Susana Custódio preside Comissão Executiva do ORFEUS

“Está a ser uma experiência muito interessante”

C4G coordena a participação portuguesa no EPOS

O ORFEUS está integrado no EPOS, que contribui para uma melhor compreensão dos processos físicos que controlam terramotos, erupções vulcânicas, tsunamis e por exemplo movimentos tectónicos

unsplash - Amaze Yin

Susana Custódio, professora do Departamento de Engenharia Geográfica, Geofísica e Energia de Ciências ULisboa e investigadora do Instituto Dom Luiz,  é a presidente da Comissão Executiva do ORFEUS - Observatories & Research Facilities for European Seismology desde maio passado. O mandato tem a duração de quatro anos.

“Está a ser uma experiência muito interessante, com desafios a vários níveis”, conta Susana Custódio.

O ORFEUS está integrado no EPOS - European Plate Observing System, que contribui para uma melhor compreensão dos processos físicos que controlam terramotos, erupções vulcânicas, tsunamis, movimentos tectónicos e outros com impacto potencialmente grave sobre o meio ambiente e o bem-estar dos cidadãos.

“O ORFEUS é o pilar do EPOS-Seismology que se dedica à disponibilização de dados sísmicos brutos e serviços associados, representando uma das comunidades mais amadurecidas dentro do EPOS”, refere Susana Custódio.

Em 2018, o ORFEUS adotou uma nova estrutura: há comunicações em tempo real e uma diversificação dos tipos de sensores e dados recolhidos; o envolvimento de novos parceiros e a formação de sismólogos em início de carreira.

“O ORFEUS formalizou um novo grupo de trabalho dedicado à sismologia de movimentos fortes e está a trabalhar na formalização de outros grupos, por exemplo, sismologia computacional, parques móveis de sismómetros”, explica Susana Custódio para quem estes desenvolvimentos são fruto de um trabalho anterior.

Portugal participa no EPOS desde 2010, desde a sua fase preparatória. Em 2020 o EPOS iniciará a fase operacional. O ano passado, a comissão europeia concedeu-lhe o estatuto jurídico de European Research Infrastructure Consortium (ERIC). O C4G é um consórcio nacional de infraestruturas para as Geociências e coordena a participação portuguesa no EPOS.

“A formalização do EPOS como uma ERIC é um passo importante, após 16 anos de trabalho em comunidade nas fases de conceção, preparação e implementação da infraestrutura. Este longo e árduo percurso evidencia bem o desafio que é articular em rede uma enorme quantidade de dados e laboratórios, que por agora existem dispersos por vários países e comunidades científicas. Desafio este que a comunidade das Ciências da Terra Sólida tem vindo a superar com sucesso.”
Susana Custódio

Ana Subtil Simões, Área de Comunicação e Imagem Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

O DQB e a FCUL acolheram, mais uma vez, a realização de provas semifinais das Olimpíadas de Química Júnior 2012 no sábado, 14 de abril de 2012.

Pessoas estudam numa mesa na biblioteca

“Acho que qualquer aluno consegue ser bom, se tiver uma boa disciplina de trabalho e objetivos concretos”. Quem o diz é Gonçalo Faria da Silva, estudante do 3.º ano de Biologia.

No penúltimo dia de março realiza-se a quinta e última sessão do workshop destinado a preparar os estudantes para a obtenção do 1.º emprego.

 

Alunos da FCUL

A Schlumberger realiza uma sessão de recrutamento em Ciências. As grandes empresas procuram os melhores profissionais. A FCUL apoia a inserção profissional dos seus diplomados.
 

O evento é uma organização conjunta da Norton/Symantec e do mestrado em Segurança Informática do DI-FCUL.

O DM está na Futurália

Para Duarte Flor, presidente da associação académica e aluno do 12.º ano em Ciências, é importante que os candidatos ao ensino superior visitem as instalações de uma faculdade.

Desenho de uma figura masculina

“Existe um espaço onde o sentimento de pertença a uma escola pode ser reavivado", afirma Miguel Ramos.

Aluna junto a uma das colunas do átrio do C6

A mostra pictórica da atividade científica da FCUL é inaugurada a 13 de março. Conheça as razões pelas quais deve visitar a exposição.

O que são líquidos iónicos? Num dos primeiros programas do ano, o Com Ciência entrevistou o professor e investigador da FCUL, Carlos Nieto de Castro sobre esta classe de solventes.

Desenho de uma figura masculina

A data de lançamento do livro ainda não é pública, mas o evento deverá ocorrer brevemente, na Faculdade de Belas-Artes da UL.

Ontem evocou-se o Dia das Doenças Raras. A fibrose quística é um desses males incomuns. A investigação científica é importante em todos os setores, mas ganha especial sentido em áreas como esta.

Cerca de 20 professores de Ciências da Natureza e Ciências Naturais de nove concelhos portugueses participam na atividade promovida pelo MNHNC-UL a decorrer até abril.

Imagem de um folheto promocional

A FCUL volta a marcar presença no evento, juntamente com outras unidades orgânicas da UL.

Fotografia com pontos de interrogação

Alunos finalistas aconselham Engenharia da Energia e do Ambiente. Testemunhos de Guilherme Gaspar e Ricardo Leandro.

Fotografia de mesa com cinco pessoas sentadas, na Reitoria da UL

A rede pretende formalizar colégios doutorais em áreas transversais. Opinião de Maria Amélia Martins-Loução.

Fotografia de pessoas sentadas num dos anfiteatros da FCUL

A iniciativa acontece a 17 de março e é organizada pelos Departamentos de Física e de Informática.

Fotografia de Dois voluntários, sentados junto a uma banca no átrio do C5

Em fevereiro estão abertas inscrições para a admissão de novos voluntários.

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avançados" com mais quatro instituições universitárias portuguesas e brasileiras.

Vale a pena recordar a iniciativa do Gabinete de Mobilidade, Estágios e Inserção Profissional da FCUL.

Fotografia de alunos a andarem, junto ao C8

A primeira edição do curso realiza-se já em 2012.

Outra forma de fazer turismo.

Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25.Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25

O Encontro decorreu em Junho no GeoFCUL.

Páginas