Artigo da Weather and Climate Extremes analisa ondas de calor da Península Ibérica em agosto de 2018 e junho de 2019

Intrusões de ar com origem no norte de África

Mecanismo relevante para explicar temperaturas extremas

Ondas de calor de 1 a 7 de agosto de 2018 (à esquerda) e de 24 a 30 de junho de 2019 (à direita). As cores indicam o número de dias com intrusão de massa de ar quente proveniente do norte de África. Os pontos a negro identificam as regiões que, pela primeira vez (pelo menos desde 1948), foram afetadas por uma massa de ar com essas características

Ondas de calor de 1 a 7 de agosto de 2018 (à esquerda) e de 24 a 30 de junho de 2019 (à direita)

Imagem cedida por IDL Ciências ULisboa

Um grupo de investigadores descobriu que as intrusões de massas de ar provenientes do Saara aumentaram de frequência, particularmente desde meados da década de 1970, concluindo ainda que estes fenómenos atingem latitudes cada vez mais a norte no espaço europeu. O grupo integra investigadores de Ciências ULisboa e do Instituto Dom Luiz, entre outras instituições portuguesas e estrangeiras.

Os cientistas analisaram os episódios de onda de calor que afetaram a parte ocidental da Península Ibérica em agosto de 2018 e a oriental em junho de 2019, assim como a evolução das intrusões de ar saariano nos meses de verão na Península Ibérica, utilizando dados desde 1948.

Saharan air intrusions as a relevant mechanism for Iberian heatwaves: The record breaking events of August 2018 and June 2019” da autoria de Pedro M. Sousa, David Barriopedro, Alexandre M. Ramos, Ricardo García-Herrera, Fátima Espírito-Santo e Ricardo M. Trigo está disponível online desde 14 de setembro e será publicado no volume 26, do próximo mês de dezembro, da revista Weather and Climate Extremes.

Pedro M Sousa
Pedro M. Sousa é o primeiro autor deste artigo disponível online e que será publicado no volume 26, do próximo mês de dezembro, da revista Weather and Climate Extremes
Imagem cedida por PMS

Pedro M. Sousa, investigador do polo de Ciências ULisboa do Instituto Dom Luiz, é o primeiro autor deste artigo. O jovem cientista, antigo aluno de Ciências ULisboa, concluiu a licenciatura e o mestrado em Meteorologia, Oceanografia e Geofísica, e o doutoramento em Ciências Geofísicas e da Geoinformação, tendo sido orientado por Ricardo M. Trigo, professor do Departamento de Engenharia Geográfica, Geofísica e Energia e por David Barriopedro, do Instituto de Geociencias do Consejo Superior de Investigaciones Científicas da Universidad Complutense Madrid, em Espanha.

Estas intrusões de ar com origem no norte de África representam um fenómeno bastante relevante no contexto do clima da Península Ibérica, uma vez que são frequentemente associadas a ondas de calor.

O trabalho mostra o aumento da frequência e severidade de um dos principais mecanismos responsáveis pela ocorrência das ondas de calor, fenómeno associado a grandes impactos na saúde pública, incêndios florestais ou gestão de secas. Este incremento na frequência das ondas de calor está perfeitamente alinhado com as projeções de aquecimento global indicadas pelos relatórios do Intergovernmental Panel on Climate Change (IPCC).

O artigo analisa os episódios de ondas de calor que afetaram a região oeste da Península Ibérica (particularmente Portugal) em agosto de 2018 e também a região leste da Península em junho de 2019. Ambos os eventos foram associados a intrusões de ar provenientes do norte de África. No primeiro caso, a massa de ar com características desérticas penetrou pelo oeste peninsular, chegando à província da Galiza, algo totalmente inédito até essa ocasião. Simultaneamente, muitos recordes absolutos de temperatura máxima foram quebrados em Portugal continental, com valores na casa dos 44C na região de Lisboa.

Durante a mega onda de calor ocorrida na Europa no final do mês de junho de 2019, o ar de origem africana atravessou a zona leste da Península Ibérica, tendo chegado a atingir grande parte da Europa central, apresentando um novo recorde absoluto de extensão para norte. Este evento causou temperaturas extremas que se estenderam do Mediterrâneo espanhol ao sul da Alemanha, tendo sido registadas temperaturas superiores a 45C em França pela primeira vez, excedendo em muitos casos os registros de temperatura deixados pela famosa onda de calor de 2003.

Nota da redação referente à legenda da figura: As cores indicam o número de dias com intrusão de massa de ar quente proveniente do norte de África. Os pontos a negro identificam as regiões que, pela primeira vez (pelo menos desde 1948), foram afetadas por uma massa de ar com essas características.

ACI com IDL Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

A exposição "O Cálculo de Ontem e de Hoje" está, agora, disponível em versão itinerante.

De 3 a 28 de Maio está patente na "Academia Sénior da Cruz Vermelha Portuguesa-Delegação de Lisboa".

Seminário "Serendipity and The Ups and Downs of Synthesis", apresentado pelo Prof.

Olho verde

Palestras, visitas, exposições e muitas experiências são algumas das atividades previstas.

Pormenor da capa do livro

O livro está à venda pelo valor de €18,40, no Atendimento Geral, sito no edifício C5, piso 3.

Anfiteatro

"As Jornadas tiveram um balanço bastante positivo (...) elucidaram e esclareceram algumas dúvidas importantes para os estudantes (...) ", conclui a Comissão de Curso de Engenharia Geográfica.

Museu do Quartzo é inaugurado e recebe o nome de Galopim de Carvalho, professor jubilado do Departamento de Geologia.

Céu com nuvens escuras

As candidaturas à oficina de formação terminam a 21 de maio. As sessões realizam-se às terças e quintas-feiras, entre as 17h30 e as 20h30.

A exposição “O Cálculo de ontem e de hoje”, elaborada pelo Departamento de Matemática em colabora&

Lâmpada

Estudantes de Engenharia Biomédica e Biofísica da FCUL promovem reunião especializada. O Ne2b2 existe desde outubro de 2008.

Luzes

Pela primeira vez a Reitoria da UL abre as suas portas aos estudantes da cidade, organizando um evento noturno para alunos dos ensinos universitário e secundário.

A exposição está a partir de 26 de Abril no Museu Nacional de História Natural e da Ciência.

As provas de doutoramento em Biologia, especialidade de Microbiologia, da Mestre Egídia Maria Valente de Azevedo realizam-se no próximo dia 26 de Abril, pelas 10h:30 na Sala de Actos da

O grande momento do dia é a sessão solene, que inclui este ano o lançamento do segundo volume dos Professores Cientistas e a inauguração do Quadro de Honra.

Sobre Namoros e Casamentos

Jorge Buescu

Quinta-feira, dia 12 de Abril de 2012, às 18h30, na sala 6.1.36

Vela

Ricardo Leandro é o vencedor da Competição Europeia. O estudante da FCUL apresentou a melhor ideia: um coletor solar térmico de baixo custo, acoplável a um módulo fotovoltaico.

A palestra "O Princípio do Tempo" proferida por Pedro Gil Ferreira é uma das iniciativas do “VII Encontro Ibérico de Cosmologia”, que decorre em abril nas instalações da FCUL.

Jovem usa microscópio

A FCUL estimula a abertura permanente à sociedade civil, promovendo acontecimentos que visam a disseminação de conhecimentos e a interligação com diferentes agentes sociais.

Os vários objectivos do DEGGE: Tudo o que nos define, e tudo o que apoiamos

O ENEI'12 vai realizar-se na FCUL.

ESTRUTURA E GESTÃO DO DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA ANIMAL (DBA)

Apresentação do Departamento

Paleontólogos do MNHN da UL e do GeoFCUL em foco na revista TVmais.

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avançados" com mais quatro instituições universitárias portuguesas e brasileiras.

O DQB e a FCUL acolheram, mais uma vez, a realização de provas semifinais das Olimpíadas de Química Júnior 2012 no sábado, 14 de abril de 2012.

Pessoas estudam numa mesa na biblioteca

“Acho que qualquer aluno consegue ser bom, se tiver uma boa disciplina de trabalho e objetivos concretos”. Quem o diz é Gonçalo Faria da Silva, estudante do 3.º ano de Biologia.

Páginas