Astrofísica

“Uma referência para o País”

José Afonso
Cedida por JA

“A Astrofísica [e as ciências espaciais] é uma das áreas de investigação em Portugal com maior impacto internacional, como indicam os últimos levantamentos bibliográficos”, diz José Afonso, diretor do Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL).

O “franco crescimento” dos últimos anos deve-se à adesão de Portugal ao Observatório Europeu do Sul e à Agência Espacial Europeia, factos que têm proporcionado uma maior participação e até liderança de investigadores portugueses em projetos internacionais. Por isso mesmo e apesar da “conjetura nacional não ser brilhante”, José Afonso acredita que a Astrofísica portuguesa continuará a ser nos próximos anos “uma área de referência para o País”.

O investigador da FCUL e dirigente do CAAUL é um dos membros da equipa que anunciou recentemente a descoberta da galáxia IRAS 08572+3915, a mais luminosa do universo local. Esta investigação liderada por Andreas Efstathiou, da Universidade Europeia de Chipre, conta com a participação de 19 cientistas de universidades da Europa e dos EUA.
Galáxia
Fonte: Hubble Space Telescope
Legenda: IRAS 08752, a galáxia mais luminosa do universo local

Segundo o comunicado de imprensa difundido pelo CAAUL, a galáxia IRAS 08572+3915 é a “mais luminosa num raio de dois mil milhões de anos-luz da Terra, com um brilho superior ao de dez biliões de estrelas como o Sol” e já é conhecida há 30 anos, “desde as observações com o telescópio espacial de infravermelhos IRAS”.

A análise detalhada das observações feitas com o telescópio espacial Herschel, juntamente com os dados do telescópio espacial Spitzer, permitiu a recente descoberta. José Afonso explica que só agora “foi possível perceber que uma grande parte da radiação emitida por esta galáxia está na realidade dirigida para longe de nós -acrescentando que -, quando a contabilização da emissão tem em conta este efeito, que explica as observações, descobrimos que esta galáxia é a mais luminosa que conhecemos no universo local”.

Nesta investigação, o astrónomo português tem ajudado a conceber e implementar o programa Herus (“The Herschel ULIRG Survey”) e também tem participado na interpretação das observações. As observações com o telescópio espacial Herschel fazem parte do programa Herus, ao qual foi atribuído, após concurso, cerca de 250 horas para observações de 45 galáxias ultraluminosas no universo local.

O estudo da galáxia IRAS 08572+3915 passará agora pelo uso do novo telescópio ALMA, constituído por 66 antenas, facto que deverá permitir desvendar o segredo da sua enorme luminosidade. Os cientistas vão utilizar o ALMA, entre outros telescópios, para perceber como se conjugam “os processos de formação estelar ‘explosiva’ e de atividade gerada pela presença de um buraco negro supermassivo no seio de uma galáxia”. Paralelamente pretendem servir-se deste conhecimento para perceber como se podem detetar “as primeiras galáxias luminosas do universo após o seu nascimento, algumas centenas de milhões de anos após o Big Bang”.

Curiosidades
O programa Herus procura estudar, no infravermelho longínquo, todas as galáxias ultraluminosas no universo local e desta forma compreender as fases mais extremas da evolução de uma galáxia, que observamos com frequência no universo distante.

Com um espelho principal de 3.5 metros de diâmetro, o Herschel é o maior telescópio de infravermelhos alguma vez construído, sendo operado pela Agência Espacial Europeia. Foi colocado no espaço em 2009 e esteve em funcionamento até se esgotar o seu líquido refrigerante (necessário para observações no infravermelho longínquo), em abril deste ano.

O telescópio espacial Spitzer possui um espelho principal de 0.85 metros e instrumentação para observações no infravermelho próximo, médio e longínquo. Este telescópio construído e operado pela NASA foi lançado para o espaço em 2003, tendo esgotado o seu líquido refrigerante após seis anos de observação. Apesar de não ser possível efetuar observações no infravermelho médio e longínquo, ainda mantém a capacidade de observação no infravermelho próximo, mais de dez anos após o seu lançamento.

Uma análise detalhada consiste na modelação da emissão de radiação no infravermelho médio (Spitzer) e longínquo (Herschel), como sucedeu com a medição da galáxia IRAS 08572+3915. Tal modelação indica a existência de um toro de poeira que rodeia um buraco negro supermassivo no centro desta galáxia, responsável por 90% da sua luminosidade. Os restantes 10% são provenientes de formação estelar “explosiva”.

Fonte: JA

Ana Subtil Simões, Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura da FCUL
info.ciencias@fc.ul.pt

A exposição “O Cálculo de ontem e de hoje”, elaborada pelo Departamento de Matemática em colabora&

Lâmpada

Estudantes de Engenharia Biomédica e Biofísica da FCUL promovem reunião especializada. O Ne2b2 existe desde outubro de 2008.

Luzes

Pela primeira vez a Reitoria da UL abre as suas portas aos estudantes da cidade, organizando um evento noturno para alunos dos ensinos universitário e secundário.

A exposição está a partir de 26 de Abril no Museu Nacional de História Natural e da Ciência.

As provas de doutoramento em Biologia, especialidade de Microbiologia, da Mestre Egídia Maria Valente de Azevedo realizam-se no próximo dia 26 de Abril, pelas 10h:30 na Sala de Actos da

O grande momento do dia é a sessão solene, que inclui este ano o lançamento do segundo volume dos Professores Cientistas e a inauguração do Quadro de Honra.

Sobre Namoros e Casamentos

Jorge Buescu

Quinta-feira, dia 12 de Abril de 2012, às 18h30, na sala 6.1.36

Vela

Ricardo Leandro é o vencedor da Competição Europeia. O estudante da FCUL apresentou a melhor ideia: um coletor solar térmico de baixo custo, acoplável a um módulo fotovoltaico.

A palestra "O Princípio do Tempo" proferida por Pedro Gil Ferreira é uma das iniciativas do “VII Encontro Ibérico de Cosmologia”, que decorre em abril nas instalações da FCUL.

Jovem usa microscópio

A FCUL estimula a abertura permanente à sociedade civil, promovendo acontecimentos que visam a disseminação de conhecimentos e a interligação com diferentes agentes sociais.

Os vários objectivos do DEGGE: Tudo o que nos define, e tudo o que apoiamos

O ENEI'12 vai realizar-se na FCUL.

ESTRUTURA E GESTÃO DO DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA ANIMAL (DBA)

Apresentação do Departamento

Paleontólogos do MNHN da UL e do GeoFCUL em foco na revista TVmais.

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avançados" com mais quatro instituições universitárias portuguesas e brasileiras.

O DQB e a FCUL acolheram, mais uma vez, a realização de provas semifinais das Olimpíadas de Química Júnior 2012 no sábado, 14 de abril de 2012.

Pessoas estudam numa mesa na biblioteca

“Acho que qualquer aluno consegue ser bom, se tiver uma boa disciplina de trabalho e objetivos concretos”. Quem o diz é Gonçalo Faria da Silva, estudante do 3.º ano de Biologia.

No penúltimo dia de março realiza-se a quinta e última sessão do workshop destinado a preparar os estudantes para a obtenção do 1.º emprego.

 

Alunos da FCUL

A Schlumberger realiza uma sessão de recrutamento em Ciências. As grandes empresas procuram os melhores profissionais. A FCUL apoia a inserção profissional dos seus diplomados.
 

O evento é uma organização conjunta da Norton/Symantec e do mestrado em Segurança Informática do DI-FCUL.

O DM está na Futurália

Para Duarte Flor, presidente da associação académica e aluno do 12.º ano em Ciências, é importante que os candidatos ao ensino superior visitem as instalações de uma faculdade.

Desenho de uma figura masculina

“Existe um espaço onde o sentimento de pertença a uma escola pode ser reavivado", afirma Miguel Ramos.

Aluna junto a uma das colunas do átrio do C6

A mostra pictórica da atividade científica da FCUL é inaugurada a 13 de março. Conheça as razões pelas quais deve visitar a exposição.

Pages