Science Public Lectures

Simulação de uma proteína
Patricia Faísca

O projeto Ciência na UL lança uma nova iniciativa de divulgação científica – Science Public Lectures -, dedicada à multidisciplinaridade das proteínas, as moléculas da vida.

A primeira lição acontece sexta-feira, dia 25 de maio, pelas 18h00, no Amphiteatro de Chimica do Museu Nacional de História Natural e da Ciência da UL. As próximas três lições realizam-se em junho, setembro e outubro e também se destinam ao público em geral.

Para as organizadoras do Ciclo - Maria José R. Gomes e Patrícia Faísca - “a compreensão do processo de folding (enrolamento e dobragem) de proteínas é considerado um dos problemas mais importantes da ciência atual (vide artigo “So much more to know”. Science 309:78-102, 2005) não só na sua componente mais fundamental, como também nas aplicações às ciências da saúde”. As investigadoras da FCUL acrescentam ainda que “mais que nunca, é preciso compreender este importante processo biológico, já que é um passo fundamental na procura de uma cura para patologias conformacionais”, como são o caso das doenças de Alzheimer, Parkinson, diabetes tipo II, etc..

Sophie Jackson, da Universidade de Cambridge, no Reino Unido; Eugene Shakhnovich, da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos da Améria; Antonio Rey, da Universidade Complutense de Madrid, em Espanha e Marek Cieplak, da Academia de Ciências Polaca, na Polónia, compõem o painel de oradores da primeira série de lições, considerado pelas organizadoras um painel com “notáveis personalidades de reconhecido mérito internacional nesta área”, e que por sinal “têm colaborado com os Doutores Ciência da UL”.

Science Public Lectures é a quinta iniciativa do projeto Ciência na UL e tem como objetivo divulgar temas científicos de grande atualidade e importância. O próximo ciclo será dedicado às partículas.

Razões pelas quais não deve perder nenhuma lição do ciclo “Proteins, life's origamis”
Fonte: Maria José R. Gomes e Patrícia Faísca

1.ª “A Tangled Problem: the Structure, Function and Folding of Knotted Proteins”
Porque enrolar/montar uma proteína com um nó topológico é o processo de folding mais complicado e, por isso mesmo, o mais difícil de entender.
2.ª “Evolution: From atoms to organisms”
Porque aborda o problema da evolução biológica do ponto de vista meramente microscópico. Como é que as propriedades moleculares das proteínas de um dado organismo (incluindo folding, função e interações) afetam a fitness do mesmo (grosso modo, a capacidade de um organismo sobreviver e de se reproduzir).
3.ª ”Computers and proteins. Where the cyberspace meets structural biology”
Porque entender os processos do ciclo de vida viral, e, em particular, a entrada e desmontagem do capsídeo viral (uma concha protetora formada por proteínas) a um nível molecular é fundamental para o desenvolvimento de estratégias terapêuticas para as doenças virais.
4.ª “Mechanostability of proteins and virus capsids”
Porque se mostra como é que a realização de experiências in silico (ou seja em computadores) contribui para a resolução do problema do folding.
 

Ana Subtil Simões, Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura da FCUL
info.ciencias@fc.ul.pt
Medalha internacional de História das Ciências, Marta Lourenço

Ana Eiró, Fernando Bragança Gil, Maria Alzira Ferreira, Luís Mendes Vítor, Virgílio Meira Soares, Fernando Catarino, Fernando Parente, Noémio Marques, Galopim de Carvalho, são algumas das individualidades de Ciências que Marta Lourenço recorda, em jeito de agradecimento, pelos ensinamentos transmitidos.

A iniciativa existe desde 2008. “Um pequeno Roteiro pela Energia Solar Fotovoltaica na Faculdade de Ciências” inclui visitas guiadas ao Campus Solar e à central de mini geração fotovoltaica nos telhados da Faculdade de Ciências, e ainda a palestra “A revolução solar vem aí!”, proferida pelo professor António Vallêra.

“Os ensinamentos adquiridos em Ciências estão na base das investigações que tenho desenvolvido, foi através deles que adquiri os conceitos e conhecimentos que me permitem desenvolver o estudo dos materiais. Por outro lado, a interação com diferentes áreas da Geologia permite absorver muita informação importante para a interpretação de muitos dos achados”, explica a investigadora Elisabete Malafaia.

Jean-Paul Montagner, Institut de Physique du Globe, Université Paris-Diderot, Paris, France

António Castelo, Aidnature

"Recordo-me sobretudo dos professores e da matéria que dava nas aulas. A minha pancada com evolução é forte e já nessa altura era. Ainda hoje nada me dá mais prazer do que aprender e compreender como funciona a vida na terra. Tive muito bons professores durante o curso e isso foi fundamental até quando, mais tarde, saí para fazer o mestrado em Inglaterra", conta o antigo aluno de Biologia de Ciências, António Castelo.

Expedição Aidnature

“Cada animal, cada comportamento é um desafio. O momento em que conseguimos a imagem de que estamos à espera e que imaginámos na nossa cabeça, é de uma adrenalina enorme, que contrasta com a paz que é estar horas no campo à espera”, declara António Castelo, antigo aluno do curso de Biologia de Ciências, agora biólogo na Aidnature.

 Nos dias 29 e 31 de outubro de 2014 realiza-se uma reunião em Heildelberg, na Alemanha, com o intuito de apresentar os 106 novos membros ao EMBO Council.

Ano Internacional da Cristalografia 2014

O Departamento de Geologia da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa associa-se à comemoração do Ano Internacional da Cristalografia.

MATEMÁTICA E ENSINO

De acordo com o Despacho do Senhor Diretor da Faculdade, a eleição do Presidente do Departamento de Matemática terá lugar no próximo dia 30 de Maio.

Conferência no dia 16 de Maio, 11h30, anfiteatro 3.2.15, Edifício C3, FCUL, Campo Grande, Lisboa.

Marta Lourenço

Marta Lourenço, membro do Centro Interuniversitário de História das Ciências e da Tecnologia, da Secção Autónoma de História e Filosofia das Ciências e subdiretora do Museu Nacional de História Natural e da Ciência foi galardoada com a Medalha George Sarton pela Universidade de Gent.

Imagem de Octávio Pinto

O seminário integrado na disciplina de Agricultura e Florestas, do mestrado em Ecologia e Gestão Ambiental, realiza-se dia 7 de maio, pelas 11h15, no edifício C2, 2.º piso, sala 2.2.14.

Christoph Meyer

Christoph Meyer começou a trabalhar no Centro de Biologia Ambiental de Ciências, em fevereiro de 2009. A estadia em Ciências tem corrido bem.

Tectonics and Neotectonics of the western North America and Associated Hazards

Conferência no dia 29 de Maio, 12h00, sala 6.2.56, Edifício C6, FCUL, Campo Grande, Lisboa.

EuroGP2014

Stefano Ruberto, Leonardo Vanneschi, Mauro Castelli & Sara Silva foram distinguidos com o best paper award for EuroGP 2014, durante a "17th European Conference on Genetic Programming", ocorrida entre 23 e 25 de abril, em Granada, Espanha.

A Biblioteca do Conhecimento Online, celebra o seu 10.º Aniversário

“Nestas formações, ensina-se, entre outros aspetos, a detetar situações de paragem cardiorrespiratória precocemente, a saber ligar o 112 rapidamente, sabendo dizer o que é importante, e iniciar manobras básicas, como compressões torácicas para manter alguma circulação e oxigenação dos órgãos vitais até à chegada de ajuda”, explicou o formador do INEM, Rui Rebelo.

The biosphere-atmosphere interactions mediate the largest exchanges in the global carbon cycle. Understanding the role of climate and other environmental factors on the carbon cycle of terrestrial ecosystems is key for assessing vulnerabilities and future feedback into the climate system.

A reportagem multimédia “Sonhar com o futuro” inclui testemunhos de candidatos ao ensino superior e que participaram na edição do ano passado do Dia Aberto.

Carla Nunes, Maria M. M. Santos e Carlos Baleizão

Os desafios que os novos mecanismos de financiamento suscitam apelam à criação de equipas multidisciplinares e complementares que incrementem o impacto da investigação desenvolvida.

Com o objetivo de mostrar as funções, tarefas e responsabilidades do cientista, o Departamento de Química e Bioquímica, o Departamento de Biologia Vegetal  e o IBEB receberam nos seus laboratórios 12 alunos do 12.º ano do Colégio São João de Brito.

Imagem editada pelo DI

O project Lusica e a contribuição para a exposição Retro Computing no 

Pages