Estradas ameaçam milhões de aves e mamíferos na Europa

teste

Clara Grilo pretende assinalar com maior eficácia os segmentos de estradas que devem ser sujeitos a medidas de mitigação

unsplash - Michael Coury

Cerca de 194 milhões de aves e 29 milhões de mamíferos podem ser atropelados por ano nas estradas europeias, de acordo com a estimativa de uma equipa internacional de investigadores liderada por Clara Grilo, investigadora do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar (CESAM), polo da Ciências ULisboa, com sede na Universidade de Aveiro. Os resultados estão publicados na revista científica Frontiers in Ecology and Environment.

“Queríamos conhecer as espécies mais afetadas pelas estradas na Europa e mapear as áreas onde as estradas podem ser uma ameaça para as aves e mamiferos na Europa. Fizemos uma compilação dos estudos com registos de atropelamentos na Europa e desenvolvemos modelos para estimar o número de atropelamentos de espécies não estudadas e identificar quais as espécies vulneráveis à extinção local devido às estradas”, afirma Clara Grilo.

Carla Grilo com animal junto a uma estrada
A investigadora Clara Grilo, em trabalho de campo, analisa um texugo (Meles meles) morto
Imagem cedida por CG

As taxas de atropelamento variam entre as diferentes espécies e os investigadores explicam porquê. “As aves e os mamíferos com menor tamanho corporal e com caracteristicas que os tornam mais abundantes apresentam maior número de registos de atropelamento. Por exemplo, os melros e os ouriços apresentaram taxas de atropelamento particularmente elevadas”, destaca a coautora Manuela González-Suárez, professora na Universidade de Reading, no Reino Unido.

A equipa verificou ainda que as espécies podem ser particularmente vulneráveis à extinção local, mesmo com poucos atropelamentos, se estes ocorrerem em baixas densidades tais como as águias e morcegos. “Isto significa que as estradas com o maior número de atropelamentos para aves e mamíferos não coincidem espacialmente com as regiões com o maior número de espécies potencialmente vulneráveis à extinção local devido às estradas”, destaca Clara Grilo.

A coordenadora do estudo destaca ainda a necessidade de ir mais além: “Do ponto de vista da conservação, precisamos de ir para além da quantificação do número de atropelamentos, e desenvolver modelos populacionais para identificar quais as espécies que podem estar em perigo de extinção devido à perda de indivíduos, o que permite assinalar com maior eficácia os segmentos de estradas que devem ser sujeitos a medidas de mitigação”.

Serviços de Comunicação, Imagem e Relações Públicas da Universidade de Aveiro com ACI Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Alunos da FCUL

A Schlumberger realiza uma sessão de recrutamento em Ciências. As grandes empresas procuram os melhores profissionais. A FCUL apoia a inserção profissional dos seus diplomados.
 

O evento é uma organização conjunta da Norton/Symantec e do mestrado em Segurança Informática do DI-FCUL.

O DM está na Futurália

Para Duarte Flor, presidente da associação académica e aluno do 12.º ano em Ciências, é importante que os candidatos ao ensino superior visitem as instalações de uma faculdade.

Desenho de uma figura masculina

“Existe um espaço onde o sentimento de pertença a uma escola pode ser reavivado", afirma Miguel Ramos.

Aluna junto a uma das colunas do átrio do C6

A mostra pictórica da atividade científica da FCUL é inaugurada a 13 de março. Conheça as razões pelas quais deve visitar a exposição.

O que são líquidos iónicos? Num dos primeiros programas do ano, o Com Ciência entrevistou o professor e investigador da FCUL, Carlos Nieto de Castro sobre esta classe de solventes.

Desenho de uma figura masculina

A data de lançamento do livro ainda não é pública, mas o evento deverá ocorrer brevemente, na Faculdade de Belas-Artes da UL.

Ontem evocou-se o Dia das Doenças Raras. A fibrose quística é um desses males incomuns. A investigação científica é importante em todos os setores, mas ganha especial sentido em áreas como esta.

Cerca de 20 professores de Ciências da Natureza e Ciências Naturais de nove concelhos portugueses participam na atividade promovida pelo MNHNC-UL a decorrer até abril.

Imagem de um folheto promocional

A FCUL volta a marcar presença no evento, juntamente com outras unidades orgânicas da UL.

Fotografia com pontos de interrogação

Alunos finalistas aconselham Engenharia da Energia e do Ambiente. Testemunhos de Guilherme Gaspar e Ricardo Leandro.

Fotografia de mesa com cinco pessoas sentadas, na Reitoria da UL

A rede pretende formalizar colégios doutorais em áreas transversais. Opinião de Maria Amélia Martins-Loução.

Fotografia de pessoas sentadas num dos anfiteatros da FCUL

A iniciativa acontece a 17 de março e é organizada pelos Departamentos de Física e de Informática.

Fotografia de Dois voluntários, sentados junto a uma banca no átrio do C5

Em fevereiro estão abertas inscrições para a admissão de novos voluntários.

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avançados" com mais quatro instituições universitárias portuguesas e brasileiras.

Vale a pena recordar a iniciativa do Gabinete de Mobilidade, Estágios e Inserção Profissional da FCUL.

Fotografia de alunos a andarem, junto ao C8

A primeira edição do curso realiza-se já em 2012.

Outra forma de fazer turismo.

Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25.Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25

O Encontro decorreu em Junho no GeoFCUL.

Páginas