Ciências ULisboa lidera SAFE Coating. Biomimetx e Hospital Curry Cabral são parceiros do projeto

Entrevista com Carlos Cordeiro

Seis meses para implementar superfícies capazes de inativar o SARS-CoV-2

janela

Carlos Cordeiro espera que a implementação do SAFE Coating possa ser eficaz não só em relação ao SARS-CoV-2, como a outras ameaças virais que possam emergir no futuro. "Este mundo será muito mais seguro e confortável para todos", diz o cientista

unsplash - Eduard Militaru
Carlos Cordeiro
Carlos Cordeiro
Fonte Laboratório de FT-ICR e Espectrometria de Massa Estrutural Ciências ULisboa

Carlos Cordeiro, professor do Departamento de Química e Bioquímica, coordenador adjunto da Rede Nacional de Espectrometria de Massa e coordenador do Laboratório de FT-ICR e Espectrometria de Massa Estrutural (FT-ICR-MS-Lisboa), lidera o projeto “SAFE Coating – Anti Viral Coating for Wide Spread Use”, iniciado este mês de julho e que visa desenvolver e testar uma tecnologia que permita tornar as superfícies seguras, capazes de inativar o SARS-CoV-2, o novo coronavírus, que origina a doença designada COVID-19, impedindo a sua viabilidade fora do hospedeiro humano e consequentemente, eliminando uma importante via de transmissão viral.

Carlos Cordeiro espera que a implementação do SAFE Coating possa ser eficaz não só em relação ao SARS-CoV-2, mas também relativamente a outras ameaças virais que possam emergir no futuro. No laboratório por si coordenado é realizada uma técnica de alta resolução de espectrometria de massa de transformada de fourier, única na Península Ibérica e apenas disponível em pouco mais de 20 laboratórios na União Europeia. Esta técnica tem um potencial inigualável para a identificação e caracterização de compostos químicos em misturas extremamente complexas de origem biológica ou ambiental, bem como de proteínas e péptidos e um vasto universo de aplicações.

Segundo comunicado de imprensa emitido pela Faculdade, este projeto com a duração de seis meses, financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), no valor de 40 mil euros, no âmbito da Call Research 4 COVID-19, conta com dois parceiros, nomeadamente a Biomimetx, empresa incubada no Tec Labs – Centro de Inovação da Ciências ULisboa e o Hospital Curry Cabral.

Em que é que consiste este projeto?

Carlos Cordeiro (CC) - Este projeto consiste em investigar a degradação das proteínas do SARS-CoV-2 por espectrometria de massa de extrema resolução, após a sua exposição ao agente antiviral desenvolvido pela Biomimetx. Posteriormente, será investigada a inativação do SARS-CoV-2 em superfícies com ação antiviral, em ambiente laboratorial e hospitalar, no Hospital Curry Cabral. O projeto começou a 7 de julho e tem a duração de seis meses.

Quem são e o que fazem os membros desta equipa?

CC – Pela Faculdade, estou eu, coordenador do projeto, e a minha colega Marta Sousa Silva, investigadora principal da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) na Faculdade. Seremos responsáveis pela análise por espectrometria de massa das proteínas virais e sua degradação. Pela Biomimetx, está o Gonçalo Costa, fundador e chief cientific officer, Patrick Freire, fundador e executive director e Carla Coutinho, research development team manager, responsáveis pela produção do antiviral, sua aplicação em superfícies e testes. Por fim, mui digno, Conceição Godinho, diretora de laboratório do Hospital Curry Cabral que irá realizar os testes de inativação viral em condições reais, neste hospital.

Quem é que financia esta investigação?

CC - Esta investigação é financiada pela FCT, no âmbito dos projetos de implementação rápida para soluções inovadoras - COVID-19 – Fase 2. Foram atribuídos €40.000,00.

Biomimetx
Neste projeto a equipa da Biomimetx visa adaptar os seus produtos à descontaminação de superfícies, essencial para a contenção da propagação do SARS-Cov-2
Fonte Biomimetx

Como surgiu a hipótese de colaborarem com a Biomimetx e o Hospital Curry Cabral?

CC - A colaboração surgiu de forma muito natural, numa conversa casual entre mim e o Gonçalo. Decidimos combinar esforços no sentido de explorar o potencial conjunto dos produtos desenvolvidos pela Biomimetx e as capacidades analíticas do meu laboratório para avaliar o seu impacto na viabilidade do SARS-CoV-2. Precisávamos, no entanto, de um hospital onde pudessem ser efetuados os testes finais em ambiente real. O meu grupo já trabalha há alguns anos com o Hospital Curry Cabral e, no contexto da atual pandemia, já estávamos em convergência para atuar em conjunto, nomeadamente no domínio da proteómica e metabolómica de modo que a inclusão deste hospital no projeto foi imediata.

Qual é a mais valia deste projeto para a sociedade?

CC - Ao desenvolvermos superfícies capazes de inativar o SARS-CoV-2, impediremos a sua viabilidade fora do hospedeiro humano e consequentemente, eliminaremos uma importante via de transmissão viral. Adicionalmente, ao criarmos superfícies seguras reduziremos drasticamente os custos de sanitização em ambiente hospitalar e outros, criando condições para uma sociedade mais segura. Imaginemos um mundo no qual a maior parte dos objetos de uso comum possam incorporar esta tecnologia. Este mundo será muito mais seguro e confortável para todos. Não haverá mais o receio de contaminação por nos sentarmos à mesa de um restaurante, por estarmos numa sala de aula ou num laboratório, nem tão pouco por apanharmos um avião ou ficarmos hospedados num hotel. A sociedade poderá retomar uma maior normalidade de vida em comum, algo que é extremamente importante face a todas as incertezas relacionadas com o desenvolvimento de uma vacina segura e de uso generalizado. Esperamos ainda que a implementação eficaz do SAFE Coating possa ser eficaz não só em relação ao SARS-CoV-2 mas também relativamente a outras ameaças virais que possam emergir no futuro.

A equipa da Biomimetx desenvolve produtos anti-fouling não poluentes que possam ser incorporados na pintura exterior de embarcações, reduzindo assim os custos – nomeadamente em combustível – provocados pela acumulação de organismos. Neste projeto a equipa da Biomimetx visa adaptar os seus produtos à descontaminação de superfícies, essencial para a contenção da propagação do SARS-Cov-2.

Laboratório de FT-ICR e Espectrometria de Massa Estrutural no campus da Ciências ULisboa
As técnicas deste laboratório têm um potencial inigualável para a identificação e caracterização de compostos químicos em misturas extremamente complexas de origem biológica ou ambiental, bem como de proteínas e péptidos e um vasto universo de aplicações
Fonte Laboratório de FT-ICR e Espectrometria de Massa Estrutural Ciências ULisboa

 

Ana Subtil Simões, Área de Comunicação e Imagem Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

O DQB e a FCUL acolheram, mais uma vez, a realização de provas semifinais das Olimpíadas de Química Júnior 2012 no sábado, 14 de abril de 2012.

Pessoas estudam numa mesa na biblioteca

“Acho que qualquer aluno consegue ser bom, se tiver uma boa disciplina de trabalho e objetivos concretos”. Quem o diz é Gonçalo Faria da Silva, estudante do 3.º ano de Biologia.

No penúltimo dia de março realiza-se a quinta e última sessão do workshop destinado a preparar os estudantes para a obtenção do 1.º emprego.

 

Alunos da FCUL

A Schlumberger realiza uma sessão de recrutamento em Ciências. As grandes empresas procuram os melhores profissionais. A FCUL apoia a inserção profissional dos seus diplomados.
 

O evento é uma organização conjunta da Norton/Symantec e do mestrado em Segurança Informática do DI-FCUL.

O DM está na Futurália

Para Duarte Flor, presidente da associação académica e aluno do 12.º ano em Ciências, é importante que os candidatos ao ensino superior visitem as instalações de uma faculdade.

Desenho de uma figura masculina

“Existe um espaço onde o sentimento de pertença a uma escola pode ser reavivado", afirma Miguel Ramos.

Aluna junto a uma das colunas do átrio do C6

A mostra pictórica da atividade científica da FCUL é inaugurada a 13 de março. Conheça as razões pelas quais deve visitar a exposição.

O que são líquidos iónicos? Num dos primeiros programas do ano, o Com Ciência entrevistou o professor e investigador da FCUL, Carlos Nieto de Castro sobre esta classe de solventes.

Desenho de uma figura masculina

A data de lançamento do livro ainda não é pública, mas o evento deverá ocorrer brevemente, na Faculdade de Belas-Artes da UL.

Ontem evocou-se o Dia das Doenças Raras. A fibrose quística é um desses males incomuns. A investigação científica é importante em todos os setores, mas ganha especial sentido em áreas como esta.

Cerca de 20 professores de Ciências da Natureza e Ciências Naturais de nove concelhos portugueses participam na atividade promovida pelo MNHNC-UL a decorrer até abril.

Imagem de um folheto promocional

A FCUL volta a marcar presença no evento, juntamente com outras unidades orgânicas da UL.

Fotografia com pontos de interrogação

Alunos finalistas aconselham Engenharia da Energia e do Ambiente. Testemunhos de Guilherme Gaspar e Ricardo Leandro.

Fotografia de mesa com cinco pessoas sentadas, na Reitoria da UL

A rede pretende formalizar colégios doutorais em áreas transversais. Opinião de Maria Amélia Martins-Loução.

Fotografia de pessoas sentadas num dos anfiteatros da FCUL

A iniciativa acontece a 17 de março e é organizada pelos Departamentos de Física e de Informática.

Fotografia de Dois voluntários, sentados junto a uma banca no átrio do C5

Em fevereiro estão abertas inscrições para a admissão de novos voluntários.

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avançados" com mais quatro instituições universitárias portuguesas e brasileiras.

Vale a pena recordar a iniciativa do Gabinete de Mobilidade, Estágios e Inserção Profissional da FCUL.

Fotografia de alunos a andarem, junto ao C8

A primeira edição do curso realiza-se já em 2012.

Outra forma de fazer turismo.

Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25.Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25

O Encontro decorreu em Junho no GeoFCUL.

Páginas