MY.SKINMIX

Ana Prata e Helena Vieira na final da 3.ª edição do Lisbon Challenge
Beta-i

O que é a MY.SKINMIX? É o projeto vencedor da 3.ª edição do Lisbon Challenge e que apresenta um conceito inovador no sector dos produtos de beleza e de cosmética: conciliar a cocriação à tecnologia cosmética.

“Pela primeira vez o cliente pode escolher a textura, atividade e aroma que mais gosta e/ou necessita e personalizar o seu próprio creme executando-o ele próprio”, explica Helena Vieira, cofundadora da MY. SKINMIX e professora convidada do DEIO de Ciências da ULisboa, para quem as aulas nesta faculdade são “uma fonte de constante inspiração” e que a fazem lembrar de praticar o que ensina.

A equipa da MY.SKINMIX é constituída ainda por Ana Prata, aluna de mestrado em Microbiologia Aplicada da Faculdade de Ciências da ULisboa e por outros três elementos de áreas distintas, como o design e a gestão.

Fonte: MY.SKINMIX
Legenda: O projeto vencedor da 3.ª edição do Lisbon Challenge concilia a cocriação e a tecnologia cosmética

Para a estudante a possibilidade de participar no Lisbon Challenge é “uma oportunidade única de aprendizagem”, considerando a experiência “mais do que extremamente positiva, completamente inesquecível”.

Questionada quanto às mais-valias do curso que frequenta, Ana Prata refere que o projeto de grupo na área da cosmética, desenvolvido no âmbito do mestrado em Microbiologia Aplicada, “permitiu abrir portas para que a MY.SKINMIX se tornasse uma realidade”. Também foi no mestrado que conheceu Helena Vieira. Além disso, a jovem destaca o “total apoio” que tem recebido “nesta aventura, quer por parte da orientadora de tese, quer por parte de todo o quadro de professores”. Em breve espera terminar a tese e potenciar o crescimento da MY.SKINMIX, com base no “rigor científico” e na “criatividade” adquiridos “ao longo dos anos nesta faculdade”.

Atualmente, a MY.SKINMIX procura investidores de capital de risco a fim de catapultar a capacidade de produção e marketing e responder aos pedidos e encomendas dos clientes.

Ana Subtil Simões, Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

Em fevereiro oTec Labs – Centro de Inovação de Ciênciasabre as portas aos parceiros do ecossistema empreendedor nacional.

Seguramente já terá ouvido falar em dados geográficos. Pelo nome, deduz-se que estejam relacionados com mapas e lugares. No entanto, estes dados vão muito para além das coordenadas geográficas, representando, entre outros, redes de transporte, águas subterrâneas, populações, temperatura e recursos energéticos.

O filme “O Primeiro Encontro” (“Arrival”) de Dennis Villeneuve (2016) aborda a hipótese de Sapir-Whorf, de 1939, que diz que “a linguagem pode influenciar os nossos pensamentos”. Hoje em dia, a validade desta ideia está assegurada, graças às neurociências, e é possível afirmar que aprender uma língua permite estabelecer imensas ligações no cérebro, alterando a sua estrutura, e influenciando o modo de olhar para o mundo, e ainda moldando a personalidade.

O que fazem e o que pensam alguns membros da comunidade de Ciências? ODictum et factumde fevereiro é com Ricardo Pereira, assistente técnico do Departamento de Engenharia Geográfica, Geofísica e Energiade Ciências.

O cE3c acaba de lançar o programa "Vamos Jogar aos Insetos em Ordem nas Escolas?", no âmbito do qual vai oferecer 200 exemplares do jogo "Insetos em Ordem" às primeiras 50 escolas públicas, que aderirem à iniciativa.

No total, desde há 57 anos, a Fundação Calouste Gulbenkian atribuiu 83 mil bolsas de estudo em diferentes áreas. Os estudantes de Ciências fazem parte destas contas.

O financiamento atribuído ao professor do Departamento de Informática e investigador do Laboratório de Sistemas Informáticos de Grande Escala (LaSIGE) de Ciências, relaciona-se com a sua participação no projetoHyperledgerda Linux Foundation, em que a IBM, a Intel e dezenas de outras empresas colaboram para construir tecnologias deblockchainpara negócios.

Partilhar o fascínio da investigação em Astronomia com crianças dos 7 aos 12 anos é um dos objetivos da iniciativaIAstro Júnior, quatro sessões gratuitas, em Lisboa e no Porto, organizadas peloInstituto de Astrofísica e Ciências do Espaçoe pelarevista Visão Júnior.

António Branco, professor do Departamento de Informática de Ciências, volta a coordenar uma nova investigação em tradução automática profunda, desta vez entre Chinês e Português, no domínio das transações de compra e venda online.

Quando falamos de um mecanismo o que queremos dizer de facto?

O Nutriageing é um projeto a pensar nos cidadãos que se interessam por temas como nutrição, partindo de argumentos científicos simples. O seu site é composto por vídeos, receitas, explicações e dicas nutricionais.

Um novo estudo genético demonstra que as populações de duas espécies de golfinhos (Tursiops aduncuseSousaspp.) que habitam as águas da Baía de Bengala, no Bangladesh, são diferentes do ponto de vista genético quando comparados com populações de golfinhos das mesmas espécies que vivem em áreas vizinhas.

Teresa Graça Costa Antunes Pereira da Costa, professora aposentada do Departamento de Biologia Vegetal (DBV) e ex-membro do antigo Centro de Biologia Ambiental de Ciências, faleceu aos 69 anos, no dia 23 de janeiro de 2017. A Faculdade lamenta o triste acontecimento, apresentando as condolências aos seus familiares, amigos e colegas.

Novo estudo demonstra pela primeira vez que é possível integrar à escala global os resultados obtidos através dos dois métodos mais utilizados no mundo para avaliar a “saúde” dos ecossistemas a partir dos líquenes que neles se encontram.

A 7.ª cadeira funcionou pela primeira vez no ano letivo de 1840/1841, caracterizando-se pela abordagem histórico-natural das matérias lecionadas que pouco se modificaram ao longo dos anos.

O ESNF2017 é o primeiro simpósio europeu dedicado apenas ao tema nanofluidos. Os organizadores pretendem que este momento fomente a colaboração entre cientistas, engenheiros e empresas.

Está a nascer um laboratório vivo de permacultura (PermaLab) na FCUL, uma zona que convida a implementação de projetos propostos pela permacultura e sua monitorização com metodologias científicas.

Maria Isabel Cordeiro Sevinate Pinto Rebelo Lopes, professora aposentada do Departamento de Biologia Vegetale ex-membro do antigo Centro de Biologia Ambiental de Ciências, faleceu aos 67 anos, no dia 12 de janeiro de 2017. A Faculdade lamenta o triste acontecimento, apresentando as condolências aos seus familiares, amigos e colegas.

O que fazem e o que pensam alguns membros da comunidade de Ciências? O primeiroDictum et factumde 2017 é com Ânia Finuras, bolseira de gestão da Área de Comunicação e Imagem de Ciências.

Adaptar para a mudança. Este foi o lema do AdaptForChange, um projeto que teve início em abril de 2015 e que ao longo de quase dois anos contribuiu para um conhecimento profundo do estado das florestas do Alentejo e que culminou com o desenvolvimento do Plano de Adaptação de Mértola às Alterações Climáticas, a implementar nos próximos anos.

Cerca de 2783 árvores, arbustos e herbáceas vão ser plantados no Estádio Universitário, até ao próximo mês de março.

O recente falecimento abre mais uma lacuna na geração dos cientistas e professores que muito contribuíram para o desenvolvimento da Química em Portugal.

Maria Inês Correia Gonçalves Macias Marques,professora aposentada da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, faleceu aos 79 anos, no dia 1 de janeiro de 2017. A Faculdade lamenta o triste acontecimento, apresentando as condolências aos seus familiares, amigos e colegas.

Inseridos no Programa de Atividades Conjuntas, do Programa Operacional Competitividade e Internacionalização , o IBEB e o BioISI de Ciências – em conjunto com outros grupos nacionais -, vão explorar o conhecimento acerca do cérebro.

O grupo de investigadores da Masaryk University, na República Checa; da Mykolas Romeris University, na Lituânia; das universidades Politécnica de Madrid e de Oviedo, em Espanha; do Centro de Estudos Geográficos do Instituto de Geografia e Ordenamento do Território e do Instituto Dom Luiz analisaram a evolução da temperatura nas dez estações da Península Antártica desde o início da década de 1950 até 2015.

Páginas