Opinião

Teletrabalho

À procura de um equilíbrio entre a produtividade e a saúde mental #COVID19 #EuFicoEmCasa

Teletrabalho

Trabalhar com foco revela-se essencial neste momento

unsplash - Bench Accounting
Andreia Santos
Andreia Santos
Fonte ACI Ciências ULisboa

Esta nova realidade do teletrabalho exigiu e exige diferentes adaptações. De repente não se ficou apenas em casa a trabalhar, as metodologias de trabalho também tiveram de se alterar.

Como todos já constatámos, dar uma aula, formação ou ter uma reunião por videochamada não funciona exatamente da mesma forma como antes. Implica frequentemente, um esforço redobrado para repensar e modificar os conteúdos e materiais, ou seja, o tempo e esforço para cada tarefa podem ter de ser maiores nesta fase.

A acrescentar a estes desafios, estamos a viver uma situação de stress (uma situação externa e real) que pode despoletar mais ou menos ansiedade em algumas pessoas. E sabemos que o resultado de trabalhar com ansiedade e/ou stress não é o mesmo, pois implica uma sobrecarga da nossa energia e concentração. Finalmente, não é seguro que numa casa com várias pessoas, tenhamos sempre um “local de trabalho” fixo e com as melhores condições.

Isto certamente não é uma novidade, mas é bastante fácil esquecermo-nos que há de facto um somatório de fatores a afetarem a nossa experiência. Por isso, é muito frequente ouvir as pessoas a relatarem que ficam chateadas ou desiludidas com elas próprias por não estarem a conseguir ser tão produtivas como eram ou como gostariam de ser. O resultado pode ser sentir ansiedade e culpa e tentar compensar com mais trabalho, por muitas horas seguidas. Muitas vezes, não se permitindo a momentos de relaxamento ou de descanso, incluindo dormir. Muitas pessoas podem estar a perguntar-se: “mas se tem de ser feito, como é que eu vou descansar ou relaxar?”.

É verdade, as coisas precisam ser feitas, mas, se não fizermos uma boa gestão de nós próprios, estamos potencialmente a acabar com a única fonte que pode produzir - nós. Como na história da galinha dos ovos de ouro, em que o agricultor, tão ávido de ter os ovos de ouro de forma rápida, matou a capacidade produtiva da galinha e esta não produziu mais ovos.

O estar em casa, não afasta o cenário de situações de cansaço extremo ou de burnout, pelo que, ainda mais do que noutras alturas, é da máxima importância estarmos atentos aos sinais. Sinais esses, que indicam que é preciso mudar alguma coisa na forma como se gere o tempo.

Neste sentido, se quero e preciso trabalhar tenho de recarregar energia. Como é que carrego energia? Tendo momentos de descanso e/ou relaxamento e realizando atividades que deem prazer. Mas e o que faço em relação ao trabalho e à falta de concentração que posso sentir? Trabalhar com foco revela-se essencial neste momento.

Algumas dicas

  • Estabelecer períodos de trabalho sem distrações, por exemplo desligar notificações e depois fazer uma pequena pausa e assim sucessivamente. Dar tempos concretos, ajuda! Por exemplo, dar 40 minutos de foco e depois um intervalo de cinco minutos; 
  • Definir períodos específicos para ir ver emails e notificações de telemóvel;
  • Definir horários de trabalho, pelo menos uma hora para começar e para acabar e que trabalhar para além desse horário, seja a exceção e não a regra;
  • Perceber o que é importante, ou melhor ainda, o que é essencial; 
  • Conseguir dizer não! Dizer não, face ao excesso de solicitações profissionais, mas também dizer não face a solicitações “caseiras”. A ideia do multitask é um mito, talvez tentador em alguns momentos, mas normalmente penalizador em termos de energia e foco, logo na produtividade.

A questão que também pode surgir é: “o problema é que defino objetivos e horários, mas tenho sempre uma sensação (interna) de urgência, que tenho de estar sempre a fazer coisas, mesmo quando sinto que já não estou a ser produtivo...”. Para diferentes problemas, diferentes soluções.

Às vezes, a estratégia a adotar pode não ser algo de cariz mais funcional, mas sim algo do foro mais emocional. Por exemplo, por vezes as pessoas entram nos chamados loops do perfecionismo. Não porque a tarefa já não possa estar concluída e bem-feita, mas porque não adotar uma estratégia de esforço contínuo ou até descansar, as deixa a sentir um peso grande, uma culpa. A longo prazo, esta situação tende a gerar níveis de cansaço físico e emocional muito elevados. Aliás, nesta situação é tão fácil haver tão poucos limites entre o tempo dedicado ao trabalho e à parte pessoal. Agora, isso não torna a imposição de limites impossíveis, mas sim, mais desafiantes e necessários. Há um outro exemplo de questões mais emocionais que funcionais. A ausência de estrutura formal pode trazer a sensação de se estar aquém. Sair do local de trabalho facilita a sensação de dever cumprido. Estar em casa, pode alimentar uma sensação de estar em falta e esse estar em falta ser compensado por mais tempo de trabalho ou estar sempre disponível, para responder a mails, telefonemas ou mensagens. Mais uma vez, é um processo gerador de sobrecarga emocional e de desgaste.

Para terminar, deixo uma sugestão de pergunta que, pode ajudar a identificar os momentos em que já não se está a ser produtivo: “Continuo a fazer isto porque preciso mesmo, exemplo um prazo apertado para entregar algo ou não fecho o assunto porque é uma forma de aliviar a minha ansiedade?".

Andreia Santos, Gabinete de Apoio Psicopedagógico da Área de Mobilidade e Apoio ao Aluno de Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Rosto de Vera Carvalho

As inscrições para o programa Erasmus terminam a 10 de fevereiro. Se tens interesse neste programa de mobilidade conhece a história de Vera Carvalho, aluna Erasmus na Dinamarca.

Pormenor de obra de arte

Para os fundadores do AppEEL, este laboratório pode ser considerado o primeiro centro no mundo a reunir investigadores que estudam a evolução sociocultural a partir das teorias que formam parte da Síntese Expandida.

 

O Departamento de Matemática recebeu ontem, dia  4 de Fevereiro, cerca de 70 alunos (9º ano) do  Agrupamento de Escolas D. Miguel de Almeida - Abrantes.

Entre os empregos mais bem pagos contam-se os que estão ligados às engenharias.

Capa

Esta coleção de Livros Brancos foi organizada pela META-NET, uma rede de excelência parcialmente financiada pela Comissão Europeia, que levou a cabo uma análise dos recursos e tecnologias da linguagem atualmente disponíveis. A análise abordou as 23 línguas oficiais europeias assim como outras línguas importantes na Europa a nível nacional e regional. 

O Prémio João Branco é uma iniciativa conjunta da Universidade de Aveiro e da família do designer Jo

Dia 4 Fevereiro 2013 – 14:00h às 19:30h (Sala 2.2.15)

Primeiro plenário do IPBES

Grupo liderado por Henrique Miguel Pereira, investigador do Centro de Biologia Ambiental da FCUL, submete à apreciação da comunidade científica o desenvolvimento de um sistema de monitorização da biodiversidade baseado num conjunto de variáveis essenciais.

Rosto de Maria Antónia Amaral Turkman

“Ao longo dos últimos dois séculos a Estatística foi indispensável em confirmar muitas das maiores descobertas científicas e inovações da humanidade, tais como a partícula bosão de Higgs e a Revolução Verde na agricultura”, declaram Daniel Paulino, presidente da Sociedade Portuguesa de Estatística e Maria Antónia Amaral Turkman, coordenadora do CEAUL.

Dois artigos -- contando com docentes e investigadores do GeoFCUL no seu elenco de autores -- assinalados no “TOP 25 Hottest Papers” de Abril-Junho de 2011 da revista Journal of South American Earth Studies (Sciencedirect / Elsevier).

Henrique Leitão foi eleito membro efetivo da Académie International d'Histoire des Sciences, pela relevância da sua carreira e produção intelectual. Para o historiador das ciências foi uma “honra enorme” receber a distinção, “a maior ambição de qualquer estudioso ou cientista”.

Proposal for a REGULATION OF THE EUROPEAN PARLIAMENT AND OF THE COUNCIL.

Laying down the rules for the participation and dissemination in 'Horizon 2020 – the Framework Programme for Research and Innovation (2014-2020).

EUA represents over 850 universities and university associations across 47 European countries. Its highly diverse membership covers the full spectrum of universities participating in European research programmes.

Vai realizar-se de 18 a 20 de Março de 2013, em honra do Professor Ross Leadbetter, o "Symposium on Recent Advances in Extreme Value Theory ".

Face de Maria Amélia Martins-Loução

O Flora-On sistematiza informação fotográfica, geográfica, morfológica e ecológica de todas as espécies de plantas vasculares autóctones ou naturalizadas listadas para a flora de Portugal. Atualmente, através deste portal acede a 164 famílias, 836 géneros e 2991 espécies.

Cortejo académico na Aula Magna

A cerimónia de abertura do ano letivo de 2012/2013 marca uma nova etapa do ensino superior público.
Exegi monumentum aere perennius - Ergui um monumento mais duradouro que o bronze.
Da nova Universidade de Lisboa vê-se o mundo...

Crianças dos 5 aos 9 anos descobrem as Ciências na FCUL

A FCUL abriu as portas do conhecimento aos alunos do Colégio Infantes de Portugal, de Palmela. Durante uma manhã, os laboratórios de Biologia e de Química e Bioquímica foram explorados por cerca de 20 crianças com idades compreendidas entre os 5 e os 9 anos.

Encontra-se aberto concurso externo para o Banco de Portugal - Departamento de Supervisão Prudencial, com vista ao preenchimento de vagas de Técnico Superior para a área de supervisão

“A inovação é tipo ‘ovo de Colombo’, depois de se saber, parece fácil. Só que ‘saber’ significa um longo caminho de amadurecimento do conhecimento”, declara Maria Filomena Camões, docente do Departamento de Química e Bioquímica da FCUL, a propósito da atribuição da Bolsa Europeia de Excelência de Investigação.

Páginas