“O impacto da subida da temperatura nos ecossistemas subterrâneos é imprevisível”

Ana Sofia Reboleira coordena estudo publicado na Scientific Reports

Cientista em gruta

A gruta portuguesa hotspot de biodiversidade subterrânea

Imagem cedida por ASR

Um estudo publicado na Scientific Reports e coordenado por Ana Sofia Reboleira, professora no Departamento de Biologia Animal da Ciências ULisboa e investigadora no Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais (cE3c), analisou mais de 100000 medições de temperaturas em grutas localizadas em diversas zonas climáticas, desde as tropicais às subárticas, passando por Portugal continental e ilhas.

Scripta manent. O que se escreve, fica, permanece.

Estudo de Ana Sofia Reboleira em destaque em vários media nacionais: Gazeta das Caldas, Jornal do Algarve, Green Savers Online, Algarve Primeiro Online, Açoriano Oriental, Barlavento Online, Diário de Aveiro online, Diário de Leiria online, Impala online, O Minho, Notícias ao Minuto, Observador, Sapo, Visão.

“Os resultados permitem, pela primeira vez, a nível global confirmar que a temperatura debaixo de terra é equivalente à média anual exterior”, diz a cientista, acrescentando que “o aumento da temperatura média à superfície levará ao aumento da temperatura debaixo de terra, onde estão guardadas as maiores reservas de água doce disponíveis para o consumo humano imediato”. A cientista - eleita personalidade de 2023 pela redação da Gazeta das Caldas -, refere ainda que “o impacto da subida da temperatura nos ecossistemas subterrâneos é imprevisível, mas terá seguramente consequências na qualidade das reservas de água".

O artigo “Temperature variation in caves and its significance for subterranean ecosystems” publicado online a 25 de novembro de 2023 é assinado ainda por Maria J. Medina, Dragan Antić, Paulo A. V. Borges, Špela Borko, Cene Fišer, Stein-Erik Lauritzen, Jose L. Martín, Pedro Oromí, Martina Pavlek, Ester Premate, Ken P. Puliafico e Alberto Sendra. Maria J. Medina, primeira autora do artigo, foi aluna de Ana Sofia Reboleira, no mestrado em Ecologia e Gestão Ambiental, tendo defendido a sua dissertação em 2022.

Uma das grutas estudada no âmbito deste trabalho é um hotspot mundial de biodiversidade subterrânea. A gruta que colocou Portugal na lista das zonas mais ricas em fauna cavernícola a nível mundial encontra-se localizada no Algarve, no município de Loulé, e é uma cavidade de elevadíssimo valor para a conservação da natureza, uma vez que alberga uma grande diversidade. Outras grutas hotspot mundial de biodiversidade subterrânea presentes no estudo são a Planina, na Eslovénia, e Viento nas Canárias, no arquipélago Espanhol, no Oceano Atlântico.

Para os autores deste artigo as grutas são “janelas” para a observação dos ecossistemas subterrâneos que se encontram distribuídos em todo o planeta e cuja vasta maioria é inacessível aos seres humanos. Estes ecossistemas albergam a maior reserva de água doce disponível para o consumo humano imediato, e são habitados por organismos únicos e altamente adaptados, que garantem a qualidade destas reservas estratégicas para o futuro da humanidade.

Os cientistas referem que as variações de temperatura à superfície são refletidas no subsolo, ameaçando as comunidades de organismos subterrâneos, e comprometendo a qualidade da água.

Este estudo revela também a existência de ciclos térmicos diários em algumas cavernas. Em ecossistemas com total ausência de luz, os organismos carecem de ritmos circadianos, ou seja, ritmos biológicos marcados pela natural cadência do dia e da noite controlada pela luz solar à superfície. “Esta descoberta surpreendente mostra que estes ciclos térmicos diários podem potencialmente controlar os ritmos biológicos dos organismos subterrâneos”, explica Ana Sofia Reboleira.

Gabinete de Jornalismo da DCI Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

A cientista Ana Russo, investigadora do Instituto Dom Luiz (IDL), visitou duas escolas básicas do concelho de Sintra no dia 23 de abril para rea

Branca Edmée Marques, cientista alumna de CIÊNCIAS

Branca Edmée Marques, alumna de CIÊNCIAS, será homenageada no dia 20 de junho pelos Museus da Universidade de Lisboa

Margarida Fortes, docente do Departamento de Biologia Vegetal de CIÊNCIAS dá uma aula em frente a um quadro com uma projeção imagética

Margarida Fortes, professora de CIÊNCIAS, visitou a Escola Secundária de Carcavelos para dar uma aula acerca da edição genética.

Um grupo de membros de Instituições do Ensino Superior, onde se inclui CIÊNCIAS, está reunido em frente a um jardim, em visita à Siemens

 A iniciativa teve como objetivo aproximar a academia do tecido empresarial.

Nuno Gonçalves alcança o segundo lugar na competição 3MT ULisboa.

Nuno Gonçalves foi distinguido com o segundo lugar, na final da competição ‘Três Minutos de Tese – 3MT ULisboa’, que se realizou esta quint

Inês Ventura

Inês Ventura, a desenvolver o seu doutoramento no Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE) e no Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (

Universidade de Lisboa

A Universidade de Lisboa alcança a 260ª posição no QS World University Rankings (SUR) 2025, tornando-se na universidade portuguesa mais bem classificada neste ranking.

Signatários do acordo

Dia 5 de junho foi assinado o acordo para a construção do espectrógrafo ANDES (ArmazoNes high Dispersion Echelle Spectrograph – Espectrógrafo Echelle de alta dispersão do Armazones), entre o Observatório Europeu do Sul (

 Luís Carriço, Diretor de CIÊNCIAS, e David Gonçalves, Dean do Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ) assinam acordo sentados a uma mesa

CIÊNCIAS assinou no dia 5 de junho um acordo de cooperação com o Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ), com vista à cooperação científica em várias áreas de interesse comum.

Equipa do projeto 'Ciências em Harmonia'

Esta terça-feira, 28 de maio, o projeto ‘Ciências em Harmonia’ assinalou o seu primeiro ano de atividades: um marco comemorado com um convívio informal com a comunidade, que

António Branco

António Branco, docente do Departamento de Informática de CIÊNCIAS, foi um dos oradores convidados da conferência que

Sabemos que no futuro um sismo de magnitude significativa voltará a atingir Lisboa. Não sabemos é quando. E se o pudéssemos prever? E se existisse uma probabilidade forte de ser já em 2027?

Ana Santos, finalista 3MT ULisboa

Ao longo dos próximos dias, daremos a conhecer os quatro finalistas de CIÊNCIAS que irão participar na final da competição

Painel e sessão de Perguntas & Respostas | Estreia de documentário

Perto de 120 pessoas assistiram este sábado, 25 de maio, à estreia do documentário ‘O que se esconde na luz? A ciência da missão espacial Euclid’, produzido pelo Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA).

Investigadores do Instituto Dom Luiz, de CIÊNCIAS, instalaram um sismómetro na Escola Básica Professor Delfim Santos, que se encontra a menos de um quilómetro do Estádio da Luz, em Lisboa, onde vão ter lugar os concertos.

Banner Bênção de Finalistas & Queima das Fitas 2024

Este fim de semana a Alameda da Universidade de Lisboa vai voltar a encher-se de finalistas de CIÊNCIAS e de tantas outras faculdades e universidades. A cerimónia de Bênção de Finalistas decorre amanhã dia 25 de maio, a partir das 11h30.

 

3MT ULisboa 2024

Quatro dos doze finalistas da competição ‘Três Minutos de Tese – Universidade de Lisboa’ são de CIÊNCIAS.

Pinguins-de-adélia

Num artigo agora publicado na Science, investigadores de instituições de renome a nível mundial propõem uma estratégia para envolver todas as partes interessadas na governança do Oceano Antártico através de um processo de ordenamento do espaço marinho (OEM) inteligente do ponto de vista climático.

Impressão artística da missão Euclides no espaço.

A 25 de maio (sábado), às 21h00, vamos ver e compreender as novas imagens de entre as maiores alguma vez feitas do Universo, no Grande Auditório de CIÊNCIAS (Edifício C3). A entrada é livre.

Redes Doutorais Marie Curie Projeto PROMOTE

CIÊNCIAS vai participar numa das propostas vencedoras do concurso 2023 das Redes Doutorais de Ações Marie Skłodowska-Curie (MSCA DN).

Páginas