Ciências em Movimento

Ciências em Movimento - Laboratório Biologia Animal
GCIC-FCUL

Durante cinco dias, alunos, investigadores, professores e AEFCL prepararam diferentes atividades para receber alunos e docentes vindos de escolas básicas, secundárias e até infantários.

A iniciativa 1.ª semana Ciências em Movimento, a cargo da Faculdade de Ciências e apoiada pelo programa Escolher Ciência, recebeu 440 participantes oriundos de sete escolas durante o período de 10 a 14 de fevereiro. No total, realizaram-se 25 atividades sobre diferentes campos da ciência e dez flash-talks apresentadas por 32 professores/investigadores.

Ilda Godinho, professora da Escola Secundária de Vila Viçosa, a acompanhar os seus alunos do 11.º ano, explicou a importância da vinda à FCUL: “Pensámos nisto no espaço de uma semana e assim que falámos neste assunto aos alunos, todos nos disseram que vinham. É uma turma de 27 alunos e vieram todos. São alunos que vivem fora lisboa, de locais distantes e, por isso, esta é uma oportunidade de contactarem com uma faculdade: ver o que é, o trabalho que aqui é desenvolvido, conhecer os laboratórios. Aprendem sempre! É outra perspetiva da ciência”.
 

Durante a semana, o átrio do C6 foi o ponto com maior concentração de atividades: houve jogos, apresentações, oficinas.


Fonte: GCIC-FCUL
Legenda: "Oficina de Carrinhos Solares" foi uma das atividades preparadas para os participantes da semana Ciências em Movimento

Duarte Santos, aluno do 5.º do mestrado integrado em Engenharia da Energia e do Ambiente e membro do grupo “Energia nas Escolas”, a dar apoio à atividade “Oficina de Carrinhos Solares”, reforçou a importância do acompanhamento dado aos estudantes: “A aprendizagem, quando é auxiliada com a prática, através de algo de que eles gostem e se divirtam, é aumentada exponencialmente. A aquisição de conhecimentos torna-se muito mais rápida e fácil, os alunos querem repetir a experiência e fazer outras atividades”.

O jovem aluno da FCUL comentou ainda que a atividade que naquela altura ensinara ao grupo de alunos de Geografia da Escola Secundária Frei Gonçalo de Azevedo incluiu a utilização de materiais reciclados, “o que permite sensibilizá-los para o assunto da reciclagem mostrando o que se pode fazer com materiais que à partida não têm utilidade”.

Para além do átrio do C6 e dos anfiteatros destinados à interação através de flash-talks, os visitantes tiveram a oportunidade de conhecer outros espaços da faculdade, nomeadamente através da atividade “Pedipaper da Química e Bioquímica”, que conduziu os participantes pelos laboratórios do DQB, anfiteatros do C3 e Passeio da Ciência no C6.


Fonte: AEFCL
Legenda: A atividade “Pedipaper da Química e Bioquímica”, levou os estudantes a explorar diferentes espaços da FCUL

Alguns laboratórios convidaram ainda os estudantes a vestir as batas e a utilizar os materiais disponíveis, foi o caso de dois dos laboratórios de Biologia Animal.
 

Na atividade “Os peixes também têm vida sexual” abordaram-se exemplos de oviparidade, viviparidade ou ovoviviparidade, hermafroditismo, monogamia e poligamia e da diversidade de comportamentos que neste grupo se podem encontrar.

“Olha, aqui estão os ovários! E o fígado está algures por aqui…”, foi um dos comentários ouvidos na sala, à medida que as descobertas aconteciam.


Fonte: GCIC-FCUL
Legenda: Na atividade “Os peixes também têm vida sexual” os estudantes vestiram as batas e utilizaram os materiais disponíveis para descobrir o interior de diferentes peixes

As motivações para estar presente nestas atividades foram distintas, entre os presentes, houve os que vieram para ouvir pela primeira vez explicações sobre estas temáticas, outros vieram complementar o conhecimento adquirido em aula, outros ainda esclarecer dúvidas para definir escolhas futuras.

Alexandra Monteiro, aluna do 12.º ano de Biologia da Escola Secundária Dona Filipa de Lencastre, deu conta da sua experiência enquanto cientista: “Não conhecia a Faculdade e estou a gostar. Nunca tinha aberto um peixe! Acho que é importante fazer parte deste tipo de iniciativas para que quem queira seguir [a área das ciências], tenha contacto com a realidade antes de fazer a sua escolha”.

As descobertas científicas envolveram e animaram pequenos e graúdos. As crianças do infantário do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) também tiveram a oportunidade de pôr o dedo no ar e ver esclarecidas as suas dúvidas e curiosidades sobre este “mundo dos crescidos”.


Fonte: GCIC-FCUL
Legenda: Durante a semana, também os mais pequenos descobriram, com entusiasmo, Ciências

Leonor, Gabriela e Francisco, souberam responder à questão – “Afinal, o que é um tornado?” -, com uma explicação pronta: “Um tornado é uma nuvem muito grande que anda à volta!”.

Entusiasmados, os visitantes do infantário referiram que para além da atividade do tornado, gostaram de utilizar os tubos de ensaio já que estes permitiram “pôr água da chuva e ver o líquido a ficar amarelo, pôr água do mar e tornar o líquido cor-de-rosa”. Foi também neste dia que encontraram a resposta para algo que não estavam à espera – “Porque é que o céu é azul?”.


Fonte: AEFCL
Legenda: No total, realizaram-se dez flash-talks apresentadas por 32 professores/investigadores

“Ordem e Caos”, “Matéria e Energia”, “Mar e Atmosfera”, “Riscos e Catástrofes” e “Tecnologia e Sustentabilidade” foram as temáticas abordadas em cada dia desta semana onde “diferentes áreas científicas ‘conversaram’ entre si e com os visitantes”. A vontade de voltar ficou registada! Brevemente, as portas voltam a abrir-se para transmitir conhecimento científico. A todos os que quiserem ter contacto direto com Biologia, Bioquímica, Informática, Engenharia da Energia e do Ambiente, Estatística e Investigação Operacional, Física, Geologia, Matemática Química, fica o convite para fazerem parte do Dia Aberto 2014, a acontecer dia 23 de abril.
 

+ Sobre a semana Ciências em Movimento

 

“Estamos fazer uma atividade nova, diferente da nossa área, que tem a ver com a radiação solar. Estamos a aprender a fazer um carro que se vai mover a energia solar, neste caso com uma lâmpada. Somo de Línguas e Humanidades mas acho que é importante abrir mentes, não termos conhecimento só de uma área”, Maria Bemposta, aluna da Escola Secundária Frei Gonçalo de Azevedo

 “Sou da área de Ciências e estou a gostar bastante! Vimos as ondas internas, profundas, micro algas e peixes. Acho que nos ajuda a tomar decisões”, Inês Jorge, aluna da Escola Secundária Eça de Queirós

“O nosso projeto este ano na escola é ‘Descobrir a Ciência’. Temos feito várias experiências com as crianças e elas estão bastante interessadas. Acho que tudo o que nos envolve é ciência, por isso é sempre bom virem a estes eventos, até para terem contacto com experiências e pessoas diversificadas. Eles estão mesmo entusiasmados!”, Carla Oliveira, educadora do infantário LNEC

"Acho que nos ajuda a saber se queremos vir para a FCUL e se estamos interessados nestas áreas”, Francisco Mouzinho, aluno da Escola Secundária Eça de Queirós

“Aqui aprendi que a placa tectónica quando sobe, faz uma onda gigante. Tivemos a fazer uma caça ao tesouro, a preparar um kit de emergência. Eu não gosto de ciências, eu adoro ciências!”, Carolina, aluna da Escola Básica Gama Barros

 “Gostei das ondas internas e longas. Vou sair mais esclarecido daqui. Ajuda-nos a perceber o que queremos”, João Correia, aluno da Escola Secundária Eça de Queirós

 “Voltar à Faculdade de Ciências, é ótimo. É uma experiência maravilhosa!”, Ricardo Diz, aluno da Escola Secundária Eça de Queirós

“Uma das razões que nos trouxe aqui prende-se com o desenvolvimento de eco laboratórios nas nossas escolas, onde queremos fazer a aproximação da escola secundária e escola básica às ciências. Esta experiência também tem por objetivo aprender e compreender como é que a Faculdade faz a ligação entre a ciência e a sociedade para podermos também replicá-la a nível do ensino básico e secundário”, Fernando Rolo, professor de Geografia da Escola Secundária Frei Gonçalo de Azevedo

Raquel Salgueira Póvoas, Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura da FCUL
info.ciencias@fc.ul.pt
espaço da exposição

Entrevista a José María Moreno Madrid, curador da exposição “A Porta do Pacífico: Uma viagem cartográfica pelo Estreito de Magalhães”, inaugurada no dia 3 de novembro de 2022. A exposição constitui uma mostra cartográfica sobre a construção da imagem do Estreito de Magalhães nos inícios da Idade Moderna. Pode ser visitada até junho de 2023, na Galeria de Ciências (Edifício C4).

Margarida Amaral

Margarida Amaral, professora do Departamento de Química e Bioquímica da Faculdade e investigadora principal do grupo de investigação em Fibrose Quística, no BioISI, integra o Conselho de Acompanhamento Científico da Emiliy’s Entourage.

David Moreno, Vicente Miguel e Pedro Gil

A Fundação Calouste Gulbenkian atribuiu Bolsas Gulbenkian Novos Talentos a três estudantes de mérito da Ciências ULisboa das áreas de Matemática, Física e Biologia. David Moreno, Pedro Gil e Vicente Miguel vão participar no desenvolvimento de um projeto de investigação ao longo de um ano.

ilustração SARS-CoV-2

Um novo estudo liderado por Luís Graça, investigador principal Instituto de Medicina Molecular João Lobo Antunes (iMM) e professor catedrático da Faculdade de Medicina da ULisboa, e por Manuel Carmo Gomes, professor associado com agregação da Ciências ULisboa, ambos membros da Comissão Técnica de Vacinação contra a COVID-19 (CTVC) da Direção Geral de Saúde (DGS), publicado em janeiro na revista científica Lancet Infectious Diseases, mostra que a proteção conferida pela imunidade híbrida contra a subvariante de SARS-CoV-2 Omicron BA.5, obtida pela infeção de pessoas vacinadas, mantém-se até pelo menos oito meses após a primeira infeção.

grupo das raparigas e uma pessoa da organização

Estudantes da Ciências ULisboa representaram a Faculdade no Digital Health Summit 2022, um encontro internacional dedicado ao futuro dos cuidados de saúde, promovido pela empresa Premivalor. Os alunos, organizados em dois grupos, apresentaram os projetos “The Golgi Printer” e “Cloudia”, tendo este último ficado classificado em 3.º lugar no concurso de projetos H-INNOVA - Health Innovation HUB, uma empresa de inovação no sector da saúde.

Salão da Academia das Ciências de Lisboa

Em 2022 a Academia das Ciências de Lisboa elegeu para a sua Classe de Ciências novos membros efetivos e correspondentes nacionais. Entre eles estão os professores da Ciências ULisboa Fernando Ferreira, nomeado membro efetivo; João Duarte e Jorge Buescu, nomeados correspondentes nacionais.

salão nobre da Reitoria da ULisboa

Oito professores e investigadores da Ciências ULisboa foram agraciados com prémios e menções honrosas, na edição de 2022 dos Prémios Científicos ULisboa/Caixa Geral de Depósitos (CGD). Errata da notícia publicada em novembro.

vários barcos no mar

Cinco docentes e investigadores do IDL participaram no consórcio do projeto NAVSAFETY, cujo principal objetivo foi o desenvolvimento de uma plataforma digital de auxílio às entidades portuárias na gestão do tráfego marítimo. O projeto, coordenado pela Universidade de Aveiro, e financiado pelo programa Fundo Azul, terminou no mês de setembro.

três pessoas a assinar o protocolo

Ciências ULisboa celebrou um protocolo de cooperação com a Câmara Municipal de Lisboa, através do Regimento de Sapadores Bombeiros e do Departamento de Desenvolvimento e Formação. A assinatura do protocolo decorreu ontem, dia 19 de dezembro, nas instalações da Ciências ULisboa.

Boia na foz do estuário do Tejo

A Rede Portuguesa de Monitorização Costeira (CoastNet) integra o Programa da Década da Ciência dos Oceanos para o Desenvolvimento Sustentável 2021-2030 da Organização das Nações Unidas (ONU) e representa Portugal neste programa da ONU. A CoastNet é uma infraestrutura de investigação do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE), da Ciências ULisboa e da Universidade de Évora.

aves a voar com mar em fundo

Estudo, da autoria de quatro investigadores da Ciências ULisboa, que aborda as alterações ambientais em zonas húmidas e os impactos no habitat de aves limícolas costeiras, foi publicado na revista Science of the Total Environment.

paisagem da caatinga

O Prémio Científico Mário Quartin Graça 2022, na categoria de Tecnologias e Ciências Naturais, foi atribuído a Ana Cláudia P. Oliveira, aluna do doutoramento em Biologia e Ecologia das Alterações Globais na Ciências ULisboa e investigadora do cE3c.

Estepe na Patagónia Argentina

Para avaliar o impacto do pastoreio nas regiões áridas do planeta, uma equipa internacional com mais de uma centena de investigadores, destaque para Alice Nunes e Melanie Köbel, investigadoras do cE3c Ciências ULisboa, aplicou, pela primeira vez, o mesmo método de análise em 25 países de seis continentes.

rua interior à Alameda da Universidade, na Faculdade de Ciências

A 16 de novembro de 2022 foi instalado um sensor de tubo, na entrada da rua de acesso ao edifício C7 (rua interior à Alameda da Universidade), que permite detetar a passagem de bicicletas e trotinetes. Esta instalação insere-se na atividade do projeto europeu Tr @ nsnet – Um modelo de Living Lab Universitário para a Transição Ecológica

Campus da Faculdade

A cerimónia de entrega dos Prémios Científicos ULisboa/Caixa Geral de Depósitos (CGD) 2022, acontece no próximo dia 28 de novembro, pelas 17h30, no Salão Nobre da Reitoria da ULisboa.

grupo de pessoas

Ciências ULisboa coordena projeto europeu Twinning em colaboração com a Universidade de Copenhaga, na Dinamarca, e a Universidade de Tel Aviv, em Israel, e em parceria com a Universidade de Cambridge, no Reino Unido. O objetivo é promover a investigação de excelência e a formação avançada em Bioquímica e Biofísica de Proteínas, com impactos e aplicações em Biomedicina e Biotecnologia.

Ibéria Medeiros

Ibéria Medeiros, professora do Departamento de Informática da Ciências ULisboa, é a protagonista do terceiro vídeo do projeto “Porquês com Ciência”, divulgado no YouTube da Faculdade a 3 de novembro.

estantes com livros e revistas na biblioteca do C4

"September 2022 data-update for 'Updated science-wide author databases of standardized citation indicators'” divulga as bases de dados com os nomes dos cientistas mais citados a nível mundial em 2021 e ao longo da carreira. Estas bases de dados publicadas recentemente pela Elsevier têm o contributo de John Ioannidis, professor da Universidade de Stanford, na Califórnia.

A Faculdade presta homenagem a Carlos Sousa Reis, antigo professor da Ciências ULisboa nos domínios da Ecologia Marinha, Recursos Vivos Marinhos, Pescas e Ordenamento do Litoral.

grande auditório no evento de 2021

“Este é um momento de celebração da qualidade da investigação e da inovação desenvolvidas na Ciências ULisboa, a ocasião ideal para a partilha de conhecimento e para o estabelecimento de colaborações", diz Margarida Santos-Reis, subdiretora da Ciências ULisboa para a área da investigação, a propósito do Dia da Investigação.

José Rebordão, Luís Carriço e Manuel Silva assinam o protocolo

A Faculdade e a FCiências.ID assinaram um protocolo de cooperação com a Cercal Power, uma sociedade da Aquila Clean Energy, a plataforma de energia renovável da Aquila Capital na Europa, dedicada ao desenvolvimento, construção e exploração da central fotovoltaica do Cercal, em Santiago do Cacém.

Imagem de um cérebro em fundo digital

"A linha de investigação em Filosofia da Inteligência Artificial e da Computação surgiu pela primeira vez em Portugal na Ciências ULisboa, nomeadamente, no Centro de Filosofia das Ciências da Universidade de Lisboa (CFCUL), com o intuito de contribuir para um debate que interessa à sociedade no seu todo", escrevem João L. Cordovil e Paulo Castro, investigadores do CFCUL Ciências ULisboa.

logotipo do projeto

O Gabinete de Apoio Psicológico (GAPsi) da Ciências ULisboa partilhou o primeiro episódio do podcast “Chá do Dia”, no passado dia 19 de setembro. O quinto episódio deste projeto inovador já está disponível na plataforma Spotify.

Estúdio da FCCN

João Telhada é um dos protagonistas do projeto "Porquês com Ciência", nomeadamente no vídeo “É seguro pagar online com cartão VISA?”, disponível no canal YouTube da Faculdade. Para o professor do DEIO Ciências ULisboa, “a cultura científica é um aspeto essencial no progresso e desenvolvimento de um país”.

grupo de pessoas

Tom Henfrey, Giuseppe Feola, Gil Penha-Lopes, Filka Sekulova e Ana Margarida Esteves publicam na Sustainable Development, no âmbito de relatório da rede ECOLISE, da qual Ciências ULisboa faz parte.

Páginas