Seminário Ciência e Império

Guerra, Informação e Propaganda: A "conquista das almas " na Guerra Colonial 1961-1974

Rui M. Pereira, lHC/FCSH-NOVA

Sala 8.2.11, FCUL, Lisboa

Este seminário destina-se à apresentação de trabalhos em curso sobre as inter-relações entre conhecimento científico, tecnologia e formações imperiais. O seminário convoca historiadores, antropólogos e cientistas sociais em geral para uma reflexão conjunta e interdisciplinar sobre a ciência e o fenómeno colonial.

Realiza-se nas segundas quartas-feiras de cada mês, das 12h30 às 13h30, alternadamente na Faculdade de Ciências e no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa.

As sessões são abertas à comunidade académica e não académica, apelando à participação de investigadores nacionais e estrangeiros, de diferentes instituições.

Resumo

Nos últimos anos tem-se intensificado a investigação e o debate sobre o investimento científico e do conhecimento nas diversas épocas da afirmação do império colonial português, desde a fase da expansão marítima à derradeira fase tardo-colonial.

Todavia, os últimos anos do colonialismo português, indissociavelmente mercados pela Guerra Colonial (1961-1974) não tem merecido a mesma atenção da comunidade académica.

É comummente aceite que a guerra alterou profundamente, até na substância, de alguns dos princípios estruturantes da política colonial portuguesa (p.ex. com a abolição do estatuto do indigenato e a automática concessão de cidadania a todo os africanos), eludindo algumas das contradições mais marcantes na caracterização de situação colonial.

Numa primeira fase do estado Novo, entre 1936 1955, ocupação científica foi assumida como política oficial, institucionalizada mesmo na forma da Junta das Missões Geográficas e Investigações Coloniais (após 1953, Junta de Investigação Ultramarina, JIU).

Apos 1955 e até ao despontar da luta armada nas colónias, numa inflexão dessa política científica colonial, deslocalizou-se esse investimento no conhecimento das colónias, até então centrado na Metrópole, para as próprias colónias, fundando-se em algumas delas (Angola e Moçambique) Institutos de Investigação científica e pondo-se termo às missões científicas, episódicas e de curta duração (durante a férias de verão) que académicos provindos das universidades de Lisboa, Coimbra e Porto dirigiam no terreno por pouco mais de um par de meses.

Concomitantemente, determinavam-se linhas de Investigação nos centros de pesquisa da JIU, possibilitando a permanência dos investigadores em missões de longa duração nas colónias, ano após ano, de que o exemplo mais emblemático foi o da Missão de Estudos das Minorias Étnicas do Ultramar Português, dirigida por Jorge Dias.

Depois de 1961. o empenho no conhecimento das realidades socias das colónias (para me cingir às ciências sociais) foi reorientado, em grande media, para os objectivos estratégicos da posição portuguesa, numa empresa muito assinalável, congregando esse “conhecimento civil" no esforço da guerra conduzido pelos militares.

A face mais visível e institucionalizada desse conhecimento estratégico foi a criação, em junho de 1961, dos Serviços de Centralização e Coordenação de Informações, em Moçambique e Angola, serviços que iriam ter um papel decisivo na "conquista das almas" através da sua articulação com os Serviços de Ação Psico-Social, estruturas civis que em 1963 passariam a ser enquadradas e dirigidas militares.

12h30
CIUHCT - Centro Interuniversitário de História das Ciências e da Tecnologia
CIUHCT

Inês Correia Bagulho defende a dissertação "Reference Tissue Normalization of Prostate MRI with automatic Multi-Organ Deep Learning Pelvis segmentation".

Por Vitor Nunes (Fannie Mae, USA).

Bárbara Velasco Anes defende a tese "Desafios Químicos e Metrológicos da Alcalinidade Oceânica".

Campanha de Solidariedade do Natal aos Reis

Os Serviços Centrais da ULisboa promovem, entre os dias 17 de dezembro e 08 de janeiro, a Campanha de Solidariedade do Natal aos Reis.

Diogo Afonso Carocho de Sousa Costa defende a dissertação "Deteção e caracterização de comunidades em redes de telecomunicações".

Curso de Persuasão e Influência

O curso terá uma abordagem bastante prática e num ambiente informal, com conteúdos aplicáveis no dia a dia e contando ainda com feedback individual.

Serão focados 5 temas:

Cláudia Alexandra Cerqueira Fernandes defende a dissertação "A influência da presidência de Trump sobre as séries financeiras americanas".

Raquel Ramos Martins defende a dissertação "Modelos de Notação de Risco de Crédito - Rating de Empresas".

Marco António de Sousa e Silva dos Santos Mendes defende a tese "Deformations of Legendrian Curves".

Conferências CIUHCT "A Expurgação da Ciência e a Ciência das Expurgações"

Através da publicação periódica do Index Librorum Prohibitorum e de visitas a navios, livrarias e bibliotecas, a Inquisição controlava a venda, posse e leitura de obras proibidas no império português.

Isa Maria Nunes de Matos defende a tese "Gene expression regulation in allopolyploid fish".

Aula proferida pelo Presidente da MULTICARE, Rogério Henriques.

Introdução pelo Diretor de Ciências ULisboa, Luís Carriço, seguida de debate com:

Com o objetivo de assinalar o Ano Europeu do Património Cultural 2018, a Academia de Ciências de Lisboa acolhe o colóquio Matemática e Património Cultural.

Iara de Almeida Ivo defende a dissertação "Optimizing Miniature Electrodes and Current Approaches to EEG Analysis".

André Filipe Neves Vieira defende a dissertação "Solução integrada de suporte ao IT alavancado no paradigma do New IT".

Por Harbir  Antil (George Mason University).

Um Natal fora da Terra

Por Pedro Machado (IA e Ciências ULisboa).

Candidaturas 2019/2020 - Programa Erasmus +

De 1 a 31 de dezembro, candidata-te a um período de estudos ou estágio.

Cursos Avançados cE3c 2018/2019

The objective of this course is to introduce participants to the details of communication and writing scientific publications. The main emphasis is on the most common form, the “primary scientific paper”, but other forms will be covered.

Por Juha Videman (CAMGSD, Instituto Superior Técnico).

Marte 2030 - Ciclo de conversas com os pés assentes em Marte

Por Nuno Santos (IA/Faculdade de Ciências da Universidade do Porto) e Ricardo Louro (ITQB-NOVA).

Inscrições mediante envio de formulário de inscrição preenchido, acompanhado de comprovativo de pagamento, até 04 de janeiro de 2019 para

Cursos Avançados cE3c 2018/2019

This course introduces the field of island biogeography, a discipline that has long influenced other research areas such as macroecology, community ecology, evolution and conservation biology.

FameLab Portugal - Eliminatória regional da Faculdade de Ciências

Eliminatória regional de Lisboa - Pavilhão do Conhecimento / Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa | Candidaturas até 21 de dezembro de 2018.

Natural History Collections and Biodiversity

Natural history museums are privileged spaces for seminal research on different subjects of biological sciences such as biodiversity, evolution, ecology, biogeography and taxonomy.

Páginas