Opinião

+Biodiversidade@CIÊNCIAS

Mobilizar a comunidade para a promoção da sustentabilidade no campus

Campus Ciências

A conservação da biodiversidade é uma prioridade do país e do mundo e deve ser assumida por todos

Imagem cedida pelos autores
 Patricia Tiago e Sergio Chozas
 Patrícia Tiago e Sergio Chozas
Imagens cedidas pelos autores

Brudtland, em 1987, definiu sustentabilidade como a “motivação ética e moral que visa garantir a satisfação das necessidades humanas atuais sem comprometer a satisfação das necessidades futuras”.

Para atingi-la é necessário ter em conta a componente social, a económica e a ambiental.

A componente social está ligada à distribuição equilibrada dos recursos naturais entre as gerações presentes e as futuras e a económica à capacidade de produção, distribuição e utilização equitativa das riquezas produzidas pelo homem.

A componente ambiental é a que está mais diretamente ligada com o presente projeto e associa-se à conservação e proteção do ambiente natural.

A biodiversidade, i.e. a variedade e variabilidade da vida na Terra, é um elemento fundamental desta componente, sendo um pilar que sustenta tanto os ecossistemas como os seus serviços e, consequentemente, o bem-estar humano. A biodiversidade está atualmente sob grande pressão e são muitas as espécies que se extinguem a uma velocidade sem precedentes, ao mesmo tempo que espécies invasoras ocupam cada vez mais novos habitats.

O Painel Intergovernamental sobre Biodiversidade e Serviços dos Ecossistema identificou no seu último relatório uma perda da biodiversidade global sem precedentes tornando a monitorização da biodiversidade uma obrigação crescente de todos os países. Sendo o ser humano responsável pelo desaparecimento de muitas destas espécies, devido à crescente urbanização, à prática intensiva da agricultura, à destruição das florestas, à proliferação de espécies invasoras ou à poluição, torna-se imprescindível monitorizar o estado da biodiversidade a nível global. De facto, a conservação da natureza e da biodiversidade, assumem-se como uma prioridade mundial, tal como se encontra já refletido em diversos documentos estratégicos internacionais.

A conservação da biodiversidade é uma prioridade do país e do mundo e deve ser assumida por todos. São apresentados diversos motivos para a sua proteção, relacionados com razões de várias naturezas: éticas - o ser humano tem o dever moral de proteger outras formas de vida, como espécie dominante no Planeta; estéticas - as pessoas apreciam a natureza e gostam de ver animais e plantas no seu estado selvagem; económicas - a diminuição de espécies pode prejudicar atividades fulcrais na nossa economia quer a nível atual, quer a nível de uma futura utilização; funcionais - a redução da biodiversidade leva a perdas incalculáveis no funcionamento dos ecossistemas, tais como a regulação do clima; a purificação do ar; a proteção dos solos e das bacias hidrográficas contra a erosão; o controlo de pragas, entre tantos outros.

Várias fotograficas
 Patricia Tiago e Sergio Chozas pretendem aplicar o conceito de sustentabilidade nos espaços verdes da Ciências ULisboa e caracterizar e monitorizar a sua biodiversidade ao longo do tempo, envolvendo tanto a comunidade da Faculdade como os cidadãos que vivem e trabalham na área
Imagens cedidas pelos autores

Até 2030, 60% da população mundial viverá em áreas urbanas. Esta urbanização é tanto um desafio quanto uma oportunidade para gerir os serviços dos ecossistemas globalmente. As cidades podem apresentar uma importante riqueza em biodiversidade e manter o funcionamento de ecossistemas urbanos pode melhorar significativamente a saúde e o bem-estar humanos. Os serviços dos ecossistemas urbanos e a biodiversidade podem ajudar a contribuir para a mitigação e adaptação às mudanças climáticas e devem ser integrados com as políticas e planeamento urbano. As cidades oferecem, igualmente, oportunidades únicas para aprender e educar sobre um futuro resiliente e sustentável e têm, em si, um enorme potencial para gerar inovações e ferramentas de governança, podendo assumir um papel de liderança no desenvolvimento sustentável. Dentro do espaço urbano, as denominadas estruturas verdes assumem hoje em dia uma importância fundamental na qualidade de vida das populações, e surgem como uma necessidade para o equilíbrio ecológico sustentável do meio urbano. Estes espaços incluem todas as áreas “plantáveis” da cidade como parques e jardins urbanos, ruas arborizadas, sebes, cemitérios, zonas agrícolas e florestas residuais, entre outras.

É essencial que os cidadãos tenham consciência da importância da biodiversidade urbana e do seu valor. É neste sentido que surgiram os projetos “FCUL+Verde” e “BioComunidade: juntos descobrimos a biodiversidade em Ciências”, agora unidos sob o nome “+Biodiversidade@CIÊNCIAS: Mobilizar a comunidade de CIÊNCIAS para a promoção da sustentabilidade no Campus”.

A equipa deste projeto é muito abrangente, englobando vários departamentos da Faculdade, investigadores, docentes, funcionários e alunos. Esperamos desta forma trazer para o projeto diferentes visões do campus e dos serviços que a biodiversidade nos proporciona. Ao mesmo tempo, serão estabelecidas novas ligações entre a comunidade de Ciências, a comunidade envolvente e o meio ambiente, esperando contribuir, com este projeto para processos mais participativos e democráticos.

Estes projetos surgiram como resposta ao desafio lançado pela Faculdade na forma da primeira edição do Concurso de Ideias para a Sustentabilidade. Este concurso “visa identificar e promover iniciativas de membros de Ciências que possam contribuir para a sustentabilidade, nas suas várias vertentes, no campus e na sua interação com a cidade de Lisboa”. Neste contexto, e com a fusão de ambos projetos, propomos aplicar o conceito de sustentabilidade nos espaços verdes da Ciências ULisboa e caracterizar e monitorizar a sua biodiversidade ao longo do tempo, envolvendo tanto a comunidade de Ciências como os cidadãos que vivem e trabalham na área. Para tal pretendemos recorrer a levantamentos clássicos da biodiversidade (florística e faunística),a sofisticados equipamentos de monitorização e à ciência cidadã. A ciência cidadã é o envolvimento dos cidadãos nos processos científicos, permitindo-lhes adquirir conhecimentos em diferentes áreas e um maior desenvolvimento do sentido de análise e sentido crítico. O envolvimento destes não profissionais na investigação científica e na monitorização ambiental tornou-se também uma nova abordagem científica. Esta componente será dinamizada na plataforma BioDiversity4All – www.biodiversity4all.org, através da qual, todos, comunidade de Ciências e quem viva ou trabalhe perto, poderão contribuir com registos de espécies, aumentando o conhecimento sobre a diversidade do campus, sobre os seus valores naturais e serviços de ecossistema, avaliando as tendências face a um cenário de alterações climáticas. O BioDiversity4All é uma plataforma online e de acesso livre, em que qualquer cidadão pode contribuir com observações de animais, plantas, cogumelos ou qualquer outro ser vivo. A base de dados segue o conceito da Web 2.0 e está acessível a todos os cidadãos, incluindo, por exemplo, cientistas, público escolar ou gestores, que podem fazer download de dados de biodiversidade de acordo com os seus interesses ou para dar resposta a um problema em concreto. A plataforma online tem atualmente mais de 388 781 registos, referentes a mais de 11 900 espécies, tem cerca de 8 000 utilizadores registados, 5 600 validadores e mais de 8 700 seguidores no Facebook. Pretendemos ainda proceder à avaliação de alguns dos serviços de ecossistema fornecidos pela biodiversidade no campus, (e.g. stock de carbono) por forma a definir estratégias de gestão, incluindo revegetação, sementeiras, etc., para melhorar os espaços verdes do campus e os serviços de ecossistema que possam prestar.

 

Patrícia Tiago e Sergio Chozas, vencedores da 1.ª edição do Concurso de Ideias para a Sustentabilidade
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

Foi duplicado o espaço de armazenamento nas áreas de alunos. A nova quota é agora de 1 Gb.

 

Com o intuito de inovar e proporcionar os melhores temas aos alunos da Faculdade de Ciências no que diz respeito às novas tecnologias, a

David Luz e Pedro Machado, investigadores do Centro de Astronomia e Astrofísica da UL, fazem parte de uma equipa de investigadores que ao fim de dois anos conseguiu medir os ventos da atmosfera de Vénus a partir da Terra. Até então, só era possível fazê-lo recorrendo a sondas espaciais.

À semelhança dos anos anteriores o Departamento de Química e Bioquímica vai promover a realização de Ações de Formação para os professores do Ensino Básico e Secundário na modalidade oficina.

Encontram-se abertos concursos para recrutamento postos de trabalho de Professor Auxiliar, nas áreas disciplinares de Meteorologia, de Geofísica, de Engenharia Geográfica e de Oceanografia Física, Astronomia e Astrofísica, constantes do mapa de pessoal docente d

Empresa Outmind trabalha o conceito de marketing sensorial aliado à tecnologia

“Queremos dar a conhecer um novo espaço, uma nova marca, uma nova estratégia para o Tec Labs e também, claramente, incentivar as pessoas a terem uma atitude diferente face ao empreendedorismo”, sublinhou Luís Matos Martins, presidente do Conselho de Administração do Tec Labs.

Imagem alusiva à extração de óleos essenciais

Aquele que é hoje conhecido como o ISEO teve início em setembro de 1969, quando quatro cientistas da área da farmacognosia se reuniram, informalmente, em Leiden, na Holanda, para discutir problemas comuns, relacionados com a análise de óleos essenciais. Docentes/investigadores da FCUL participam, desde 1989, nesse congresso e já o organizaram por duas vezes.

Membros de uma tuna, durante uma atuação

Diário de bordo da nave Esperança. Uma viagem por um dos acontecimentos musicais da comunidade académica com especial tradição…

Pormenor de obra de arte

Invest in our future, invest in science”. A mensagem é clara, concisa e direta. Por um mundo melhor, um grupo de personalidades do Champalimaud Neuroscience Programme lançou recentemente um blogue no qual procuram sensibilizar a comunidade para a importância da ciência nas nossas vidas.

Está aberto concurso, até ao dia 07 de dezembro de 2012, para admissão de voluntários para a prestação de serviço em regime de contrato na Categoria de Oficial Técnico Superior Naval (TSN) e Oficial Técnico Naval (TN).

A sessão de encerramento contou com uma breve troca de ideias acerca dos novos desafios e possibilidades oferecidos pelo software Open Source, em particular, pela cada vez maior procura de formação em Quantum GIS.

Actividade no NanoLab do GeoFCUL

Dinâmica das zonas costeiras: conhecer para gerir

O Microsoft Windows 8 e Microsoft Office 2013 já estão disponiveis para download no seu Perfil de Utilizador (apenas Docentes e Funcionários).

Evolução da Complexidade Celular: Filosofia, Biologia Celular e Simbiose

Palestra no GeoFCUL

 

Paisagens do Mundo. Imagens da Dinâmica da Terra

 

Devido a problemas de software num equipamento (redundante) vai ser necessário realizar uma alteração de firmware num equipamento central de rede.

Não se prevê que uma possivel quebra de serviços, a existir, seja maior do que alguns segundos.

Francisco Eduardo Lapido Loureiro

Faleceu no passado dia 4 deste mês, no Brasil, onde consolidou a sua carreira (Centro de Tecnologia Mineral - CETEM ), que iniciara em Lisboa (FCUL, Junta de Energia Nuclear), França (Universidade de Nancy) e Angola (Universidade e IICT Instituto de Investiga&ccedi

Está aberta uma bolsa de Mérito Social para a área de Suporte ao utilizador para a Unidade de Informática.

A iniciativa pretende reunir especialistas que, através dos seus testemunhos, contribuam para a compreensão da revolução tecnológica pelo qual vão passar as línguas naturais, entre elas o português.

A Unidade de Informática irá fazer a transmissão ao vivo da apresentação do livro "A Língua Portuguesa Na Era Digital" no dia 16 de novembro de 2012 entre as 9h00 e as 13h30 a partir da Fundação Calouste Gulbenki

Páginas