo regulador só tem sido possível estudando a espécie em cultura.

Muitas espécies são mantidas em cultura pelo seu interesse didático e científico. Outras, encontram-se ainda em fase de estudo. A coleção estará inscrita no nó português do Global Biodiversity Information Facility (GBIF) onde se encontra registada a biodiversidade nacional.

Sem financiamento próprio, dependente de projetos de investigação nacionais e europeus, esta infraestrutura científica é um reduto de valor para a UL. Permite e potencia o desenvolvimento de parcerias transversais intra e inter universidades, nacionais e estrangeiras, disponibiliza material didático de qualidade e oferece condições para manutenção de estirpes pertencentes a outras instituições.

Maria Amélia Martins-Loução, Departamento de Biologia Vegetal da FCUL

Sessões dias 24 e 25 de junho 2013

"Gás de Xisto"?! Sim? Não? Porquê? Como? Onde?

Cerimónia de escritura do Instituto do Petróleo e do Gás

A transferência de conhecimento e tecnologia para a sociedade faz-se mediante o reforço das relações entre as comunidades científica e empresarial. Para J. M. Pinto Paixão, diretor da FCUL, esta é a oportunidade ideal para constituir parcerias suportadas no conhecimento e no exercício de uma cidadania plena.

Acções de Formação em Geologia na FCUL / 2013

Departamento de Geologia da FCUL

Informações sobre o procedimentos de escolha de ramo na Licenciatura em Geologia, 2013-14, do Departamento de Geologia da FCUL.

Alunos de Estatística Aplicada da FCUL

Atualmente, o uso e a aplicação da estatística têm a sua razão de ser não apenas na legitimação da indução, mas também na possibilidade de incorporar a incerteza nas suas conclusões: outro testemunho da sua proximidade ao real.

 

O Departamento de Informática (DI), da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL), convida as empresas e instituições para o estabelecimento de Parcerias e a submeter propostas de trabalhos na área de Engenharia Informática e da Seguranç

Sessão de esclarecimento dia 31 de maio 2013, 11h, anfiteatro 2.4.16

Colocação por unidade curricular- informação atualizada

 

Conhece as reais causas das expulsões de 1947? Como eram as relações da Faculdade de Ciências com o Instituto Superior Técnico? Uma das últimas edições da FCUL procura responder a estas e a outras questões.

Alexandre Ribeiro, criador do jogo Fangz destacado recentemente na App Store dos EUA, voltou àquela que foi a sua instituição de ensino superior, a FCUL, para partilhar experiências, curiosidades e dificuldades vivenciadas ao longo da conceção do jogo, aproveitando para responder às dúvidas dos interessados.

Conferência por Isabel Sacramento Grilo, Department of Geological Sciences SDSU, San Diego, California. EUA.

No âmbito do Ano Internacional de Estatística, a Sociedade Portuguesa de Estatística (SPE)  e o Centro de Estatística e Aplicações da Universidade de Lisboa (CEAUL)  promovem uma

Visitantes e colaboradores do Dia Aberto em Ciências comentam a iniciativa que em 2013 reuniu cerca de 1400 pessoas, entre alunos do básico e secundário e seus professores.

Inquéritos Pedagógicos. 2.º Semestre de 2012-13

Os Inquéritos Pedagógicos são uma ferramenta fundamental para a avaliação da qualidade do ensino na FCUL

Fangz, jogo criado por aluno da FCUL que conquistou a Apple

Alexandre Ribeiro, antigo aluno do Departamento de Informática da FCUL, é o primeiro português a conseguir destacar uma aplicação nacional na App Store dos EUA. Para além deste destaque, foi eleito jogo da semana no fórum da Touch Arcade, “o site de maior reputação no mundo dos jogos para plataformas móveis”.

Sessões de esclarecimento/apresentação

Secção Autonoma de História e Filosofia das Ciências da FCUL

A Secção Autónoma de História e Filosofia das Ciências - SAHFC

 

DESAFIO SOCIETAIS 1, 2 E 5: HEALTH, BIO-ECONOMY, CLIMATE ACTION

IV Jobshop

“Os alunos e os responsáveis pelos recursos humanos das empresas participantes poderão dialogar e assim trocar informações úteis acerca dos métodos, oportunidades e critérios de recrutamento utilizados”, informa o presidente da AEFCL, Eduardo Matos.

Logotipo Cost

A próxima reunião do Comité COST, área de Chemistry and Molecular Sciences and Technologies realiza-se em  setembro, em Lisboa. Durante esse acontecimento a organização local prevê estudar, juntamente com os atuais e os antigos delegados a ações COST, novas formas de incrementar a participação portuguesa no Horizonte 2020.

“A parceria que temos [com a FCUL] contribuiu em larga escala para o desenvolvimento da Science4you”, comenta Miguel Pina Martins, a propósito do sucesso da empresa que soma novos galardões: o “Business Internationalization Award” e os Prémios Novos, na categoria Empreendedorismo.

Pages