Entrevista com Rui Gonçalves Deus

Da Ciências ULisboa à Task Force contra a COVID-19 em Portugal

Rui Gonçalvez Deus fardado

Rui Gonçalves Deus, oficial da Marinha e especialista em Investigação Operacional, dá-nos a conhecer o seu percurso académico e profissional, e conta-nos de que forma a passagem pela Faculdade o ajudou a alcançar o sucesso profissional

Rui Gonçalves Deus

Rui Gonçalves Deus, ex-aluno de Estatística e Investigação Operacional da Ciências ULisboa, integra a equipa da Task Force (TF) para a elaboração, condução e execução do Plano de vacinação contra a COVID-19 em Portugal. Hoje oficial da Marinha e especialista em Investigação Operacional, Rui Gonçalves Deus dá-nos a conhecer o seu percurso académico e profissional, e conta-nos de que forma a passagem pela Faculdade o ajudou a alcançar o sucesso profissional.


Defesa de doutoramento de Rui Gonçalves Deus
Fonte RGD

Rui Gonçalves Deus é licenciado em Estatística e Investigação Operacional (2002) e mestre em Investigação Operacional (2006) por Ciências ULisboa. Concluiu o mestrado em Estatística e Gestão de Informação pela antiga ISEGI (NOVA IMS) em 2010, e o doutoramento em Estatística e Investigação Operacional em 2018, em Ciências ULisboa.

Iniciou o seu percurso profissional na Marinha quando ainda estava a frequentar o mestrado em Investigação Operacional, em 2004, tendo ingressado nos Quadros Permanentes da Marinha passados apenas três anos.

As suas primeiras tarefas na Marinha estavam relacionadas com a Produção do Anuário Estatístico da Marinha e com a análise operacional da atividade de fiscalização marítima. Posteriormente, participou em projetos relacionados com a elaboração de estudos na área do Pessoal e das carreiras dos militares. Relacionado com a área operacional, teve oportunidade de participar no desenvolvimento de protótipos para análise de dados georreferenciados em larga escala, que se insere no conceito de Conhecimento Situacional Marítimo e mais recentemente com o planeamento operacional das unidades navais, em que se pretende testar um novo conceito de emprego de meios designado por Dispositivo Naval Dinâmico.

Em 2008 começou a lecionar a disciplina de Análise Operacional na Escola Naval, atividade que mantém até hoje.

Em novembro de 2020, com o agravar da pandemia, foi destacado para integrar o Núcleo de Apoio à Decisão do Estado-Maior-General das Forças Armadas, onde auxiliou o vice-almirante Gouveia e Melo, enquanto adjunto para o Planeamento e Coordenação e membro da TF para a elaboração, condução e execução do Plano de vacinação contra a COVID-19 em Portugal. Nesse período esteve envolvido na elaboração do Plano Logístico de Vacinação, uma das componentes do Plano de Vacinação contra a COVID-19. Posteriormente, com a nomeação de Gouveia e Melo para o cargo de coordenador da TF em fevereiro de 2021, integrou o Núcleo de Apoio ao Coordenador da TF, cargo que mantém até ao presente.

O seu trabalho nesta divisão consiste no planeamento a longo prazo da distribuição de vacinas, que deve ser feita da forma mais eficiente possível, conjugando variáveis como o calendário de entrega, os universos a vacinar, as restrições de aplicação de certas vacinas, as políticas de segurança em relação aos stocks, entre outras. O objetivo final é garantir a vacinação a um número elevado de pessoas, num mais curto espaço de tempo possível.

Rui Gonçalves Deus conta-nos que a sua passagem por Ciências ULisboa lhe trouxe inúmeras mais valias. “Na minha ótica os cursos superiores têm de fornecer aos alunos ferramentas que estes possam utilizar no futuro e nas suas profissões. Um curso que não ensine ferramentas não terá grande utilidade”, diz.

“No curso de Estatística e Investigação Operacional encontrei um leque muito diversificado de ferramentas (modelos matemáticos, heurísticas, algoritmos, modelos de simulação, etc.) que utilizei em estudos e ainda utilizo atualmente, quer na Marinha, quer no Núcleo de Apoio ao coordenador da Task Force.”
Rui Gonçalves Deus

Aos alunos de Estatística e Investigação Operacional deixa alguns conselhos: “Apostem nos modelos matemáticos e nas heurísticas, pois elas são ferramentas muito flexíveis para atacar problemas do mundo real”. Defende que é importante encontrar num curso o “elemento diferenciador” que os destaque e distinga futuramente dos colegas de profissão, que no caso do curso em Estatística e Investigação Operacional diz ser os modelos matemáticos e respetivas heurísticas e algoritmos. Competências como a capacidade de comunicar, trabalhar em equipa, resolver problemas, capacidade de gestão de projetos e a programação são igualmente importantes para o sucesso na profissão, capacidades que vão sendo adquiridas com a experiência e a formação complementar ao longo da vida.

Marta Tavares, Área de Comunicação e Imagem Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Pormenor de obra de arte

Para os fundadores do AppEEL, este laboratório pode ser considerado o primeiro centro no mundo a reunir investigadores que estudam a evolução sociocultural a partir das teorias que formam parte da Síntese Expandida.

 

O Departamento de Matemática recebeu ontem, dia  4 de Fevereiro, cerca de 70 alunos (9º ano) do  Agrupamento de Escolas D. Miguel de Almeida - Abrantes.

Entre os empregos mais bem pagos contam-se os que estão ligados às engenharias.

Capa

Esta coleção de Livros Brancos foi organizada pela META-NET, uma rede de excelência parcialmente financiada pela Comissão Europeia, que levou a cabo uma análise dos recursos e tecnologias da linguagem atualmente disponíveis. A análise abordou as 23 línguas oficiais europeias assim como outras línguas importantes na Europa a nível nacional e regional. 

O Prémio João Branco é uma iniciativa conjunta da Universidade de Aveiro e da família do designer Jo

Dia 4 Fevereiro 2013 – 14:00h às 19:30h (Sala 2.2.15)

Primeiro plenário do IPBES

Grupo liderado por Henrique Miguel Pereira, investigador do Centro de Biologia Ambiental da FCUL, submete à apreciação da comunidade científica o desenvolvimento de um sistema de monitorização da biodiversidade baseado num conjunto de variáveis essenciais.

Rosto de Maria Antónia Amaral Turkman

“Ao longo dos últimos dois séculos a Estatística foi indispensável em confirmar muitas das maiores descobertas científicas e inovações da humanidade, tais como a partícula bosão de Higgs e a Revolução Verde na agricultura”, declaram Daniel Paulino, presidente da Sociedade Portuguesa de Estatística e Maria Antónia Amaral Turkman, coordenadora do CEAUL.

Dois artigos -- contando com docentes e investigadores do GeoFCUL no seu elenco de autores -- assinalados no “TOP 25 Hottest Papers” de Abril-Junho de 2011 da revista Journal of South American Earth Studies (Sciencedirect / Elsevier).

Henrique Leitão foi eleito membro efetivo da Académie International d'Histoire des Sciences, pela relevância da sua carreira e produção intelectual. Para o historiador das ciências foi uma “honra enorme” receber a distinção, “a maior ambição de qualquer estudioso ou cientista”.

Proposal for a REGULATION OF THE EUROPEAN PARLIAMENT AND OF THE COUNCIL.

Laying down the rules for the participation and dissemination in 'Horizon 2020 – the Framework Programme for Research and Innovation (2014-2020).

EUA represents over 850 universities and university associations across 47 European countries. Its highly diverse membership covers the full spectrum of universities participating in European research programmes.

Vai realizar-se de 18 a 20 de Março de 2013, em honra do Professor Ross Leadbetter, o "Symposium on Recent Advances in Extreme Value Theory ".

Face de Maria Amélia Martins-Loução

O Flora-On sistematiza informação fotográfica, geográfica, morfológica e ecológica de todas as espécies de plantas vasculares autóctones ou naturalizadas listadas para a flora de Portugal. Atualmente, através deste portal acede a 164 famílias, 836 géneros e 2991 espécies.

Cortejo académico na Aula Magna

A cerimónia de abertura do ano letivo de 2012/2013 marca uma nova etapa do ensino superior público.
Exegi monumentum aere perennius - Ergui um monumento mais duradouro que o bronze.
Da nova Universidade de Lisboa vê-se o mundo...

Crianças dos 5 aos 9 anos descobrem as Ciências na FCUL

A FCUL abriu as portas do conhecimento aos alunos do Colégio Infantes de Portugal, de Palmela. Durante uma manhã, os laboratórios de Biologia e de Química e Bioquímica foram explorados por cerca de 20 crianças com idades compreendidas entre os 5 e os 9 anos.

Encontra-se aberto concurso externo para o Banco de Portugal - Departamento de Supervisão Prudencial, com vista ao preenchimento de vagas de Técnico Superior para a área de supervisão

“A inovação é tipo ‘ovo de Colombo’, depois de se saber, parece fácil. Só que ‘saber’ significa um longo caminho de amadurecimento do conhecimento”, declara Maria Filomena Camões, docente do Departamento de Química e Bioquímica da FCUL, a propósito da atribuição da Bolsa Europeia de Excelência de Investigação.

Páginas