Highly Cited Researchers da Clarivate Analytics

“Orgulho-me por promover a Faculdade e a Universidade no palco mundial da ciência”

Alan Phillips distinguido pelo 4.º ano consecutivo como um dos cientistas mais citados a nível mundial na área da Ciência Vegetal e Animal

Última Revisão —
Imagem abstrata relacionada com o cartaz promocional do ranking

Clarivate Analytics publicou o primeiro índice em 2015 com o intuito de identificar os investigadores com maior influência na atualidade, com base no número de citações das respetivas publicações pelos seus pares

Clarivate Analytics
Alan Phillips
Alan Phillips
Imagem cedida por AP

A par do reconhecimento alcançado na lista World’s Top 2%, Alan Phillips é distinguido, pelo 4.º ano consecutivo, como um dos cientistas mais citados na área da Ciência Vegetal e Animal a nível mundial, pelo Highly Cited Researchers da Clarivate Analytics, uma empresa norte-americana especializada em gestão de informação científica.

“Orgulho-me por poder ajudar a promover a Faculdade e a Universidade no palco mundial da ciência”, diz o investigador do Departamento de Biologia Vegetal da Ciências ULisboa e do Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (BioISI), sediado e coordenado pela Faculdade, que se sente honrado com estas classificações, ainda que para si o mais importante seja a relevância e a utilidade deste trabalho para outros investigadores.

“Fico especialmente feliz por saber que os meus trabalhos publicados têm ajudado outras pessoas a desenvolverem as suas linhas de investigação, contribuindo diretamente para uma maior compreensão do assunto e fornecendo soluções para problemas”, declara Alan Phillips, o único investigador da Ciências ULisboa a alcançar esta classificação este ano. Ao nível da ULisboa além de Alan Phillips, também José Bioucas-Dias (1960-2020) figura na lista deste ano.

“Fico especialmente feliz por saber que os meus trabalhos publicados têm ajudado outras pessoas a desenvolverem as suas linhas de investigação, contribuindo diretamente para uma maior compreensão do assunto e fornecendo soluções para problemas.”
Alan Phillips

A Clarivate Analytics publicou o primeiro índice em 2015 com o intuito de identificar os investigadores com maior influência na atualidade, com base no número de citações das respetivas publicações pelos seus pares. De acordo com a Rádio Alto Ave, a lista de 2021 inclui 6.602 cientistas de mais de 70 países, 16 deles afiliados a instituições portuguesas. O estudo publicado este mês incide no período 2010/2020 e apenas sobre os artigos altamente citados, isto é, que representam 1% do que se publica no mundo e para 21 áreas de conhecimento. Os países mais representados neste índice são os EUA (2.622 cientistas), China (935), Reino Unido (492), Austrália (332) e Alemanha (331). Portugal surge em 15.º lugar europeu e 30.º no mundo. A lista inclui 24 prémios Nobel e a Universidade de Harvard, nos EUA, lidera no volume de cientistas (214).

“Hoje em dia, a publicação de ciência é um grande negócio. Mais do que nunca, estamos sobrecarregados de informações, algumas mais úteis do que outras. Por essa razão, sempre disse aos meus alunos que deveriam publicar não para progredir nas suas carreiras, mas para desenvolverem a ciência”, reflete Alan Phillips, acrescentando que os artigos que publicam devem ser relevantes, úteis e atrativos para outras pessoas, dessa forma serão citados, deixando por fim conselhos aos mais jovens, que pretendem enveredar um dia por esta área. “Investigar não é apenas ‘brincar’ num laboratório fazendo coisas divertidas, é preciso muito trabalho duro e dedicação para ter sucesso, e às vezes pode ser incrivelmente frustrante”, declara, concluindo que "se estiverem preparados para se esforçar, a recompensa de saber que estão a contribuir para uma maior compreensão do mundo vale todo o trabalho árduo".

“Hoje em dia, a publicação de ciência é um grande negócio. Mais do que nunca, estamos sobrecarregados de informações, algumas mais úteis do que outras. Por essa razão, sempre disse aos meus alunos que deveriam publicar não para progredir nas suas carreiras, mas para desenvolverem a ciência.”
Alan Phillips

Ana Subtil Simões, Área Comunicação e Imagem Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

Cerca de 20 professores de Ciências da Natureza e Ciências Naturais de nove concelhos portugueses participam na atividade promovida pelo MNHNC-UL a decorrer até abril.

Imagem de um folheto promocional

A FCUL volta a marcar presença no evento, juntamente com outras unidades orgânicas da UL.

Fotografia com pontos de interrogação

Alunos finalistas aconselham Engenharia da Energia e do Ambiente. Testemunhos de Guilherme Gaspar e Ricardo Leandro.

Fotografia de mesa com cinco pessoas sentadas, na Reitoria da UL

A rede pretende formalizar colégios doutorais em áreas transversais. Opinião de Maria Amélia Martins-Loução.

Fotografia de pessoas sentadas num dos anfiteatros da FCUL

A iniciativa acontece a 17 de março e é organizada pelos Departamentos de Física e de Informática.

Fotografia de Dois voluntários, sentados junto a uma banca no átrio do C5

Em fevereiro estão abertas inscrições para a admissão de novos voluntários.

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avançados" com mais quatro instituições universitárias portuguesas e brasileiras.

Vale a pena recordar a iniciativa do Gabinete de Mobilidade, Estágios e Inserção Profissional da FCUL.

Fotografia de alunos a andarem, junto ao C8

A primeira edição do curso realiza-se já em 2012.

Outra forma de fazer turismo.

Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25.Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25

O Encontro decorreu em Junho no GeoFCUL.

Páginas