Entrevista com atleta e aluno de Química

Samuel Barata

“Quando se tem excelentes professores no curso, o trabalho do aluno é mais fácil”

"Para mim, pertencer a esta casa é um orgulho", declara Samuel Barata

Cedida por Samuel Barata

Samuel Barata, de 25 anos, é aluno do mestrado em Química de Ciências ULisboa e pratica atletismo desde os 12 anos. A carreira de atleta já o fez ganhar diferentes distinções, entre elas o 5.º lugar na Universíadas 2017 das Bolsas Educação Jogos Santa Casa.

Conheça mais pormenores do percurso do estudante e atleta, na entrevista a seguir apresentada.

“Sempre encontrei um bom ambiente entre alunos e professores o que me fez estar sempre motivado no estudo.”

Principais Feitos desportivos de Samuel Barata:

- Campeão nacional de 5000m em 2018

- Campeão nacional de estrada 2018

- 1.º lugar da São Silvestre de Lisboa 2017

- 20.º lugar no corta-mato europeu em Samorin, Eslováquia 2017

- 5.º lugar nas Universíadas em Taipei 2017

- Campeão nacional de corta-mato curto e de 5000m 2017

- Campeão nacional de 10.000m em 2015

Onde treina? A que clube está associado?

Samuel Barata (SB) - O meu treino é praticamente feito sempre no estádio nacional no Jamor. Neste momento estou associado ao clube Sport Lisboa e Benfica.

Como concilia o estudo e a atividade desportiva?

SB - Não é fácil conciliar os estudos com a atividade desportiva. Nos dois primeiros anos do curso foi mesmo complicado, isto porque o curso é exigente e tinha que estudar muito ao mesmo tempo. Nessa altura foi a minha transição de escalão de júnior para sénior no desporto, e aqui as exigências também aumentaram. Mas ao longo do tempo consegui encontrar o equilíbrio, aprendi que podia estudar fora da faculdade. Felizmente consegui fazer as cadeiras da licenciatura como de mestrado.

O que é o melhor de estudar em Ciências ULisboa?

SB - Estudar em Ciências é ótimo. É uma faculdade que oferece boas condições para tirar uma formação superior. Sempre encontrei um bom ambiente entre alunos e professores o que me fez estar sempre motivado no estudo.

O que é o melhor do curso em que se encontra?

SB - O melhor do curso de Química são as pessoas. Este curso é muito exigente, mas quando se tem excelentes professores no curso, o trabalho do aluno é mais fácil.

O que significa pertencer a esta casa, a Ciências ULisboa?

SB - Para mim, pertencer a esta casa é um orgulho. É uma casa que todos os anos forma excelentes profissionais nas diferentes áreas científicas. Este é o resultado do trabalho dos excelentes docentes e não docentes que a faculdade felizmente possui.

Quais são as principais dificuldades?

SB - A principal dificuldade que encontro é sobretudo conciliar a ida às aulas com os treinos. Para ser excelente a nível desportivo tem-se muitas vezes que treinar duas vezes por dia, e assim o tempo de aulas e estudo torna-se muito limitado. Acho que podia haver uma parceria com as federações, clubes e universidades para que houvesse mais facilidades, por exemplo na escolha de horários ou de turmas e grupos nas aulas práticas.

Samuel Barata nas redes sociais

A RUNning e o Programa Nacional de Marcha e Corrida promoveram um treino para desejar boa sorte ao atleta Samuel Barata, que representou a seleção nacional nos 10 000 metros do Campeonato da Europa de Atletismo, este mês em Berlim, na Alemanha. Veja as imagens no Facebook desse evento marcado pela boa disposição e pela partilha. A prova não correu da melhor forma para Samuel Barata, mas o jovem promete “continuar a trabalhar para voltar a estes palcos novamente com mais força e com mais experiência”. Siga o seu percurso desportivo também no Instagram.

Quais são os planos futuros a nível desportivo e académico?

SB - O meu plano a nível desportivo é ficar cada vez mais consistente a nível nacional e estar competitivo a nível internacional. Tenho um sonho de ganhar uma medalha internacional e é para isso que treino todos os dias. Outro grande objetivo é estar presente nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020. O meu plano a nível académico é finalizar o mestrado em Química, falta-me a dissertação.

Por fim, peço que deixe uma mensagem de motivação para os estudantes de Ciências ULisboa.

SB - Temos de acreditar no trabalho que fazemos. Independente da área, se trabalharmos no duro todos os dias, os resultados mais tarde ou mais cedo vão aparecer, e por vezes pode acontecer o que pensamos que é impossível.

Raquel Salgueira Póvoas, Área de Comunicação e Imagem de Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

Estudo da UCL e do CFTC Ciências ULisboa pode ser útil no controlo de ecossistemas microbióticos e no desenvolvimento de dispositivos médicos. Entrevista com Nuno Araújo e Vasco Braz, autores do artigo publicado na Nature Communications.

A propagação de bactérias perto de superfícies é fortemente influenciada pela presença de obstáculos. Investigadores da University College London, no Reino Unido e do Centro de Física Teórica e Computacional da Ciências ULisboa publicaram recentemente um estudo na revista Nature Communications, cujos resultados contribuem para o conhecimento de uma das áreas mais ativas da Física da Matéria Condensada - o estudo de matéria ativa em ambientes complexos.

"Quando há 50 anos, em julho de 1969, astronautas norte-americanos (missão Apollo 11) pousaram pela primeira vez na Lua as suas impressões registaram uma imensa desolação. O ambiente, sem vida ou atmosfera, que aí foram encontrar quadrava bem com o nome atribuído à grande planície crivada de crateras onde haviam chegado: o Mar da Tranquilidade." Crónicas em Ciências com Luís Tirapicos.

No passado dia 4 de outubro ocorreu um incidente num laboratório do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE), em Ciências ULisboa.O edifício foi evacuado e dado o alerta para os meios externos de socorro, que em articulação com o sistema de segurança da Faculdade rapidamente controlaram a ocorrência.Não houve qualquer vítima, nem danos materiais a registar.

Investigação liderada por cientistas do polo da Ciências ULisboa do MARE revela como os mutualismos de limpeza marinhos lidam com o aquecimento e acidificação dos oceanos. José Ricardo Paula, primeiro autor do artigo publicado recentemente na revista Scientific Reports do grupo Nature, está inscrito no doutoramento de Biologia - especialidade de Biologia Marinha e Aquacultura e sempre foi apaixonado por comportamento animal, cooperação e mutualismos - especialmente debaixo de água.

"Fomos os mais rápidos, mas não conseguimos trazer o troféu para casa. Não importa, a jornada já foi o próprio prémio." Crónicas em Ciências com o professor Hugo Ferreira. O tema em foco é a competição internacional de estudantes universitários SensUs e a equipa da ULisboa que competiu ao lado de outras 13, provenientes de universidades da Europa, América do Norte, China e Egito.

Ciências ULisboa e a Maxdata Software apresentam a 26 de setembro, entre as 14h00 e as 17h45, na sala de atos, no edifício C6, no campus da Faculdade, os principais resultados do RESISTIR. O projeto visa apoiar e implementar novos sistemas de medicina preditiva, personalizada, preventiva e participativa e insere-se num consórcio que junta o BioISI, o LaSIGE; entidades empresariais na área de eHealth e diversas instituições de saúde.

Um grupo de investigadores da ULisboa está cada vez mais perto de conseguir criar um processo economicamente viável de reciclagem do dióxido de carbono responsável pelo efeito de estufa. Paulo N. Martinho, investigador de Ciências ULisboa, coordenou este trabalho, que dada a relevância dos resultados obtidos foi capa recentemente de uma das edições da conceituada revista Chemistry – A European Journal.

Rebecca Bell, professora do Imperial College London, no Reino Unido, é a oradora da palestra do distinguished lecturer programme do European Consortium for Ocean Research Drilling (ECORD), coorganizada pelo Instituto Dom Luiz Ciências ULisboa. A especialista em Tectónica irá falar sobre um novo tipo de sismos, os chamados sismos lentos.

Um grupo de investigadores do Grupo de Fala e Linguagem Natural (NLX) do Departamento de Informática de Ciências ULisboa visitou, em julho passado, o Laboratório de Inteligência Artificial da Lenovo, no âmbito de um projeto de intercâmbio científico, coordenado por António Branco, professor do DI e coordenador do NLX.

FRISK visa descobrir as rotas predominantes de chegada dos novos peixes não indígenas através da utilização integrada de ferramentas moleculares, modelação espacial, seguimento dos movimentos dos peixes e ciência cidadã. Leia a crónica de Filipe Ribeiro, investigador principal do projeto e do polo de Ciências ULisboa do MARE.

Ciências ULisboa continua a ser uma referência no ensino superior, preenchendo a totalidade das vagas na 1.ª fase do Concurso Nacional de Acesso ao ensino superior. Leia o artigo de Pedro Almeida, subdiretor da Faculdade.

A maior conferência Android do mundo, com 11 anos de existência e presente em mais de 25 cidades por todo o mundo, - Droidcon Lisboa 2019 - realiza-se pela primeira vez em Portugal nos dias 9 e 10 de setembro, no campus de Ciências ULisboa.

A equipa LxUs integra alunos das faculdades de Ciências e de Farmácia da ULisboa e é a primeira a representar Portugal no SenSus. Os estudantes desenvolveram biossensores para medição dum fármaco biológico, utilizado para tratar doenças como a artrite reumatoide. Grande parte da equipa é da área da Engenharia Biomédica e Biofísica.

“O meu estágio foi muito desafiante”, conta Marissa Verhoeven, estudante de Biologia Aplicada na Holanda, após a experiência no projeto de permacultura experimental da HortaFCUL. Na crónica sobre esta experiência partilha os resultados da sua investigação sobre a produção e o uso do vermicomposto, bem como um livro infantil sobre a importância das abelhas.

Paula Simões ora leciona e orienta alunos, o que geralmente ocupa grande parte das suas manhãs ou tardes, ora ocupa o restante tempo com outras atividades como é exemplo o projeto “Cigarras de Portugal – Insetos Cantores”, no âmbito do qual os cidadãos são desafiados a estarem atentos aos sons das cigarras!

O professor de Ciências ULisboa Tiago Guerreiro é um dos novos editores chefes da Association for Computing Machinery (ACM) Transactions on Accessible Computing (TACCESS).

Grupo de investigadores e responsáveis de instituições de investigação escreveram uma carta aberta de protesto sobre decisão do Tribunal de Justiça Europeu sobre genoma.

Francisco Pina Martins, Adrià López-Baucells e Inês Gomes Teixeira são os vencedores do Prémio de Doutoramento em Ecologia 2019. Os trabalhos galardoados serão apresentados durante o 18.º Encontro Nacional de Ecologia, que se realiza em simultâneo com o 15.º Congresso Europeu de Ecologia, entre 29 de julho e 2 de agosto em Ciências ULisboa.

"É um erro pensarmos que uma boa equipa de I&DE só deve ser construída com os mais espertos: de facto, é o coletivo, constituído com pessoas que trazem uma gama variável de perspetivas (pontos de vista) para um problema, que obtém os melhores resultados", in no Campus com Helder Coelho.

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço e o Museu da Presidência da República celebram os 50 anos da chegada à Lua.

Professores de todo o país vão estar reunidos no maior evento de formação acreditada na área do ensino das ciências realizado em Portugal. O VI Encontro Internacional da Casa das Ciências acontece entre os dias 10 e 12 de julho, no campus de Ciências ULisboa.

Tal como sucedeu em edições anteriores, vários professores e investigadores de Ciências ULisboa participam no Ciência 2019 - Encontro com a Ciência e Tecnologia em Portugal, que decorre em Lisboa até 10 de julho.

Mara Gomes, aluna do 2.º ano do mestrado em Ciências do Mar participou no cruzeiro oceanográfico RV Polarstern em junho passado, sob o lema “Changing Oceans – Changing Future”. “Mara Gomes teve a dupla experiência de participar como cientista e de ensinar os alunos do programa POGO”, conta Vanda Brotas, professora do Departamento de Biologia Vegetal e investigadora do polo de Ciências ULisboa do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE).

As classificações excelente e muito bom destacaram-se na avaliação feita aos centros de investigação afetos a Ciências ULisboa. Para os próximos quatro anos, Ciências ULisboa pretende continuar a sua aposta na investigação de excelência, agora com um pouco mais de fundos (um acréscimo de mais de quatro milhões de euros).

Páginas