Opinião

+Biodiversidade@CIÊNCIAS

Mobilizar a comunidade para a promoção da sustentabilidade no campus

Campus Ciências

A conservação da biodiversidade é uma prioridade do país e do mundo e deve ser assumida por todos

Imagem cedida pelos autores
 Patricia Tiago e Sergio Chozas
 Patrícia Tiago e Sergio Chozas
Imagens cedidas pelos autores

Brudtland, em 1987, definiu sustentabilidade como a “motivação ética e moral que visa garantir a satisfação das necessidades humanas atuais sem comprometer a satisfação das necessidades futuras”.

Para atingi-la é necessário ter em conta a componente social, a económica e a ambiental.

A componente social está ligada à distribuição equilibrada dos recursos naturais entre as gerações presentes e as futuras e a económica à capacidade de produção, distribuição e utilização equitativa das riquezas produzidas pelo homem.

A componente ambiental é a que está mais diretamente ligada com o presente projeto e associa-se à conservação e proteção do ambiente natural.

A biodiversidade, i.e. a variedade e variabilidade da vida na Terra, é um elemento fundamental desta componente, sendo um pilar que sustenta tanto os ecossistemas como os seus serviços e, consequentemente, o bem-estar humano. A biodiversidade está atualmente sob grande pressão e são muitas as espécies que se extinguem a uma velocidade sem precedentes, ao mesmo tempo que espécies invasoras ocupam cada vez mais novos habitats.

O Painel Intergovernamental sobre Biodiversidade e Serviços dos Ecossistema identificou no seu último relatório uma perda da biodiversidade global sem precedentes tornando a monitorização da biodiversidade uma obrigação crescente de todos os países. Sendo o ser humano responsável pelo desaparecimento de muitas destas espécies, devido à crescente urbanização, à prática intensiva da agricultura, à destruição das florestas, à proliferação de espécies invasoras ou à poluição, torna-se imprescindível monitorizar o estado da biodiversidade a nível global. De facto, a conservação da natureza e da biodiversidade, assumem-se como uma prioridade mundial, tal como se encontra já refletido em diversos documentos estratégicos internacionais.

A conservação da biodiversidade é uma prioridade do país e do mundo e deve ser assumida por todos. São apresentados diversos motivos para a sua proteção, relacionados com razões de várias naturezas: éticas - o ser humano tem o dever moral de proteger outras formas de vida, como espécie dominante no Planeta; estéticas - as pessoas apreciam a natureza e gostam de ver animais e plantas no seu estado selvagem; económicas - a diminuição de espécies pode prejudicar atividades fulcrais na nossa economia quer a nível atual, quer a nível de uma futura utilização; funcionais - a redução da biodiversidade leva a perdas incalculáveis no funcionamento dos ecossistemas, tais como a regulação do clima; a purificação do ar; a proteção dos solos e das bacias hidrográficas contra a erosão; o controlo de pragas, entre tantos outros.

Várias fotograficas
 Patricia Tiago e Sergio Chozas pretendem aplicar o conceito de sustentabilidade nos espaços verdes da Ciências ULisboa e caracterizar e monitorizar a sua biodiversidade ao longo do tempo, envolvendo tanto a comunidade da Faculdade como os cidadãos que vivem e trabalham na área
Imagens cedidas pelos autores

Até 2030, 60% da população mundial viverá em áreas urbanas. Esta urbanização é tanto um desafio quanto uma oportunidade para gerir os serviços dos ecossistemas globalmente. As cidades podem apresentar uma importante riqueza em biodiversidade e manter o funcionamento de ecossistemas urbanos pode melhorar significativamente a saúde e o bem-estar humanos. Os serviços dos ecossistemas urbanos e a biodiversidade podem ajudar a contribuir para a mitigação e adaptação às mudanças climáticas e devem ser integrados com as políticas e planeamento urbano. As cidades oferecem, igualmente, oportunidades únicas para aprender e educar sobre um futuro resiliente e sustentável e têm, em si, um enorme potencial para gerar inovações e ferramentas de governança, podendo assumir um papel de liderança no desenvolvimento sustentável. Dentro do espaço urbano, as denominadas estruturas verdes assumem hoje em dia uma importância fundamental na qualidade de vida das populações, e surgem como uma necessidade para o equilíbrio ecológico sustentável do meio urbano. Estes espaços incluem todas as áreas “plantáveis” da cidade como parques e jardins urbanos, ruas arborizadas, sebes, cemitérios, zonas agrícolas e florestas residuais, entre outras.

É essencial que os cidadãos tenham consciência da importância da biodiversidade urbana e do seu valor. É neste sentido que surgiram os projetos “FCUL+Verde” e “BioComunidade: juntos descobrimos a biodiversidade em Ciências”, agora unidos sob o nome “+Biodiversidade@CIÊNCIAS: Mobilizar a comunidade de CIÊNCIAS para a promoção da sustentabilidade no Campus”.

A equipa deste projeto é muito abrangente, englobando vários departamentos da Faculdade, investigadores, docentes, funcionários e alunos. Esperamos desta forma trazer para o projeto diferentes visões do campus e dos serviços que a biodiversidade nos proporciona. Ao mesmo tempo, serão estabelecidas novas ligações entre a comunidade de Ciências, a comunidade envolvente e o meio ambiente, esperando contribuir, com este projeto para processos mais participativos e democráticos.

Estes projetos surgiram como resposta ao desafio lançado pela Faculdade na forma da primeira edição do Concurso de Ideias para a Sustentabilidade. Este concurso “visa identificar e promover iniciativas de membros de Ciências que possam contribuir para a sustentabilidade, nas suas várias vertentes, no campus e na sua interação com a cidade de Lisboa”. Neste contexto, e com a fusão de ambos projetos, propomos aplicar o conceito de sustentabilidade nos espaços verdes da Ciências ULisboa e caracterizar e monitorizar a sua biodiversidade ao longo do tempo, envolvendo tanto a comunidade de Ciências como os cidadãos que vivem e trabalham na área. Para tal pretendemos recorrer a levantamentos clássicos da biodiversidade (florística e faunística),a sofisticados equipamentos de monitorização e à ciência cidadã. A ciência cidadã é o envolvimento dos cidadãos nos processos científicos, permitindo-lhes adquirir conhecimentos em diferentes áreas e um maior desenvolvimento do sentido de análise e sentido crítico. O envolvimento destes não profissionais na investigação científica e na monitorização ambiental tornou-se também uma nova abordagem científica. Esta componente será dinamizada na plataforma BioDiversity4All – www.biodiversity4all.org, através da qual, todos, comunidade de Ciências e quem viva ou trabalhe perto, poderão contribuir com registos de espécies, aumentando o conhecimento sobre a diversidade do campus, sobre os seus valores naturais e serviços de ecossistema, avaliando as tendências face a um cenário de alterações climáticas. O BioDiversity4All é uma plataforma online e de acesso livre, em que qualquer cidadão pode contribuir com observações de animais, plantas, cogumelos ou qualquer outro ser vivo. A base de dados segue o conceito da Web 2.0 e está acessível a todos os cidadãos, incluindo, por exemplo, cientistas, público escolar ou gestores, que podem fazer download de dados de biodiversidade de acordo com os seus interesses ou para dar resposta a um problema em concreto. A plataforma online tem atualmente mais de 388 781 registos, referentes a mais de 11 900 espécies, tem cerca de 8 000 utilizadores registados, 5 600 validadores e mais de 8 700 seguidores no Facebook. Pretendemos ainda proceder à avaliação de alguns dos serviços de ecossistema fornecidos pela biodiversidade no campus, (e.g. stock de carbono) por forma a definir estratégias de gestão, incluindo revegetação, sementeiras, etc., para melhorar os espaços verdes do campus e os serviços de ecossistema que possam prestar.

 

Patrícia Tiago e Sergio Chozas, vencedores da 1.ª edição do Concurso de Ideias para a Sustentabilidade
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Vela

Aos familiares, amigos e colegas a FCUL apresenta as sinceras condolências.

Adultos e criança em atividade da Ciência Viva no Verão

Até 15 de setembro, a iniciativa Ciência Viva no Verão percorre o País organizando mais de 1700 atividades científicas gratuitas para toda a população. As inscrições permanecem abertas até 15 de setembro, de acordo com o calendário de atividades. Nesta altura, já são mais de 20 mil os inscritos.

Nos dias 9 e 10 de Agosto a plataforma Moodle da FCUL vai estar inacessivel devido a uma manutenção de rotina.

As nossas desculpas pelos possiveis incómodos causados.

Liliana Caldeira junto aos posters

A investigação sempre foi um objetivo, que ganhou força após o prémio para melhor poster ser-lhe atribuído numa importante conferência internacional. Até ao final do ano, Liliana Caldeira, aluna de doutoramento em Engenharia Biomédica e Biofísica da FCUL, deverá defender a tese.

Pontos de interrogação

"Aquando da candidatura, o projeto estava numa fase embrionária e foi o Programa de Estímulo à Investigação da FCG que deu força e motivação para avançar”, diz Jocelyn Lochon, um dos vencedores da edição 2011 do Programa de Estímulo à Investigação.

Aluna entrevistada, sentada numa rocha

“O mais importante é saber gerir o tempo, ter alguma disciplina, definir os objetivos a alcançar e não dispersar”. A declaração pertence a Ana Bastos, jovem investigadora da FCUL e uma das vencedoras em 2011 do Programa de Estímulo à Investigação da Fundação Calouste Gulbenkian (FCG).

Cara do aluno entrevistado

“Acredito que o meu projeto vá ter efeitos na área da Saúde Pública. Ainda que não seja já nesta fase, espero poder contribuir para evoluções, por exemplo, ao nível da vacinação”, refere Tomás Aquino, um dos vencedores da edição de 2011 do Programa de Estímulo à Investigação.

A Bial, procura um Bioestatista para a oportunidade de emprego que pode ser visualisada em maior detalhe na página através do link:

Information dissemination in unknown radio networks with large labels

Professor Shailesh Vaya,
Xerox Research Centre, India,

July 20 at 10h00 on room 6.3.38

Estudantes sentados, junto a uma mesa

O pedido de apoio à formação pós-graduada na área da Geologia do Petróleo deve ser apresentado até 15 dias úteis, após o último dia do prazo de inscrição no respetivo curso.

Já é possível solicitar a criação de Unidades Curriculares na plataforma Moodle para o ano letivo 2012/2013.

Os pedidos podem ser realizados no Portal da FCUL, após inicio de sessão.

O Centro de Informática terminou, no passado dia 12 de Julho, a migração de um equipamento central na rede da FCUL.

A excelência de sempre na construção do futuro. Escolhe um dos nossos cursos de Física, Astronomia e Astrofísica, Engenharia Física, ou Engenharia Biomédica e Biofísica. [ + ]

Alunos da FCUL no pátio do C6

O “6th SPJ-OCS” realiza-se pela primeira vez em Portugal. Os organizadores do evento acreditam que “este congresso contribui para dar uma imagem do potencial científico de Portugal” nesta área.

Chieko Asakawa and Hironobu Takagi

17 Julho 2012 - 10h30
Anfiteatro da Fundação da FCUL

Chieko Asakawa and Hironobu Takagi

17 Julho 2012 - 10h30
Anfiteatro da Fundação da FCUL

Pormenor de obra artística

Os promotores do FP7 acreditam que “centenas de instituições científicas de toda a União Europeia irão apresentar propostas” e esperam captar novos participantes, nomeadamente pequenas e médias empresas, incrementando dessa forma a competitividade europeia.

Carlos Miguel Farinha, bioquímico docente do DQB e investigador do BioFIG , foi premiado em Junho com o Romain Pauwels Research Award, atribuído pela European Respiratory Society.

 

2ª fase de candidaturas:  15 a 22 de Julho.

O mestrado em Matemática para Professores é uma excelente oportunidade para consolidar,  recordar e aprender muitos temas relacionados com a matemática escolar.

No dia 12 de Julho foram feitas as apresentações de quatro trabalhos feitos no âmbito da disciplina de Projecto em Matemática para o Ensino do Mestrado em Matemática para Professores.

A Universidade de Lisboa e a Fundação Amadeu Dias estão a atribuir bolsas aos alunos de 1º Ciclo de qualquer área do saber, leccionado na Universidade de Lisboa e que já tenham concluído o 1.º ano curricular, ou alunos que frequentem&n

Em 18 anos, o Programa de Estímulo à Investigação premiou 34 jovens investigadores e 19 instituições da Universidade de Lisboa. Na última edição, dos oito premiados, três são jovens cientistas da FCUL. As candidaturas à próxima edição decorrem até 21 de setembro.

Cartaz do Seminário

No dia dia 16 de Julho, pelas 11H00, na sala 6.4.30, realizar-se-á um Seminário organizado pelo Centro de Investigação Operacional com o título 'Lagrangian-Based Branch-and-Bound for Two-Echelon Uncapacitated Facility Location with Single Assignment Cons

Os resultados das experiências ATLAS e CMS divulgados recentemente pelo CERN, também foram apresentados publicamente na FCUL, numa sessão organizada pela professora do Departamento de Física Amélia Maio, a responsável pela participação portuguesa na experiência ATLAS.

Páginas