Investigadores da Ciências ULisboa e da UBI participam na experiência CLOUD no CERN

Novo mecanismo pode acelerar perda de gelo marinho no Ártico

Science apresenta resultados de importância fundamental para a compreensão do clima atual e sua evolução futura

CLOUD

A CLOUD investiga como as partículas de aerossol, sob condições atmosféricas cuidadosamente controladas em laboratório, se formam e crescem a partir de gases reativos

CERN
esquema da formação de nuvens a partir de precursores de iodo nos ambientes Ártico e marinho
Esquema da formação de nuvens a partir de precursores de iodo nos ambientes Ártico e marinho. As espécies de iodo, emitidas do gelo marinho e da superfície do mar, são rapidamente fotolisadas para formar oxoácidos de iodo que formam novas partículas e podem crescer para se tornarem novos núcleos de condensação
Fonte Helen Cawley

As partículas de aerossol atmosférico podem modificar as nuvens e o clima ou contribuir para a poluição urbana. O estudo “Role of iodine oxoacids in atmospheric aerosol nucleation” publicado esta sexta-feira na Science apresenta os resultados da experiência CLOUD (Cosmics Leaving Outdoor Droplets), anuncia o CERN. Este artigo é assinado por mais de cem investigadores, entre os quais se contam João Almeida, António Amorim, António Dias e António Tomé.

A CLOUD investiga como as partículas de aerossol, sob condições atmosféricas cuidadosamente controladas em laboratório, se formam e crescem a partir de gases reativos.

Esta experiência simulou os efeitos dos raios cósmicos usando um feixe de partículas do CERN (Proton Síncrotron) para dessa forma investigar como os raios cósmicos influenciam a criação e a estrutura das nuvens e consequentemente o clima da Terra.

A atmosfera no interior da câmara CLOUD é caracterizada por um nível de contaminantes muito mais baixos do que outras câmaras anteriores permitindo medir a nucleação de partículas e seu crescimento numa mistura rigorosamente controlada de vapores.

O estudo agora publicado debruçou-se na formação de novas partículas a partir de vapores sob as condições da camada limite marinha.

“A formação de partículas de ácido iódico é provavelmente especialmente importante nas regiões marinhas onde o ácido sulfúrico e a amónia existem em concentrações extremamente baixas. Na verdade, a formação regular de novas partículas sobre a camada de gelo do Ártico foi relatada recentemente, impulsionada pelo ácido iódico com pouca contribuição do ácido sulfúrico. As implicações para a evolução do clima são notáveis. As emissões globais de iodo triplicaram nos últimos 70 anos e podem continuar a aumentar no futuro, à medida que o gelo marinho se torna mais fino. O aumento resultante de ácido iódico e respetivos núcleos de condensação precursores das nuvens podem aumentar o forçamento radiativo na região dos infravermelhos devido à cobertura das nuvens e proporcionar um mecanismo de realimentação positiva que acelerará a perda de gelo marinho no Ártico”, contam os investigadores.

A participação portuguesa neste trabalho foi financiada pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia no âmbito de um projeto que tem António Tomé, professor da Universidade da Beira Interior (UBI) e investigador do Instituto Dom Luiz (IDL) como investigador responsável e cuja equipa conta ainda com a presença de Sandra Mogo, investigadora do IDL e professora da UBI; José Páscoa e Paulo Pimentel de Oliveira, professores da UBI e de António Amorim, professor do Departamento de Física da Ciências ULisboa e investigador do CENTRA.

ACI Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

No penúltimo dia de março realiza-se a quinta e última sessão do workshop destinado a preparar os estudantes para a obtenção do 1.º emprego.

 

Alunos da FCUL

A Schlumberger realiza uma sessão de recrutamento em Ciências. As grandes empresas procuram os melhores profissionais. A FCUL apoia a inserção profissional dos seus diplomados.
 

O evento é uma organização conjunta da Norton/Symantec e do mestrado em Segurança Informática do DI-FCUL.

O DM está na Futurália

Para Duarte Flor, presidente da associação académica e aluno do 12.º ano em Ciências, é importante que os candidatos ao ensino superior visitem as instalações de uma faculdade.

Desenho de uma figura masculina

“Existe um espaço onde o sentimento de pertença a uma escola pode ser reavivado", afirma Miguel Ramos.

Aluna junto a uma das colunas do átrio do C6

A mostra pictórica da atividade científica da FCUL é inaugurada a 13 de março. Conheça as razões pelas quais deve visitar a exposição.

O que são líquidos iónicos? Num dos primeiros programas do ano, o Com Ciência entrevistou o professor e investigador da FCUL, Carlos Nieto de Castro sobre esta classe de solventes.

Desenho de uma figura masculina

A data de lançamento do livro ainda não é pública, mas o evento deverá ocorrer brevemente, na Faculdade de Belas-Artes da UL.

Ontem evocou-se o Dia das Doenças Raras. A fibrose quística é um desses males incomuns. A investigação científica é importante em todos os setores, mas ganha especial sentido em áreas como esta.

Cerca de 20 professores de Ciências da Natureza e Ciências Naturais de nove concelhos portugueses participam na atividade promovida pelo MNHNC-UL a decorrer até abril.

Imagem de um folheto promocional

A FCUL volta a marcar presença no evento, juntamente com outras unidades orgânicas da UL.

Fotografia com pontos de interrogação

Alunos finalistas aconselham Engenharia da Energia e do Ambiente. Testemunhos de Guilherme Gaspar e Ricardo Leandro.

Fotografia de mesa com cinco pessoas sentadas, na Reitoria da UL

A rede pretende formalizar colégios doutorais em áreas transversais. Opinião de Maria Amélia Martins-Loução.

Fotografia de pessoas sentadas num dos anfiteatros da FCUL

A iniciativa acontece a 17 de março e é organizada pelos Departamentos de Física e de Informática.

Fotografia de Dois voluntários, sentados junto a uma banca no átrio do C5

Em fevereiro estão abertas inscrições para a admissão de novos voluntários.

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avançados" com mais quatro instituições universitárias portuguesas e brasileiras.

Vale a pena recordar a iniciativa do Gabinete de Mobilidade, Estágios e Inserção Profissional da FCUL.

Fotografia de alunos a andarem, junto ao C8

A primeira edição do curso realiza-se já em 2012.

Outra forma de fazer turismo.

Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25.Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25

O Encontro decorreu em Junho no GeoFCUL.

Páginas