Colégio Pedro Arrupe em Ciências

À descoberta das energias renováveis


Depois de ouvidas as explicações, foi altura de ver de perto os painéis solares iguais ao que o Samuel construiu na aula
Fonte GCIC

Tudo começou com uma construção de Lego. Samuel, de seis anos, aluno do Colégio Pedro Arrupe, construiu um painel solar numa das aulas. Os colegas, curiosos, fizeram soar as suas perguntas: “Mas o que é isso?”, “É um carrinho solar?”, “Para que serve?”.

Duas alunas da Escola Superior de Educação de Lisboa (ESELx), atentas à curiosidade dos alunos, organizaram a visita no âmbito do seu projeto de estágio enquanto educadores de infância.

As respostas foram dadas na Faculdade de Ciências, durante uma visita efetuada pelos Serviços Centrais da ULisboa aos painéis solares - os reais não os de lego -, instalados no telhado do edifício C4, e num workshop de “Rabiscos Solares”, realizado no âmbito do Energia nas Escolas, um projeto de um grupo formado por alunos do Mestrado Integrado em Engenharia da Energia e do Ambiente de Ciências.


"Nada melhor do que plantar esta semente cheia de desafios desde cedo, nos cidadãos de amanhã, as crianças”, reforçou Sara Freitas
Fonte GCIC

Durante a visita, 26 crianças contactaram com a estrutura base de uma instalação fotovoltaica, perceberam como se produz eletricidade a partir do Sol e a importância deste procedimento.
Ao longo das explicações, os dedos no ar impuseram-se para fazer perguntas sobre as cores dos painéis, o porquê de estarem tão quentes, que diferenças existem entre os painéis fotovoltaicos e os coletores térmicos, entre outras.

Rita e Mariana, outras alunas daquele colégio, deram conta de alguns pormenores do que aprenderam nos telhados do edifício C4: “vimos muitos painéis solares. Nunca tínhamos visto! O senhor disse que o Sol batia neles, depois aqueciam e produziam eletricidade”.


A atenção dedeicada ao assunto manteve-se durante o workshop "Rabiscos Solares"
Fonte GCIC

No workshop “Rabiscos Solares” aprenderam que materiais são necessários para se montar uma máquina para fazer desenhos através da luz do sol, aplicando depois estes conhecimentos numa atividade prática.


Workshop “Rabiscos Solares”
Fonte GCIC

“As energias renováveis são uma realidade cada vez mais próxima do quotidiano de todos os cidadãos. Por isso, antes de encorajar à sua instalação futura, deve-se promover o conhecimento de como é que elas funcionam e do papel que desempenham num futuro mais sustentável ambientalmente e energeticamente. Nada melhor do que plantar esta semente cheia de desafios desde cedo, nos cidadãos de amanhã, as crianças”, reforçou Sara Freitas, aluna do 1.º ano do doutoramento em Sistemas Sustentáveis de Energia, a coordenar a atividade enquanto membro do Centro de Sistemas de Energia Sustentáveis da ULisboa (SESUL).


Alunos constroem uma máquina para fazer desenhos através da luz do sol
Fonte GCIC

A acompanhar a visita, as mães, Margarida Alves e Paula Calado, comentaram o interesse das crianças: “gostam sempre de descobrir e de aprender algo novo, algo que não tenham conhecimento suficiente”. Embora bastante novos, esta atividade permite, entre outros aspetos, que as crianças “fiquem com a consciência de que existem outros meios alternativos e não só meios poluentes. Permite também que percebam que, utilizando outras energias, é possível gastar menos dinheiro. São pequeninos, mas fica sempre alguma coisa!”, concluiram.

Para a professora do Colégio Pedro Arrupe, o objetivo desta visita passa por fazer com que os alunos “percebam que o conhecimento pode ser adquirido de várias formas, não só através da Internet, a que agora estão mais habituados, ou dos livros, mas também através das pessoas. A experiência de ir a faculdades, como a de Ciências, ajuda-os a perceber que é possível adquirir conhecimento de outras formas e que através de outras pessoas podemos aprender ainda mais”.


No pátio do C6, os ensinamentos foram postos em prática
Fonte GCIC

As visitas à Central de Minigeração fotovoltaica – aos telhados da Faculdade, ao Campus Solar, ao Laboratório de Aplicações Fotovoltaicas e Semicondutores e às Oficinas de carrinhos solares, podem ser solicitadas para o email solar@fc.ul.pt.

Por sua vez, o projeto “Energia nas Escolas”, que consiste na difusão de conhecimento sobre este assunto nas escolas procurando "aproximar universos escolares distintos, com o objetivo de cativar o interesse de crianças, jovens e professores dos ensinos básico e secundário para as questões relacionadas com as energias renováveis”, pode ser solicitado através do mesmo email - energiaescolas@fc.ul.pt.

 


Fonte GCIC

Raquel Salgueira Póvoas, Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura
info.ciencias@fc.ul.pt
Um grupo de membros de Instituições do Ensino Superior, onde se inclui CIÊNCIAS, está reunido em frente a um jardim, em visita à Siemens

 A iniciativa teve como objetivo aproximar a academia do tecido empresarial.

Nuno Gonçalves alcança o segundo lugar na competição 3MT ULisboa.

Nuno Gonçalves foi distinguido com o segundo lugar, na final da competição ‘Três Minutos de Tese – 3MT ULisboa’, que se realizou esta quint

Inês Ventura

Inês Ventura, a desenvolver o seu doutoramento no Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE) e no Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (

Universidade de Lisboa

A Universidade de Lisboa alcança a 260ª posição no QS World University Rankings (SUR) 2025, tornando-se na universidade portuguesa mais bem classificada neste ranking.

Signatários do acordo

Dia 5 de junho foi assinado o acordo para a construção do espectrógrafo ANDES (ArmazoNes high Dispersion Echelle Spectrograph – Espectrógrafo Echelle de alta dispersão do Armazones), entre o Observatório Europeu do Sul (

 Luís Carriço, Diretor de CIÊNCIAS, e David Gonçalves, Dean do Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ) assinam acordo sentados a uma mesa

CIÊNCIAS assinou no dia 5 de junho um acordo de cooperação com o Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ), com vista à cooperação científica em várias áreas de interesse comum.

Equipa do projeto 'Ciências em Harmonia'

Esta terça-feira, 28 de maio, o projeto ‘Ciências em Harmonia’ assinalou o seu primeiro ano de atividades: um marco comemorado com um convívio informal com a comunidade, que

António Branco

António Branco, docente do Departamento de Informática de CIÊNCIAS, foi um dos oradores convidados da conferência que

Sabemos que no futuro um sismo de magnitude significativa voltará a atingir Lisboa. Não sabemos é quando. E se o pudéssemos prever? E se existisse uma probabilidade forte de ser já em 2027?

Ana Santos, finalista 3MT ULisboa

Ao longo dos próximos dias, daremos a conhecer os quatro finalistas de CIÊNCIAS que irão participar na final da competição

Painel e sessão de Perguntas & Respostas | Estreia de documentário

Perto de 120 pessoas assistiram este sábado, 25 de maio, à estreia do documentário ‘O que se esconde na luz? A ciência da missão espacial Euclid’, produzido pelo Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA).

Investigadores do Instituto Dom Luiz, de CIÊNCIAS, instalaram um sismómetro na Escola Básica Professor Delfim Santos, que se encontra a menos de um quilómetro do Estádio da Luz, em Lisboa, onde vão ter lugar os concertos.

Banner Bênção de Finalistas & Queima das Fitas 2024

Este fim de semana a Alameda da Universidade de Lisboa vai voltar a encher-se de finalistas de CIÊNCIAS e de tantas outras faculdades e universidades. A cerimónia de Bênção de Finalistas decorre amanhã dia 25 de maio, a partir das 11h30.

 

3MT ULisboa 2024

Quatro dos doze finalistas da competição ‘Três Minutos de Tese – Universidade de Lisboa’ são de CIÊNCIAS.

Pinguins-de-adélia

Num artigo agora publicado na Science, investigadores de instituições de renome a nível mundial propõem uma estratégia para envolver todas as partes interessadas na governança do Oceano Antártico através de um processo de ordenamento do espaço marinho (OEM) inteligente do ponto de vista climático.

Impressão artística da missão Euclides no espaço.

A 25 de maio (sábado), às 21h00, vamos ver e compreender as novas imagens de entre as maiores alguma vez feitas do Universo, no Grande Auditório de CIÊNCIAS (Edifício C3). A entrada é livre.

Redes Doutorais Marie Curie Projeto PROMOTE

CIÊNCIAS vai participar numa das propostas vencedoras do concurso 2023 das Redes Doutorais de Ações Marie Skłodowska-Curie (MSCA DN).

Foto de entrega de prémio aos vencedores

No âmbito do projeto Invasives e como atividade inserida na

Dia Nacional dos Cientistas - 16 de maio

O Dia Nacional dos Cientistas foi instituído em 2016 por Resolução da Assembleia da República com o objetivo de reconhecer e celebrar a contribuição vital dos cientistas para o progresso da sociedade.

CIÊNCIAS e OKEANOS em parceria para monitorizar biodiversidade e alterações dos ecossistemas marinhos

Projeto internacional SEAGHOSTS visa a monitorização e conservação das populações de painhos, as aves marinhas mais pequenas do planeta.

Reitoria da ULisboa

O CWUR 2024 avaliou de entre 20.966 instituições de ensino superior e atribuiu à ULisboa o 211.º lugar (top 1.1%) e a 80.ª posição no panorama europeu.

Pages