Ciências ULisboa lidera SAFE Coating. Biomimetx e Hospital Curry Cabral são parceiros do projeto

Entrevista com Carlos Cordeiro

Seis meses para implementar superfícies capazes de inativar o SARS-CoV-2

janela

Carlos Cordeiro espera que a implementação do SAFE Coating possa ser eficaz não só em relação ao SARS-CoV-2, como a outras ameaças virais que possam emergir no futuro. "Este mundo será muito mais seguro e confortável para todos", diz o cientista

unsplash - Eduard Militaru
Carlos Cordeiro
Carlos Cordeiro
Fonte Laboratório de FT-ICR e Espectrometria de Massa Estrutural Ciências ULisboa

Carlos Cordeiro, professor do Departamento de Química e Bioquímica, coordenador adjunto da Rede Nacional de Espectrometria de Massa e coordenador do Laboratório de FT-ICR e Espectrometria de Massa Estrutural (FT-ICR-MS-Lisboa), lidera o projeto “SAFE Coating – Anti Viral Coating for Wide Spread Use”, iniciado este mês de julho e que visa desenvolver e testar uma tecnologia que permita tornar as superfícies seguras, capazes de inativar o SARS-CoV-2, o novo coronavírus, que origina a doença designada COVID-19, impedindo a sua viabilidade fora do hospedeiro humano e consequentemente, eliminando uma importante via de transmissão viral.

Carlos Cordeiro espera que a implementação do SAFE Coating possa ser eficaz não só em relação ao SARS-CoV-2, mas também relativamente a outras ameaças virais que possam emergir no futuro. No laboratório por si coordenado é realizada uma técnica de alta resolução de espectrometria de massa de transformada de fourier, única na Península Ibérica e apenas disponível em pouco mais de 20 laboratórios na União Europeia. Esta técnica tem um potencial inigualável para a identificação e caracterização de compostos químicos em misturas extremamente complexas de origem biológica ou ambiental, bem como de proteínas e péptidos e um vasto universo de aplicações.

Segundo comunicado de imprensa emitido pela Faculdade, este projeto com a duração de seis meses, financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), no valor de 40 mil euros, no âmbito da Call Research 4 COVID-19, conta com dois parceiros, nomeadamente a Biomimetx, empresa incubada no Tec Labs – Centro de Inovação da Ciências ULisboa e o Hospital Curry Cabral.

Em que é que consiste este projeto?

Carlos Cordeiro (CC) - Este projeto consiste em investigar a degradação das proteínas do SARS-CoV-2 por espectrometria de massa de extrema resolução, após a sua exposição ao agente antiviral desenvolvido pela Biomimetx. Posteriormente, será investigada a inativação do SARS-CoV-2 em superfícies com ação antiviral, em ambiente laboratorial e hospitalar, no Hospital Curry Cabral. O projeto começou a 7 de julho e tem a duração de seis meses.

Quem são e o que fazem os membros desta equipa?

CC – Pela Faculdade, estou eu, coordenador do projeto, e a minha colega Marta Sousa Silva, investigadora principal da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) na Faculdade. Seremos responsáveis pela análise por espectrometria de massa das proteínas virais e sua degradação. Pela Biomimetx, está o Gonçalo Costa, fundador e chief cientific officer, Patrick Freire, fundador e executive director e Carla Coutinho, research development team manager, responsáveis pela produção do antiviral, sua aplicação em superfícies e testes. Por fim, mui digno, Conceição Godinho, diretora de laboratório do Hospital Curry Cabral que irá realizar os testes de inativação viral em condições reais, neste hospital.

Quem é que financia esta investigação?

CC - Esta investigação é financiada pela FCT, no âmbito dos projetos de implementação rápida para soluções inovadoras - COVID-19 – Fase 2. Foram atribuídos €40.000,00.

Biomimetx
Neste projeto a equipa da Biomimetx visa adaptar os seus produtos à descontaminação de superfícies, essencial para a contenção da propagação do SARS-Cov-2
Fonte Biomimetx

Como surgiu a hipótese de colaborarem com a Biomimetx e o Hospital Curry Cabral?

CC - A colaboração surgiu de forma muito natural, numa conversa casual entre mim e o Gonçalo. Decidimos combinar esforços no sentido de explorar o potencial conjunto dos produtos desenvolvidos pela Biomimetx e as capacidades analíticas do meu laboratório para avaliar o seu impacto na viabilidade do SARS-CoV-2. Precisávamos, no entanto, de um hospital onde pudessem ser efetuados os testes finais em ambiente real. O meu grupo já trabalha há alguns anos com o Hospital Curry Cabral e, no contexto da atual pandemia, já estávamos em convergência para atuar em conjunto, nomeadamente no domínio da proteómica e metabolómica de modo que a inclusão deste hospital no projeto foi imediata.

Qual é a mais valia deste projeto para a sociedade?

CC - Ao desenvolvermos superfícies capazes de inativar o SARS-CoV-2, impediremos a sua viabilidade fora do hospedeiro humano e consequentemente, eliminaremos uma importante via de transmissão viral. Adicionalmente, ao criarmos superfícies seguras reduziremos drasticamente os custos de sanitização em ambiente hospitalar e outros, criando condições para uma sociedade mais segura. Imaginemos um mundo no qual a maior parte dos objetos de uso comum possam incorporar esta tecnologia. Este mundo será muito mais seguro e confortável para todos. Não haverá mais o receio de contaminação por nos sentarmos à mesa de um restaurante, por estarmos numa sala de aula ou num laboratório, nem tão pouco por apanharmos um avião ou ficarmos hospedados num hotel. A sociedade poderá retomar uma maior normalidade de vida em comum, algo que é extremamente importante face a todas as incertezas relacionadas com o desenvolvimento de uma vacina segura e de uso generalizado. Esperamos ainda que a implementação eficaz do SAFE Coating possa ser eficaz não só em relação ao SARS-CoV-2 mas também relativamente a outras ameaças virais que possam emergir no futuro.

A equipa da Biomimetx desenvolve produtos anti-fouling não poluentes que possam ser incorporados na pintura exterior de embarcações, reduzindo assim os custos – nomeadamente em combustível – provocados pela acumulação de organismos. Neste projeto a equipa da Biomimetx visa adaptar os seus produtos à descontaminação de superfícies, essencial para a contenção da propagação do SARS-Cov-2.

Laboratório de FT-ICR e Espectrometria de Massa Estrutural no campus da Ciências ULisboa
As técnicas deste laboratório têm um potencial inigualável para a identificação e caracterização de compostos químicos em misturas extremamente complexas de origem biológica ou ambiental, bem como de proteínas e péptidos e um vasto universo de aplicações
Fonte Laboratório de FT-ICR e Espectrometria de Massa Estrutural Ciências ULisboa

 

Ana Subtil Simões, Área de Comunicação e Imagem Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Talhões SUSBEAUTY

Estudo coordenado por Ana Duarte Rodrigues, investigadora do DHFC e do CIUHCT, demonstra que plantas autóctones do Algarve são mais sustentáveis do que as espécies exóticas introduzidas na paisagem e que esgotam os recursos hídricos da região.

Cristina Máguas

“A Federação Europeia de Ecologia (FEE) tem objetivos muito claros – um deles é o de alargar o conhecimento ecológico à Europa”, diz Cristina Máguas, primeira portuguesa a ser eleita presidente da rede europeia de ecólogos. A tomada de posse ocorre em janeiro de 2019.

Ana Subtil Simões

O que fazem e o que pensam alguns membros da comunidade de Ciências ULisboa? O Dictum et factum de novembro é com Ana Subtil Simões, técnica superior da Área de Comunicação e Imagem de Ciências ULisboa.

Campus Ciências ULisboa

Ciências ULisboa organiza no seu campus a competição internacional destinada a treinar equipas multidisciplinares de estudantes universitários para a inovação e o empreendedorismo na área da saúde. A equipa vencedora irá participar no EIT Health Winners Event, em Londres, nos próximos dias 11 e 12 de dezembro.

Diego Rubiera-Garcia

Aos 14 anos o investigador do polo de Ciências ULisboa do IA deslumbrou-se com um livro “A criação do Universo” e a teoria do big-bang. O que mais gosta de fazer é simples: pequenos cálculos sobre ideias que lhe vêm à mente!

líquenes

O 1.º Prémio de Doutoramento em Ecologia Fundação Amadeu Dias foi atribuído a Paula Matos. A investigadora do cE3c do polo de Ciências ULisboa irá apresentar a tese em Biologia e Ecologia das Alterações Globais no 17.º Encontro Nacional de Ecologia.

João Alexandre Medina Corte-Real, professor jubilado da Universidade de Évora, docente em Ciências ULisboa durante mais de 30 anos, faleceu a 31 de outubro. A Faculdade lamenta o triste acontecimento, apresentando as condolências aos familiares, amigos e colegas.

Burnout

Saiba mais sobre a síndrome de burnout, na rubrica habitual da psicóloga do GAPsi, Andreia Santos.

Pormenor de simulação de matéria a orbitar perto de um buraco negro

Há um buraco negro supermassivo, escondido, no centro da Via Láctea anunciou o ESO. O GRAVITY, que tornou possível esta observação, foi desenvolvido por um consórcio internacional, do qual fazem parte investigadores de Ciências ULisboa e da FEUP, integrados no CENTRA.

CCDesert

Ciências ULisboa, através do cE3c e do IDL, é um dos 37 membros fundadores do Centro de Competências na Luta contra a Desertificação criado pelo Governo este verão.

HortaFCUL

Contributo da HortaFCUL para a sustentabilidade do campus em 2017/2018.

Grande auditório de Ciências ULisboa

Novo ano escolar… Vida nova para muitos caloiros… Recorde a sessão de boas-vindas aos novos alunos de 2018/2019 e conheça as histórias de alguns deles.

Ciências da Sustentabilidade

O novo doutoramento da ULisboa foi concebido no âmbito do Colégio Food, Farming and Forestry e junta 42 professores de 17 faculdades e institutos da ULisboa. A primeira edição conta com 14 alunos.

navio James Clark Ross

Vanda Brotas, professora do DBV Ciências ULisboa e investigadora do MARE ULisboa, é a coordenadora do projeto Portwims, no âmbito do qual investigadores do MARE ULisboa participam em cruzeiros oceanográficos.

Anfiteatro da fCiências.ID

A ação COST CA 16118 ou Neuro-MIG visa o estabelecimento de uma rede de médicos e cientistas para o estudo das malformações do desenvolvimento cortical humano. Em setembro passado a comissão de gestão e os grupos de trabalho desta rede estiveram reunidos em Ciências ULisboa.

<i>Deep Learning</i>

A rubrica No Campus com Helder Coelho está de volta: “O que o homem tem necessidade, quando enfrenta o complexo, é de ‘agentes’ com um pouco de mais inteligência (estendida, aumentada) e de ajuda (cooperação, colaboração)”.

Paulo Motrena

O que fazem e o que pensam alguns membros da comunidade de Ciências? O Dictum et factum de outubro é com Paulo Motrena, técnico superior do Gabinete de Organização Pedagógica da Direção Académica de Ciências ULisboa.

Sala de aulas com crianças

Cerca de 90 alunos do Colégio S. João de Brito visitaram o DQB e DG Ciências ULisboa. O projeto educativo desta escola contempla a dinamização de atividades relacionadas com as ciências experimentais, destinadas a enriquecer as aulas de Estudo do Meio.

Campus de Ciências ULisboa

José Francisco Rodrigues, professor do DM e investigador do CMAFcIO de Ciências ULisboa, escreve sobre a interação profícua entre a Matemática e a Biologia, no Ano da Biologia Matemática, que celebra o extraordinário progresso das aplicações matemáticas na Biologia.

“Reportagem Especial - Adaptação às Alterações Climáticas em Portugal”

"Reportagem Especial - Adaptação às Alterações Climáticas em Portugal" está nomeada para o prémio internacional Best Climate Solutions 2018. É o único projeto ibérico a concurso.

Sara Magalhães

Nesta fotolegenda destacamos uma passagem da entrevista com Sara Magalhães, professora do Departamento de Biologia Animal, investigadora do cE3c, e que pode ser ouvida no canal YouTube e na área multimédia do site da Faculdade.

“Tomar consciência do tipo de relação que se tem connosco pode ser muito importante, na medida em que nos ajuda a perceber de que forma andamos ou não a cuidar de nós próprios”, escreve Andreia Santos, psicóloga do Gapsi, na sua rubrica habitual.

Átrio do C3

Este ano registaram-se mais de 6000 candidaturas aos cursos de Ciências ULisboa no âmbito do Concurso Nacional de Acesso. Em ambas as fases as vagas foram totalmente preenchidas. Durante a 1.ª fase de inscrições, matricularam-se 833 estudantes. A 2.ª fase de matrículas termina a 1 de outubro.

 Noite Europeia dos Investigadores

A Noite Europeia dos Investigadores foi lançada em 2005. “Ciência na cidade” é o tema desta edição que se realiza a 28 de setembro e conta com 22 iniciativas com o carimbo de Ciências ULisboa.

Ana Simões

É a primeira vez que uma cientista portuguesa preside à European Society for the History of Science. Ana Simões, professora do DHFC e cocoordenadora do CIUHCT, tomou posse como presidente desta sociedade científica, a 16 de setembro, durante o “8th ESHS Meeting”, ocorrido em Londres. O mandato de dois anos termina em 2020.

Páginas