Primeira Training School da Ação COST CLEANFOREST realiza-se em CIÊNCIAS

CLEANFOREST na vanguarda da compreensão dos efeitos dos extremos climáticos e poluição nas florestas Europeias

Fotografia de participantes na Training School

Realizou-se em Portugal, mais precisamente em CIÊNCIAS, no CE3C, de a 6 a 9 de maio a training school Monitoring spatiotemporal changes in global change drivers and their effects on semiarid woodlands and forests, com o objetivo de aprofundar o conhecimento sobre os efeitos e fatores que concorrem para as alterações globais em florestas e bosques semiáridos.

Esta escola decorreu em formato presencial e contou com 26 participantes provenientes dos quatro cantos do mundo. Este grupo heterogéneo era formado por estudantes de doutoramento e post-docs com os mais diversos perfis (e.g. ecologia, conservação, química, geografia, ciências agrárias e ciências florestais), oriundos de 20 países, que se uniram em torno de um interesse comum: contribuir para o avanço do conhecimento com soluções inovadoras, em várias áreas que afetam esses ecossistemas, como a qualidade do ar e os extremos climáticos.

A sessão de abertura contou com a presença de Margarida Santos-Reis, Subdiretora para a Investigação, e Cristina Branquinho, membro da equipa que lidera o grupo de trabalho sobre interações entre fatores de mudança global e processos biogeoquímicos das árvores e solo.

“É essencial que nesta matéria se assuma uma perspetiva holística na resposta aos problemas que afetam as florestas, contribuindo para a definição de uma trajetória europeia que abarca as alterações climáticas, mitigando os efeitos negativos.”, diz Cristina Branquinho, professora e especialista da área.

Logo no segundo dia, realizou-se a visita de campo à Companhia das Lezírias, onde os participantes visitaram um dos sítios de investigação ecológica de longo prazo da plataforma LTsER Montado e tiveram a oportunidade de confrontar e explorar os problemas da sala de aula em contexto natural, nomeadamente medir a saúde dos ecossistemas florestais submetidos a diferentes níveis de stress.

Estabelecer parcerias e fortalecer as redes de colaboração são os grandes objetivos das Ações COST, tendo-se realizado no dia 9 de maio uma reunião paralela da Direção da CIÊNCIAS com Michael Mirtl, Coordenador da Integrated European Long-Term Ecosystem, Critical Zone and Socio-Ecological Research Infrastructure e com a representante da Fundação para a Ciência e a Tecnologia para as Relações Internacionais, que perspetivou os próximos passos no processo de candidatura da rede europeia de investigação socio-ecológica de longo-prazo (rede eLTER) a infraestrutura ERIC e no qual a CIÊNCIAS tem sido um parceiro ativo enquanto representante da rede nacional.


Legenda: Michael Mirtl, Joana Pinheiro (FCT IP), Margarida Santos-Reis (Vice-Diretora FCUL para a Investigação e Repres. Nacional da Rede de Investigação Socio-Ecológica de Longo-Prazo – LTsER Portugal) e Luís Carriço (Diretor FCUL).

Cumprida uma semana exaustiva de trabalho e aprendizagem, ficam os testemunhos dos participantes:

“Esta Escola proporcionou uma abordagem prática e holística para a poluição do ar e seus efeitos, incluindo vários componentes do ecossistema, como liquens e amostragem de solo e vegetação.”, nas palavras de Midori Yajima, jovem aluna de doutoramento.

“As minhas expectativas eram desfrutar de Portugal, aprender algo novo e ter muitas risadas. Fiquei surpreendido, as minhas expectativas foram superadas. Conheci pessoas incríveis, algumas com investigação na mesma área que eu, com os mesmos desafios, o que é raro para o assunto específico em que trabalho. Além disso, finalmente pude ver a árvore de carvalho mais famosa do mundo (sobreiro), que eu realmente queria conhecer.”, disse-nos Ivan Limic, post-doc na Croácia.

Celma Padamo (DCI CIÊNCIAS) em colaboração com Maria Alexandra Oliveira (Post-doc CE3C)
cspadamo@ciencias.ulisboa.pt

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avançados" com mais quatro instituições universitárias portuguesas e brasileiras.

Vale a pena recordar a iniciativa do Gabinete de Mobilidade, Estágios e Inserção Profissional da FCUL.

Fotografia de alunos a andarem, junto ao C8

A primeira edição do curso realiza-se já em 2012.

Outra forma de fazer turismo.

Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25.Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25

O Encontro decorreu em Junho no GeoFCUL.

Páginas