CIÊNCIAS presente no filme ‘O melhor dos mundos’

Estação sísmica ao entrar no oceano.

Carlos Corela.

Sabemos que no futuro um sismo de magnitude significativa voltará a atingir Lisboa. Não sabemos é quando. E se o pudéssemos prever? E se existisse uma probabilidade forte de ser já em 2027? É este o cenário do filme ‘O melhor dos mundos’, realizado por Rita Nunes, em que membros de CIÊNCIAS estiveram envolvidos.

“Lisboa, 2027. Marta e Miguel fazem parte de um grupo de cientistas e são um casal na vida privada. Os dois vêem-se frequentemente em polos opostos no que diz respeito a questões científicas. Este conflito será posto à prova numa noite decisiva em que dados analisados por Marta apontam para uma probabilidade muito alta de um enorme sismo poder atingir Lisboa. Os cientistas ficam indecisos sobre alertar a população para a possível tragédia iminente.” (sinopse aqui)

Da autoria de Rita Nunes e João Cândido Zacharias, o argumento do filme ‘O melhor os mundos’, contou com Luís Matias (CIÊNCIAS e Instituto Dom Luiz) como um dos consultores científicos. Tudo começou em dezembro de 2020, quando recebeu um e-mail de Rita Nunes, que se encontrava a fazer pesquisa para este filme. A partir daí, Luís Matias foi acompanhando o processo de escrita do guião.

“Houve da parte da realizadora uma preocupação constante relativamente à correção científica do argumento. Fomos trocando ideias e, numa parte mais avançada do enredo, foi-me pedida a sua leitura e indicação de sugestões para uma eventual correção”, refere o investigador, que acompanhou um dos dias de filmagens. “Reparei no trabalho extremamente meticuloso da realizadora durante as filmagens. Uma cena muito simples, como passear o cão no jardim da Estrela, foi repetida dezenas de vezes até a realizadora se dar por satisfeita”, acrescenta.

 

 

O filme coloca Marta e Miguel, cientistas protagonistas do filme, num dilema: se os dados indicassem a probabilidade de um sismo iminente, seria melhor alertar a população, ou fazê-lo poderia criar um pânico generalizado injustificado?

“Este é um filme que eu gostaria de apresentar e discutir com os meus alunos pelas muitas temáticas que aborda duma forma o mais correta possível. Para criar um enredo que atraia os espetadores há por vezes necessidade de violar ou tornear o conhecimento científico. O som não se propaga no espaço vazio, mas isso não diminui o sucesso dos filmes da saga da Guerra das Estrelas e das suas batalhas memoráveis. Um filme é mais uma oportunidade para a divulgação da ciência e para a criação nos espetadores de um espírito científico na observação e compreensão do mundo. Esse objetivo só é plenamente conseguido com a discussão que o filme possa suscitar, como é o caso do "Melhor dos Mundos"”, reflete Luís Matias.

Também Carlos Corela (IDL e CIÊNCIAS) participa no filme, como cientista a recuperar estações sísmicas do fundo oceânico num navio de investigação, e passa informação dos sensores para a investigadora principal desta campanha. Algo que não lhe é de todo estranho: “Apenas me limitei a fazer aquilo que faço no dia-a-dia, porque a estação sísmica que aparece no filme é construída aqui na Faculdade”, diz Carlos Corela.

O filme vai ser exibido a 30 de maio no Cinema São Jorge, e a 1 de junho no Cinema Ideal, inserido no Festival Internacional de Cinema IndieLisboa.

Marta Daniela Santos, Gabinete de Comunicação de Ciência da DCI CIÊNCIAS
mddsantos@ciencias.ulisboa.pt
Branca Edmée Marques, cientista alumna de CIÊNCIAS

Branca Edmée Marques, alumna de CIÊNCIAS, será homenageada no dia 20 de junho pelos Museus da Universidade de Lisboa

Margarida Fortes, docente do Departamento de Biologia Vegetal de CIÊNCIAS dá uma aula em frente a um quadro com uma projeção imagética

Margarida Fortes, professora de CIÊNCIAS, visitou a Escola Secundária de Carcavelos para dar uma aula acerca da edição genética.

Um grupo de membros de Instituições do Ensino Superior, onde se inclui CIÊNCIAS, está reunido em frente a um jardim, em visita à Siemens

 A iniciativa teve como objetivo aproximar a academia do tecido empresarial.

Nuno Gonçalves alcança o segundo lugar na competição 3MT ULisboa.

Nuno Gonçalves foi distinguido com o segundo lugar, na final da competição ‘Três Minutos de Tese – 3MT ULisboa’, que se realizou esta quint

Inês Ventura

Inês Ventura, a desenvolver o seu doutoramento no Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE) e no Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (

Universidade de Lisboa

A Universidade de Lisboa alcança a 260ª posição no QS World University Rankings (SUR) 2025, tornando-se na universidade portuguesa mais bem classificada neste ranking.

Signatários do acordo

Dia 5 de junho foi assinado o acordo para a construção do espectrógrafo ANDES (ArmazoNes high Dispersion Echelle Spectrograph – Espectrógrafo Echelle de alta dispersão do Armazones), entre o Observatório Europeu do Sul (

 Luís Carriço, Diretor de CIÊNCIAS, e David Gonçalves, Dean do Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ) assinam acordo sentados a uma mesa

CIÊNCIAS assinou no dia 5 de junho um acordo de cooperação com o Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ), com vista à cooperação científica em várias áreas de interesse comum.

Equipa do projeto 'Ciências em Harmonia'

Esta terça-feira, 28 de maio, o projeto ‘Ciências em Harmonia’ assinalou o seu primeiro ano de atividades: um marco comemorado com um convívio informal com a comunidade, que

António Branco

António Branco, docente do Departamento de Informática de CIÊNCIAS, foi um dos oradores convidados da conferência que

Sabemos que no futuro um sismo de magnitude significativa voltará a atingir Lisboa. Não sabemos é quando. E se o pudéssemos prever? E se existisse uma probabilidade forte de ser já em 2027?

Ana Santos, finalista 3MT ULisboa

Ao longo dos próximos dias, daremos a conhecer os quatro finalistas de CIÊNCIAS que irão participar na final da competição

Painel e sessão de Perguntas & Respostas | Estreia de documentário

Perto de 120 pessoas assistiram este sábado, 25 de maio, à estreia do documentário ‘O que se esconde na luz? A ciência da missão espacial Euclid’, produzido pelo Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA).

Investigadores do Instituto Dom Luiz, de CIÊNCIAS, instalaram um sismómetro na Escola Básica Professor Delfim Santos, que se encontra a menos de um quilómetro do Estádio da Luz, em Lisboa, onde vão ter lugar os concertos.

Banner Bênção de Finalistas & Queima das Fitas 2024

Este fim de semana a Alameda da Universidade de Lisboa vai voltar a encher-se de finalistas de CIÊNCIAS e de tantas outras faculdades e universidades. A cerimónia de Bênção de Finalistas decorre amanhã dia 25 de maio, a partir das 11h30.

 

3MT ULisboa 2024

Quatro dos doze finalistas da competição ‘Três Minutos de Tese – Universidade de Lisboa’ são de CIÊNCIAS.

Pinguins-de-adélia

Num artigo agora publicado na Science, investigadores de instituições de renome a nível mundial propõem uma estratégia para envolver todas as partes interessadas na governança do Oceano Antártico através de um processo de ordenamento do espaço marinho (OEM) inteligente do ponto de vista climático.

Impressão artística da missão Euclides no espaço.

A 25 de maio (sábado), às 21h00, vamos ver e compreender as novas imagens de entre as maiores alguma vez feitas do Universo, no Grande Auditório de CIÊNCIAS (Edifício C3). A entrada é livre.

Redes Doutorais Marie Curie Projeto PROMOTE

CIÊNCIAS vai participar numa das propostas vencedoras do concurso 2023 das Redes Doutorais de Ações Marie Skłodowska-Curie (MSCA DN).

Foto de entrega de prémio aos vencedores

No âmbito do projeto Invasives e como atividade inserida na

Dia Nacional dos Cientistas - 16 de maio

O Dia Nacional dos Cientistas foi instituído em 2016 por Resolução da Assembleia da República com o objetivo de reconhecer e celebrar a contribuição vital dos cientistas para o progresso da sociedade.

Páginas