Jurássico Superior português

Pegadas de dinossáurios terópodes e “crocodilos”

Duas pegadas de dinossáurios carnívoros e marcas interpretadas como rastos de natação de crocodilos, com os respetivos mapas de profundidade

Duas pegadas de dinossáurios carnívoros e marcas interpretadas como rastos de natação de crocodilos, com os respetivos mapas de profundidade

Imagem cedida por EM

A revista científica Lethaia publica este mês um novo trabalho sobre pegadas de dinossáurios terópodes e “crocodilos” do registo fóssil do Jurássico Superior da Bacia Lusitânica, em Portugal, liderado por Diego Castanera, investigador do Institut Català de Paleontologia Miquel Crusafont e que contou com a participação das paleontólogas do Instituto Dom Luiz, polo Ciências ULisboa, Vanda Faria dos Santos e Elisabete Malafaia, em colaboração com investigadores da Bournemouth University, no Reino Unido e da Sociedade de História Natural (SHN) de Torres Vedras.

Vanda Faria dos Santos e Elisabet Malafaia
Vanda Faria dos Santos e Elisabete Malafaia em trabalho de campo
Imagem cedida por EM

O artigo “New dinosaur, crocodylomorph and swim tracks from the Late Jurassic of the Lusitanian Basin: implications for ichnodiversity” resulta do trabalho desenvolvido sobre a coleção de icnofósseis de vertebrados mesozoicos da SHN. As pegadas foram recolhidas nas arribas da região Oeste de Portugal (entre Torres Vedras e Salir do Porto) durante os últimos 30 anos e são provenientes de diversas formações geológicas, correspondendo a idades que variam entre o Kimmeridgiano e o Tithoniano (c. 150 a 155 Ma).

O registo fóssil português tem proporcionado, sobretudo nas últimas décadas, a descoberta de importantes restos de dinossáurios terópodes e de crocodilomorfos que representam uma elevada diversidade destes grupos de vertebrados.

Neste trabalho, os restos icnológicos foram estudados com base em técnicas de fotogrametria e foram identificados quatro morfotipos de pegadas de dinossáurios terópodes (carnívoros), cujas formas e tamanhos variam desde exemplares pequenos e gráceis (com menos de 10 cm) a exemplares gigantes e robustas (alguns com mais de 50 cm).

Estes quatro tipos de pegadas indicam uma ampla icnodiversidade que, ainda assim, é inferior à diversidade conhecida com base no registo osteológico (com mais de dez formas identificadas). No trabalho também foi identificada uma pegada de dinossáurio saurópode e de crocodilo do tipo Crocodylopodus, um icnotaxon previamente identificado em outras regiões da Península Ibérica, como por exemplo em Astúrias e Sória, Espanha, mas só agora identificado pela primeira vez no registo português com base neste trabalho. Por último, também foram identificados icnofósseis interpretadas como marcas de natação, possivelmente produzidas por um crocodilomorfo.

Em conjunto, a identificação destes novos registos icnológicos, juntamente com os trabalhos prévios, indicam que a Bacia Lusitânica tem um dos registos fósseis com maior número de morfotipos de pegadas do Jurássico Superior, comparável ao registo das Astúrias e dos EUA.

IDL com ACI Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

O grande momento do dia é a sessão solene, que inclui este ano o lançamento do segundo volume dos Professores Cientistas e a inauguração do Quadro de Honra.

Sobre Namoros e Casamentos

Jorge Buescu

Quinta-feira, dia 12 de Abril de 2012, às 18h30, na sala 6.1.36

Vela

Ricardo Leandro é o vencedor da Competição Europeia. O estudante da FCUL apresentou a melhor ideia: um coletor solar térmico de baixo custo, acoplável a um módulo fotovoltaico.

A palestra "O Princípio do Tempo" proferida por Pedro Gil Ferreira é uma das iniciativas do “VII Encontro Ibérico de Cosmologia”, que decorre em abril nas instalações da FCUL.

Jovem usa microscópio

A FCUL estimula a abertura permanente à sociedade civil, promovendo acontecimentos que visam a disseminação de conhecimentos e a interligação com diferentes agentes sociais.

Os vários objectivos do DEGGE: Tudo o que nos define, e tudo o que apoiamos

O ENEI'12 vai realizar-se na FCUL.

ESTRUTURA E GESTÃO DO DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA ANIMAL (DBA)

Apresentação do Departamento

Paleontólogos do MNHN da UL e do GeoFCUL em foco na revista TVmais.

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avançados" com mais quatro instituições universitárias portuguesas e brasileiras.

O DQB e a FCUL acolheram, mais uma vez, a realização de provas semifinais das Olimpíadas de Química Júnior 2012 no sábado, 14 de abril de 2012.

Pessoas estudam numa mesa na biblioteca

“Acho que qualquer aluno consegue ser bom, se tiver uma boa disciplina de trabalho e objetivos concretos”. Quem o diz é Gonçalo Faria da Silva, estudante do 3.º ano de Biologia.

No penúltimo dia de março realiza-se a quinta e última sessão do workshop destinado a preparar os estudantes para a obtenção do 1.º emprego.

 

Alunos da FCUL

A Schlumberger realiza uma sessão de recrutamento em Ciências. As grandes empresas procuram os melhores profissionais. A FCUL apoia a inserção profissional dos seus diplomados.
 

O evento é uma organização conjunta da Norton/Symantec e do mestrado em Segurança Informática do DI-FCUL.

O DM está na Futurália

Para Duarte Flor, presidente da associação académica e aluno do 12.º ano em Ciências, é importante que os candidatos ao ensino superior visitem as instalações de uma faculdade.

Desenho de uma figura masculina

“Existe um espaço onde o sentimento de pertença a uma escola pode ser reavivado", afirma Miguel Ramos.

Aluna junto a uma das colunas do átrio do C6

A mostra pictórica da atividade científica da FCUL é inaugurada a 13 de março. Conheça as razões pelas quais deve visitar a exposição.

O que são líquidos iónicos? Num dos primeiros programas do ano, o Com Ciência entrevistou o professor e investigador da FCUL, Carlos Nieto de Castro sobre esta classe de solventes.

Desenho de uma figura masculina

A data de lançamento do livro ainda não é pública, mas o evento deverá ocorrer brevemente, na Faculdade de Belas-Artes da UL.

Ontem evocou-se o Dia das Doenças Raras. A fibrose quística é um desses males incomuns. A investigação científica é importante em todos os setores, mas ganha especial sentido em áreas como esta.

Cerca de 20 professores de Ciências da Natureza e Ciências Naturais de nove concelhos portugueses participam na atividade promovida pelo MNHNC-UL a decorrer até abril.

Imagem de um folheto promocional

A FCUL volta a marcar presença no evento, juntamente com outras unidades orgânicas da UL.

Páginas