Faça Sol ou Faça Vento

Era uma vez… Seis histórias sobre energias renováveis

O livro Faça Sol ou Faça Vento reúne seis histórias infantojuvenis sobre energias renováveis. Todas elas são escritas por autores com ligação à Faculdade de Ciências da ULisboa

ACI Ciências

Era uma daquelas ideias guardadas na gaveta há já algum tempo, há já alguns anos. Um grupo de cientistas questiona-se sobre a existência de um livro para crianças sobre energias renováveis, decide escrevê-las, escreve-as e guarda-as. Até este ano.

O livro Faça Sol ou Faça Vento, escrito por Ana Amaral, antiga aluna de Ciências, assim como Roberto Gambôa; Killian Lobato, Miguel Brito, José Silva e Jorge Maia Alves, professores do Departamento de Engenharia Geográfica, Geofísica e Energia de Ciências e investigadores do Instituto Dom Luiz, foi lançado em novembro de 2017.

No livro destinado a crianças e jovens dos nove aos 13 anos, fala-se sobre energia, recursos naturais, alterações climáticas e em “como encontrar energia no sol, no vento, na água das chuvas e de como a podemos aproveitar no dia-a-dia”.

“Maria vai à casa ecológica”, “A caixa de sol”, “A energia dos quatro elementos”, “A visita ao Dr. Júpiter da mãe terra”, “Os três porquinhos e o inverno” e “A energia mais importante” são as narrativas escolhidas para funcionarem como “um estímulo a tomadas de consciência [sobre os problemas ambientais] por parte dos mais jovens”.

“A importância das temáticas das energias renováveis e da eficiência energética é cada vez mais incontornável. De facto, estamos a viver uma revolução ao nível da utilização da energia, e dos recursos naturais em geral, que levará necessariamente a mudanças significativas no modo como a sociedade em geral valoriza o nível de sustentabilidade do nosso modo de vida. Alertar os mais jovens para esta realidade é uma parte importante do trabalho que tem de ser feito"
Jorge Maia Alves

Para Jorge Maia Alves, autor da história “A caixa de sol”, o mais difícil de escrever este tipo de livros “é conseguir utilizar linguagem acessível e, simultaneamente, não perder o rigor no que é importante”. Quanto ao melhor, afirma: “é ficar com a sensação que se conseguiu fazer isso”.

O livro reúne ilustrações de Carla Coelho, foi editado pela editora Alfarroba e está disponível nas livrarias portuguesas.

Raquel Salgueira Póvoas, Área de Comunicação e Imagem
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Fotografia com pontos de interrogação

Alunos finalistas aconselham Engenharia da Energia e do Ambiente. Testemunhos de Guilherme Gaspar e Ricardo Leandro.

Fotografia de mesa com cinco pessoas sentadas, na Reitoria da UL

A rede pretende formalizar colégios doutorais em áreas transversais. Opinião de Maria Amélia Martins-Loução.

Fotografia de pessoas sentadas num dos anfiteatros da FCUL

A iniciativa acontece a 17 de março e é organizada pelos Departamentos de Física e de Informática.

Fotografia de Dois voluntários, sentados junto a uma banca no átrio do C5

Em fevereiro estão abertas inscrições para a admissão de novos voluntários.

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avançados" com mais quatro instituições universitárias portuguesas e brasileiras.

Fotografia de alunos procuram informações junto a uma banca no átrio do C3

Vale a pena recordar a iniciativa do Gabinete de Mobilidade, Estágios e Inserção Profissional da FCUL.

Fotografia de alunos a andarem, junto ao C8

A primeira edição do curso realiza-se já em 2012.

Outra forma de fazer turismo.

Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25.Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25

O Encontro decorreu em Junho no GeoFCUL.

Páginas