Novo ciclo de conferências arranca a 22 de junho

Quais são os Andamentos da Ciência?

Primeira sessão conta com José Madeira e a crise sismo-vulcânica de São Jorge

sao jorge ao fundo e logotipo da iniciativa

A primeira sessão do ciclo de conferências aborda a crise sismo-vulcânica da ilha de São Jorge, nos Açores

GICD Ciências ULisboa

“Andamentos da Ciência” é o novo ciclo de conferências da Ciências ULisboa que arranca no próximo dia 22 de junho. Nesta iniciativa, especialistas de diferentes áreas do conhecimento vão partilhar o saber sobre os temas mais atuais da sociedade, na forma de comunicações inspiradas nas palestras TED.

A forma como se faz ciência é marcada por vários ritmos, várias escalas de tempos – vários andamentos – desde os picossegundos aos milhões de anos. O que aprender da ligação entre diversas áreas da ciência na resposta a questões atuais? É a resposta que este ciclo pretende dar, com a participação de vários oradores, professores e investigadores de dentro e fora da Faculdade. Os “Andamentos da Ciência” pretendem dar as respostas de forma clara e descomplicada, despertando a curiosidade de todos.

A ideia original para este conjunto de conferências é de Pedro Almeida, subdiretor para a Comunicação e Imagem e Relações Externas, estando a organização dos eventos a cargo do Gabinete de Comunicação de Ciência, da Direção de Comunicação e Imagem da Faculdade. Marta Daniela Santos, coordenadora do Gabinete, deixa o convite: “deixem-se levar pela música da Ciência e venham aprender connosco, participando com as questões que nunca tiveram a oportunidade de colocar!”.

A 22 de junho, quarta-feira, pelas 17h00, realiza-se a primeira sessão. Ciências ULisboa convida todos os interessados para uma “viagem ao tempo profundo”, pela mão de José Madeira, professor do Departamento de Geologia na Ciências ULisboa e investigador no Instituto Dom Luiz (IDL).

Olhar para o passado para compreender o presente: o que sabemos sobre a crise sismo-vulcânica em São Jorge, Açores?” é o nome da sessão, que tem lugar na sala 8.2.39 (edifício C8, piso 2). A participação é livre, mas sujeita à capacidade da sala. No final, os interessados poderão participar numa visita guiada à sala de atividades de sismologia do IDL (participação sujeita a inscrição).

 

Olhar para o passado para compreender o presente: o que sabemos sobre a crise sismo-vulcânica em São Jorge, Açores?

Por José Madeira

Vivendo numa região tectónica e vulcanicamente ativa, os açorianos estão habituados aos sismos de baixa intensidade que se sentem regularmente nas várias ilhas. Na verdade, o arquipélago é a parte visível à superfície do oceano de um alinhamento de vulcões oceânicos ativos que se foram modificando ao longo de milhões de anos.

Mas, a 19 de março de 2022, os habitantes de São Jorge ficaram sobressaltados. Um número elevado de sismos de baixa e média magnitude, bastante acima dos valores de referência, começaram a ser sentidos. A sua frequência deixava no ar a dúvida: estaria iminente um cenário de erupção vulcânica? Este cenário tornava-se mais presente dada a recente crise sísmica que antecedeu a erupção vulcânica em La Palma, Canárias, com severas consequências económicas e sociais.

As semanas que se seguiram, com detalhado acompanhamento científico e trabalho de sensibilização junto da população, mostraram que a frequência dos sismos foi baixando e, consequentemente diminuindo o alarme.

O que sabemos sobre o passado geológico de São Jorge? Desde a chegada dos portugueses à ilha, no século XV, existem registos de sismos de magnitude elevada, crises sísmicas e três erupções. Venha conhecer o passado geológico desta ilha, para melhor compreender o seu futuro.

GJ Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Vela

Ricardo Leandro é o vencedor da Competição Europeia. O estudante da FCUL apresentou a melhor ideia: um coletor solar térmico de baixo custo, acoplável a um módulo fotovoltaico.

A palestra "O Princípio do Tempo" proferida por Pedro Gil Ferreira é uma das iniciativas do “VII Encontro Ibérico de Cosmologia”, que decorre em abril nas instalações da FCUL.

Jovem usa microscópio

A FCUL estimula a abertura permanente à sociedade civil, promovendo acontecimentos que visam a disseminação de conhecimentos e a interligação com diferentes agentes sociais.

Os vários objectivos do DEGGE: Tudo o que nos define, e tudo o que apoiamos

O ENEI'12 vai realizar-se na FCUL.

ESTRUTURA E GESTÃO DO DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA ANIMAL (DBA)

Apresentação do Departamento

Paleontólogos do MNHN da UL e do GeoFCUL em foco na revista TVmais.

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avançados" com mais quatro instituições universitárias portuguesas e brasileiras.

O DQB e a FCUL acolheram, mais uma vez, a realização de provas semifinais das Olimpíadas de Química Júnior 2012 no sábado, 14 de abril de 2012.

Pessoas estudam numa mesa na biblioteca

“Acho que qualquer aluno consegue ser bom, se tiver uma boa disciplina de trabalho e objetivos concretos”. Quem o diz é Gonçalo Faria da Silva, estudante do 3.º ano de Biologia.

No penúltimo dia de março realiza-se a quinta e última sessão do workshop destinado a preparar os estudantes para a obtenção do 1.º emprego.

 

Alunos da FCUL

A Schlumberger realiza uma sessão de recrutamento em Ciências. As grandes empresas procuram os melhores profissionais. A FCUL apoia a inserção profissional dos seus diplomados.
 

O evento é uma organização conjunta da Norton/Symantec e do mestrado em Segurança Informática do DI-FCUL.

O DM está na Futurália

Para Duarte Flor, presidente da associação académica e aluno do 12.º ano em Ciências, é importante que os candidatos ao ensino superior visitem as instalações de uma faculdade.

Desenho de uma figura masculina

“Existe um espaço onde o sentimento de pertença a uma escola pode ser reavivado", afirma Miguel Ramos.

Aluna junto a uma das colunas do átrio do C6

A mostra pictórica da atividade científica da FCUL é inaugurada a 13 de março. Conheça as razões pelas quais deve visitar a exposição.

O que são líquidos iónicos? Num dos primeiros programas do ano, o Com Ciência entrevistou o professor e investigador da FCUL, Carlos Nieto de Castro sobre esta classe de solventes.

Desenho de uma figura masculina

A data de lançamento do livro ainda não é pública, mas o evento deverá ocorrer brevemente, na Faculdade de Belas-Artes da UL.

Ontem evocou-se o Dia das Doenças Raras. A fibrose quística é um desses males incomuns. A investigação científica é importante em todos os setores, mas ganha especial sentido em áreas como esta.

Cerca de 20 professores de Ciências da Natureza e Ciências Naturais de nove concelhos portugueses participam na atividade promovida pelo MNHNC-UL a decorrer até abril.

Imagem de um folheto promocional

A FCUL volta a marcar presença no evento, juntamente com outras unidades orgânicas da UL.

Fotografia com pontos de interrogação

Alunos finalistas aconselham Engenharia da Energia e do Ambiente. Testemunhos de Guilherme Gaspar e Ricardo Leandro.

Fotografia de mesa com cinco pessoas sentadas, na Reitoria da UL

A rede pretende formalizar colégios doutorais em áreas transversais. Opinião de Maria Amélia Martins-Loução.

Páginas