Opinião

Lisboa Cidade + Resiliente + Segura

260 anos do Terramoto de 1755

A Câmara Municipal de Lisboa (CML) assinala em 2015 os 260 anos do Terramoto de 1755, organizando um conjunto de atividades integradas no programa “Lisboa Cidade + Resiliente + Segura”.

Os principais objetivos passam por sensibilizar para os riscos dos fenómenos sísmicos e mostrar aos cidadãos como agir antes, durante, e depois de situações de emergência causadas por sismos e outros desastres naturais. Ao longo de 2015, a CML vai organizar um conjunto de atividades alusivas à memória do Terramoto de 1755, desde simulacros, formação de equipas de segurança e de voluntários da proteção civil, conferências, palestras, workshops, exposições e percursos a zonas emblemáticas com referência ao terramoto.

Na apresentação do programa, que decorreu nos Paços do Concelho no dia 26 de janeiro, esteve presente também o presidente do Instituto Português do Mar e da Atmosfera, Jorge Miranda, professor catedrático do DEGGE. Numa alusão à importância da preparação, quer a nível das infraestruturas, quer a nível da interiorização de procedimentos e comportamentos adequados em casos de emergência, focou a necessidade de "preparar infraestruturas para que haja informação a tempo e para que as pessoas consigam decidir ao último minuto".

logotipo
Resiliência numa cidade = Capacidade de resistir aos efeitos de uma catástrofe através do planeamento e da prevenção, propiciando bem-estar e segurança aos cidadãos
Fonte Cedida por DPC - CML

A iniciativa insere-se também no programa “100 Resilient Cities”, promovido pela Fundação Rockefeller, e que se dedica a ajudar as cidades a melhorarem a resposta a catástrofes naturais, às alterações climáticas ou a desafios sociais. A capital portuguesa foi uma das 35 cidades escolhidas em dezembro de 2014 para integrarem o grupo das “100 Cidades Resilientes”, que serão apoiadas pela Fundação Rockefeller. Segundo a fundação, os membros da rede – que estarão interligados com vista à troca de experiências e soluções – receberão apoio logístico, financeiro e técnico. No caso de Lisboa, os desafios centram-se nas temáticas da resistência sísmica, envelhecimento da população, envelhecimento das infraestruturas e capacidade de respostas a inundações, subida do nível do mar e derrocadas. Em 2013 foram escolhidas as primeiras 32 cidades. Em 2014 concorreram mais de 300 câmaras municipais, tendo sido escolhidas apenas 35, entre as quais a de Lisboa. Em 2015 serão conhecidas as restantes 33, que completam o grupo das “100 Resilient Cities”. A rede, além de Lisboa, já inclui cidades como Barcelona, Londres, Paris, Milão, Boston, Chicago, Sidney, Singapura, Los Angeles, Nova Iorque, Rio de Janeiro e Roma.

Ciências associa-se ao programa “Lisboa Cidade + Resiliente + Segura – 260 Anos do Terramoto de 1755”, apoiando várias atividades de formação e sensibilização do Departamento de Proteção Civil da CML. Os investigadores do grupo de Sismicidade, Vulcanismo e Processos Litosféricos do Instituto Dom Luiz marcaram presença no dia 14 de janeiro no 24.º aniversário do Tinoni. A casa do Tinoni , localizada nos serviços de proteção civil da capital, integra o projeto municipal Crescer (na) Segurança, criado em 1992 e tem como população-alvo crianças dos cinco aos dez anos. Neste espaço, cada criança aprende a identificar os riscos que corre no seu dia-a-dia e as regras mais ajustadas a cada situação.

O mesmo grupo de investigadores esteve também presente no dia 26 de janeiro na sessão de esclarecimento “Quando o chão nos falha” no Pavilhão do Conhecimento – Ciência Viva, onde se realizaram atividades de simulação de tremores de terra e tsunamis e o impacto dos abalos sísmicos em diferentes tipos de edifícios, e onde se debateu a sismicidade que afeta a cidade de Lisboa, a vulnerabilidade dos solos e dos diferentes tipos de construção, as medidas preventivas e os planos de intervenção em caso de sismo.

O Centro Europeu de Riscos Urbanos, que também integra docentes e investigadores de Ciências, está envolvido na sensibilização e divulgação do risco sísmico e de tsunamis. Com a colaboração da CML, apoia e participa estas atividades através do projeto INsPIREd, financiado pelo Conselho da Europa.

Laboratório da Faculdade
Visita ao C2
Fonte Cedida por DPC - CML

Importa reforçar que a melhoria das condições de segurança depende da melhoria dos comportamentos e atitudes de cada indivíduo, mas também da cultura institucional e das intervenções práticas que contribuem para a melhoria das respostas institucionais. Com base neste princípio, Ciências solicitou a ajuda do Departamento de Proteção Civil (DPC) da CML para dar início a um plano de intervenção para a redução do risco sísmico nos seus edifícios. Numa primeira fase, que decorrerá até setembro de 2015, os laboratórios de Ciências irão receber a visita de uma equipa do DPC-CML para diagnóstico e elaboração de recomendações e propostas de melhoria. A Assessoria para a Segurança do Trabalho e a Unidade de Infraestruturas e Apoio Técnico acompanharão essas visitas e a implementação das medidas recomendadas. A primeira destas visitas realizou-se no dia 5 de fevereiro nos laboratórios do edifício C2. A Faculdade conta ainda com a presença do DPC-CML nos simulacros e exercícios de evacuação dos edifícios a realizar durante o ano de 2015 e em ações de sensibilização que decorrerão no mês de setembro em Ciências.

Ao evocar o Terramoto de 1755, pretende-se ir construindo uma cultura de prevenção nos caminhos de Lisboa e, com isso, aumentar a resiliência e a segurança da capital face aos riscos de catástrofes. Ao passar pelo Campo Grande, o mote é o mesmo: “Ciências Faculdade + Resiliente + Segura”.

Júlia Alves, técnica superior da Assessoria para a Segurança do Trabalho da Faculdade de Ciências da ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

Isaac Carrêlo e Rita Almeida, alunos do curso de Engenharia e Energia do Ambiente e Eva Barrocas, do curso de Biologia, viajaram até Cabo Verde para fazer parte da equipa Turtle Foundation. Durante um mês de experiências intensas, protegeram tartarugas e levaram os ensinamentos apreendidos na FCUL até à comunidade local.

Mapa

O Memorando de Entendimento celebrado com Portugal estabelece oito áreas programáticas para a respetiva alocação de verbas para 2009/2014. A abertura de concursos para Portugal deve acontecer ainda este ano.

Palestra por Jennifer de Jonge

Centro de Biotecnologia Vegetal/IBB

Evolução Tecnológica e o Cadastro Territorial Multifinalitário no Brasil

VicenTuna anima Sessão de Boas-vindas

Receber os novos alunos numa sessão de boas-vindas é uma das tradições da FCUL. Agora, o espírito da cerimónia pode ser conhecido pela voz dos profissionais e alunos que fizeram parte da última sessão, através de uma reportagem multimédia presente na página do YouTube da Faculdade, bem como na pasta de vídeos do Facebook.

Pormenor de obra de arte

Atualmente, o antigo aluno da FCUL é post-doc na Universidade Federal do Rio Grande - Fundação Universidade do Rio Grande, no Brasil, sendo responsável por projetos na área da Biologia Antártica – Biologia Polar.

Miguel Ramos

Miguel Ramos, professor do Departamento de Matemática da FCUL, faleceu esta quinta-feira, dia 3 de janeiro. O corpo será velado no dia 5 de janeiro, entre as 17h00 e as 24h00, na Capela da Igreja das Furnas, em São Domingos de Benfica, assim como no dia 6 de janeiro, a partir das 12h00, seguindo-se a missa pelas 15h00. A cerimónia de cremação ocorre no Cemitério dos Olivais.

Miguel Ramos (1963-2013)

Estão disponíveis os calendários de exames do 2º ciclo para as seguintes áreas:

- Mestrados de Engenharia Geográfica e SIG

Repórter e câmara de filmar

Após as palavras , chegam os sons e as imagens  do dia em que a FCUL voltou a fazer parte da “Rota das Vocações de Futuro” da associação EPIS. A reportagem está disponível na página do YouTube da Faculdade, bem como na pasta de vídeos do Facebook.

 

O histórico de aluno no Portal da FCUL foi atualizado e renovado.

Relembramos que pode utilizar os vários meios ao dispor para deixar comentários ou sugestões sobre os serviços da FCUL.

Bruno Almeida, doutorado em História das Ciências pela Secção Autónoma de História e Filosofia das Ciências da FCUL e membro do Centro Interuniversitário de História das Ciências e da Tecnologia, ganha "Prémio Cultura 2012" atribuído pela Sociedade de Geografia de Lisboa.

Alunos informam-se sobre programas de mobilidade internacional

“É uma grande oportunidade que estou a ter, a Faculdade dá um grande apoio aos alunos. (…) Estou a gostar do convívio com os colegas, das aulas, das disciplinas e da cultura portuguesa”, sublinha Daniel Martins, aluno oriundo do Brasil a estudar Biologia na FCUL.

Pela 2.ª vez, o Dia Internacional proporcionou a divulgação de programas de mobilidade internacional junto dos alunos, esclarecendo dúvidas e curiosidades. Durante o acontecimento, trocaram-se experiências, conheceram-se hábitos e tradições de diferentes países e, acima de tudo, enalteceu-se o espírito de convívio em ambiente "além-fronteiras".

Candidaturas para Base de Recrutamento de Professores Auxiliares Convidados do DF

“MARAVILHAR-SE: reaproximar a criança da Natureza” 

Foi duplicado o espaço de armazenamento nas áreas de alunos. A nova quota é agora de 1 Gb.

 

Com o intuito de inovar e proporcionar os melhores temas aos alunos da Faculdade de Ciências no que diz respeito às novas tecnologias, a

David Luz e Pedro Machado, investigadores do Centro de Astronomia e Astrofísica da UL, fazem parte de uma equipa de investigadores que ao fim de dois anos conseguiu medir os ventos da atmosfera de Vénus a partir da Terra. Até então, só era possível fazê-lo recorrendo a sondas espaciais.

À semelhança dos anos anteriores o Departamento de Química e Bioquímica vai promover a realização de Ações de Formação para os professores do Ensino Básico e Secundário na modalidade oficina.

Encontram-se abertos concursos para recrutamento postos de trabalho de Professor Auxiliar, nas áreas disciplinares de Meteorologia, de Geofísica, de Engenharia Geográfica e de Oceanografia Física, Astronomia e Astrofísica, constantes do mapa de pessoal docente d

Pages