Programa de Estímulo à Investigação

Entrevista com… Sara Realista

Sara Realista foi uma das cientistas de Ciências distinguida em 2013 através do Programa de Estímulo à Investigação da Fundação Calouste Gulbenkian, com o projeto "Smart polymer switches for green CO2 capture".

O percurso académico da investigadora foi traçado na FCUL. De 2008 até ao ano de 2011, desenvolveu a licenciatura na área da Química. Em 2011, iniciou o mestrado, na mesma área, vindo a concluí-lo em 2013.

Atualmente, a aluna faz parte do Centro de Química e Bioquímica, que considera ser “um centro de excelência e com a grande vantagem de ter grupos de investigação muito competentes e que apresentam qualidades individuais elevadas”.

Fique a saber mais sobre o seu trabalho, distinguido pelo Programa de Estímulo à Investigação da Fundação Calouste Gulbekian, na entrevista a seguir apresentada.

Sara Realista
"O Centro de Química e Bioquímica de Ciências é um centro de excelência e tem a grande vantagem de ter grupos de investigação muito competentes", afirma Sara Realista
Fonte Cedida por SR

Em que consiste o projeto distinguido pela Gulbenkian?

Sara Realista (SR) - O projeto distinguido pela Gulbenkian tem como objetivo a captura de dióxido de carbono e a sua conversão noutro tipo de produtos de valor acrescentado, como metano, etano, metanol, entre outros. Deste modo, podemos estar a solucionar um problema ambiental bem como a produzir bens úteis para a indústria e com mais-valia para a sociedade.

Em que contexto surge?

SR - Este projeto tem por base a crescente preocupação com alterações dramáticas e irreversíveis no nosso ecossistema devido ao aumento da concentração de dióxido de carbono na atmosfera. Ao converter o dióxido de carbono noutros produtos, estamos a usar algo que temos em excesso e que é prejudicial para produzir bens que podem ser úteis à sociedade e/ou às indústrias.

Qual o objetivo e/ou objetivos do trabalho?

SR - O trabalho tem três objetivos principais, o primeiro consiste na síntese de diversos compostos contendo o metal zinco. Esses compostos serão usados na formação de filmes poliméricos que serão os materiais a testar quanto à sua eficiência na conversão eletroquímica de dióxido de carbono noutros produtos.
 

Que importância atribui a este tipo de incentivos?

SR - Este tipo de incentivos é cada vez mais importante para os jovens nos tempos que correm. Trata-se de um enorme estímulo para quem está a iniciar a sua carreira na investigação científica, que é o meu caso, e penso que o caso de todos tendo em conta que o programa se destina a jovens com idades inferiores a 26 anos. É de extrema importância apostar nos jovens em Portugal e que se divulgue este tipo de incentivos por forma a demonstrar a qualidade da ciência que se faz no nosso país e a qualidade dos centros que apoiam estes jovens.

O que significa o reconhecimento deste trabalho para o centro de investigação do qual faz parte, e que está envolvido no projeto?

SR - O centro envolvido neste projeto acaba por beneficiar desta distinção ganhando alguma notoriedade e tornando-se mais apelativo para jovens que procuram centros de excelência para exercerem os seus projetos de investigação.

Quais as mais-valias de trabalhar nesse mesmo local?

SR - O Centro de Química e Bioquímica de Ciências é um centro de excelência e tem a grande vantagem de ter grupos de investigação muito competentes e que apresentam qualidades individuais elevadas.

Quem a apoiou na faculdade, neste projeto?

SR - Na Faculdade tive especialmente o apoio de Paulo Nuno Martinho,bolseiro de pós-doutoramento do Grupo de Química Inorgânica Teórica, que me incentivou à candidatura e que é o meu orientador neste projeto. Tive também o apoio da professora Maria José Calhorda que é a chefe do grupo onde estou inserida e com quem trabalho desde que me iniciei na investigação. De outro grupo do CQB, Grupo de Eletroquímica Interfacial, tive o apoio da Ana Melato com quem colaboro há algum tempo.

Sara Realista na cerimónia da FCG
Sara Realista apresentou o projeto "Smart polymer switches for green CO2 capture", durante a cerimónia de atribuição das bolsas
Fonte Cedida por SR

Que importância considera ter o seu trabalho para a área científica em que se insere?

SR - Tendo em conta o crescente problema que é o aumento da concentração de dióxido de carbono na atmosfera, são necessárias atitudes que não adiem o problema mas que o resolvam. Cada vez mais, a comunidade científica tem direcionado os seus horizontes de investigação para resolver esta temática.

Qual o seu caráter “criativo e inovador”? O que o distingue dos demais?

SR - Essencialmente é a ideia de ser possível utilizar algo que está a ser prejudicial para produzir algo que possa ser útil. Também o facto de se usar a corrente elétrica (conversão eletroquímica do dióxido de carbono) e um material à base de zinco, e não outros tipos de recursos químicos mais pesados e/ou poluentes.

Que importância assume esta distinção a nível pessoal e profissional?

SR - Esta distinção tem tanta importância a nível pessoal como profissional. A nível pessoal trata-se de um grande estímulo e recompensa pelo tempo dispendido para a investigação. A nível profissional é algo que enriqueceu o meu curriculum e que vai ter sem dúvida relevância nos anos que se seguem. Ainda a nível profissional é de extrema importância o apoio que a Fundação Calouste Gulbenkian dá a nível financeiro pois não se faz ciência de qualidade sem se investir previamente em material e equipamento à altura.

Que aplicação irá ter?

SR - Este projeto tem a possibilidade de ter aplicação na área da indústria. Para tal, é necessário a investigação profunda do projeto antes de se avançar para qualquer tipo de aplicação à larga escala. Não se pode falar em aplicação à larga escala sem ter investigação fundamental do processo. Por isso, e ao contrário do que muitos possam pensar, a investigação fundamental dos processos e dos materiais é de extrema importância, antes de qualquer passo para a aplicação a larga escala.

Sara Realista na cerimónia de atribuição das bolsas da FCG
 A cerimónia de atribuição das bolsas no âmbito do Programa de Estímulo à Investigação ocorreu em fevereiro  passado
Fonte Cedida por SR

De que forma os ensinamentos adquiridos na Faculdade contribuíram/estão a contribuir para a conceção deste trabalho?

SR - Toda a minha formação académica - licenciatura e mestrado -, ocorreu na Faculdade e foi sem dúvida esta instituição que contribuiu para a obtenção deste prémio. Proporcionou-me os melhores ensinamentos tanto a nível pessoal como a nível científico, tendo em conta os excelentes profissionais que nela estão inseridos.

Quais as mais-valias de trabalhar nesse mesmo local?

SR - Tanto a Faculdade como o CQB proporcionam um bom ambiente de trabalho e além disso fornecem a maior parte dos instrumentos que necessito para desenvolver este projeto.

Futuramente, qual será a aplicação do projeto? Terá continuidade no processo de investigação?

SR - O projeto terá continuidade através da minha tese de doutoramento, cujo tema é o mesmo, a conversão de dióxido de carbono em produtos/bens úteis à sociedade/indústria.

Raquel Salgueira Póvoas, Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura
info.ciencias@fc.ul.pt
Margarida Fortes, docente do Departamento de Biologia Vegetal de CIÊNCIAS dá uma aula em frente a um quadro com uma projeção imagética

Margarida Fortes, professora de CIÊNCIAS, visitou a Escola Secundária de Carcavelos para dar uma aula acerca da edição genética.

Um grupo de membros de Instituições do Ensino Superior, onde se inclui CIÊNCIAS, está reunido em frente a um jardim, em visita à Siemens

 A iniciativa teve como objetivo aproximar a academia do tecido empresarial.

Nuno Gonçalves alcança o segundo lugar na competição 3MT ULisboa.

Nuno Gonçalves foi distinguido com o segundo lugar, na final da competição ‘Três Minutos de Tese – 3MT ULisboa’, que se realizou esta quint

Inês Ventura

Inês Ventura, a desenvolver o seu doutoramento no Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE) e no Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (

Universidade de Lisboa

A Universidade de Lisboa alcança a 260ª posição no QS World University Rankings (SUR) 2025, tornando-se na universidade portuguesa mais bem classificada neste ranking.

Signatários do acordo

Dia 5 de junho foi assinado o acordo para a construção do espectrógrafo ANDES (ArmazoNes high Dispersion Echelle Spectrograph – Espectrógrafo Echelle de alta dispersão do Armazones), entre o Observatório Europeu do Sul (

 Luís Carriço, Diretor de CIÊNCIAS, e David Gonçalves, Dean do Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ) assinam acordo sentados a uma mesa

CIÊNCIAS assinou no dia 5 de junho um acordo de cooperação com o Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ)

Equipa do projeto 'Ciências em Harmonia'

Esta terça-feira, 28 de maio, o projeto ‘Ciências em Harmonia’ assinalou o seu primeiro ano de atividades: um marco comemorado com um convívio informal com a comunidade, que

António Branco

António Branco, docente do Departamento de Informática de CIÊNCIAS, foi um dos oradores convidados da conferência que

Sabemos que no futuro um sismo de magnitude significativa voltará a atingir Lisboa. Não sabemos é quando. E se o pudéssemos prever? E se existisse uma probabilidade forte de ser já em 2027?

Ana Santos, finalista 3MT ULisboa

Ao longo dos próximos dias, daremos a conhecer os quatro finalistas de CIÊNCIAS que irão participar na final da competição

Painel e sessão de Perguntas & Respostas | Estreia de documentário

Perto de 120 pessoas assistiram este sábado, 25 de maio, à estreia do documentário ‘O que se esconde na luz? A ciência da missão espacial Euclid’, produzido pelo Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA).

Investigadores do Instituto Dom Luiz, de CIÊNCIAS, instalaram um sismómetro na Escola Básica Professor Delfim Santos, que se encontra a menos de um quilómetro do Estádio da Luz, em Lisboa, onde vão ter lugar os concertos.

Banner Bênção de Finalistas & Queima das Fitas 2024

Este fim de semana a Alameda da Universidade de Lisboa vai voltar a encher-se de finalistas de CIÊNCIAS e de tantas outras faculdades e universidades. A cerimónia de Bênção de Finalistas decorre amanhã dia 25 de maio, a partir das 11h30.

 

3MT ULisboa 2024

Quatro dos doze finalistas da competição ‘Três Minutos de Tese – Universidade de Lisboa’ são de CIÊNCIAS.

Pinguins-de-adélia

Num artigo agora publicado na Science, investigadores de instituições de renome a nível mundial propõem uma estratégia para envolver todas as partes interessadas na governança do Oceano Antártico através de um processo de ordenamento do espaço marinho (OEM) inteligente do ponto de vista climático.

Impressão artística da missão Euclides no espaço.

A 25 de maio (sábado), às 21h00, vamos ver e compreender as novas imagens de entre as maiores alguma vez feitas do Universo, no Grande Auditório de CIÊNCIAS (Edifício C3). A entrada é livre.

Redes Doutorais Marie Curie Projeto PROMOTE

CIÊNCIAS vai participar numa das propostas vencedoras do concurso 2023 das Redes Doutorais de Ações Marie Skłodowska-Curie (MSCA DN).

Foto de entrega de prémio aos vencedores

No âmbito do projeto Invasives e como atividade inserida na

Dia Nacional dos Cientistas - 16 de maio

O Dia Nacional dos Cientistas foi instituído em 2016 por Resolução da Assembleia da República com o objetivo de reconhecer e celebrar a contribuição vital dos cientistas para o progresso da sociedade.

CIÊNCIAS e OKEANOS em parceria para monitorizar biodiversidade e alterações dos ecossistemas marinhos

Projeto internacional SEAGHOSTS visa a monitorização e conservação das populações de painhos, as aves marinhas mais pequenas do planeta.

Reitoria da ULisboa

O CWUR 2024 avaliou de entre 20.966 instituições de ensino superior e atribuiu à ULisboa o 211.º lugar (top 1.1%) e a 80.ª posição no panorama europeu.

Páginas