À conversa com… João Telhada

Global Management Challenge

João Telhada em reunião com uma das quatro equipas da Faculdade, presentes no GMC 2020

Imagem cedida por JT

Ciências ULisboa deseja bons desafios a todos os participantes desta 41.ª edição do GMC, em especial aos seus estudantes: Francisco Monteiro (MA), Nirav Jivan (MA), Joana Silva (MA), Samuel Branco (MA) e Pedro Campina (MA) - equipa CGD/MATHFCUL; Tiago Lomba (EBB), Inês Caipiro (EF), João Padrela (EBB), Patrícia Rodrigues (EBB) e Ricardo Edgar Silva (EF) - equipa FIDELIDADE/CASHIX; Vasco Silva (EBB), Catarina Camarate (EBB), Ema Lopes (EBB), Henrique Barbosa (EBB) e Joana Brites (EBB) - equipa FUJITSU/MEDTEC; Henrique Santos (MA), João Santos (EEA), Miguel Ferreira (TI) e Sara Gomes (MA) - equipa FUJITSU/ENGEMATI. Francisco Monteiro, Tiago Lomba, Vasco Silva e Henrique Santos são os líderes das equipas.

Ciências ULisboa volta a participar com equipas de estudantes no Global Management Challenge (GMC).

“Esta competição, organizada pela SDG – Simuladores e Modelos de Gestão e pelo jornal Expresso, é uma das iniciativas mais faladas no mundo no que toca a simuladores de gestão”, conta João Telhada, professor do Departamento de Estatística e Investigação Operacional da Ciências ULisboa e um dos principais dinamizadores deste concurso na Faculdade, sobretudo pela alegria de ver os estudantes adquirirem outro tipo de conhecimentos.

No passado dia 16 de junho começou a 1ª fase do GMC 2020, que conta com quatro equipas desta faculdade compostas por alunos dos mestrados integrados em Engenharia Biomédica e Biofísica (EBB), em Engenharia da Energia e do Ambiente (EEA) e em Engenharia Física (EF), assim como alunos das licenciaturas em Matemática Aplicada (MA) e Tecnologias de Informação (TI).

“Trata-se de um conjunto de 19 alunos muito entusiasmados com esta experiência, tendo já demonstrado uma excelente capacidade de trabalho e organização na fase preparatória que temos levado a cabo desde o final de abril”, comenta João Telhada. As equipas funcionam sob a sua supervisão. O professor valoriza principalmente a autonomia e a capacidade de superar desafios complexos, sendo que a competição acontece normalmente durante a época de aulas e exames destes alunos e este ano num contexto muito diferente, devido à pandemia.

Ainda assim o esquema do GMC continua o mesmo: uma primeira fase de treino; duas voltas, uma neste período do ano, outra normalmente em setembro, outubro. Cada volta é composta por cinco decisões: uma por cada semana. As equipas são formadas por estudantes ou por quadros de empresas, sendo que também existem equipas mistas. Os primeiros classificados da segunda volta disputam a final nacional, que costuma acontecer no final do ano, o vencedor da final nacional participa na final internacional que ocorre no ano seguinte, normalmente na primavera.

“Trata-se de um conjunto de 19 alunos muito entusiasmados com esta experiência, tendo já demonstrado uma excelente capacidade de trabalho e organização na fase preparatória que temos levado a cabo desde o final de abril.”
João Telhada, professor DEIO Ciências ULisboa e mentor das equipas da Faculdade no GMC

Este ano, após a 1.ª decisão da 1.ª volta, duas das equipas da Faculdade estão em 1.º lugar nos respetivos grupos e outras duas em 2.º. Os resultados da 2.ª decisão também já são conhecidos: uma permanece em 1.º lugar e outras três em 2.º lugar nos respetivos grupos. “Isto está num excelente caminho, com as equipas motivadas”, comenta João Telhada.

“Eles ‘atrevem-se’ a competir sem medo, contra ´tubarões’ provenientes de escolas de gestão, e conseguem transpor essa dificuldade, revelando a capacidade analítica que resulta do ensino que Ciências ULisboa lhes proporciona”, diz João Telhada sobre as equipas da Faculdade e que este ano são patrocinadas pela Caixa Geral de Depósitos, Fujitsu e Fidelidade. “Pese embora as dificuldades que vivemos atualmente, foi possível encontrar apoio para financiar as inscrições das nossas equipas - cada equipa paga 1.750€+IVA de inscrição”, salienta.

Aplicar a teoria em questões práticas

Desde 2011 que Ciências ULisboa participa com equipas de estudantes no GMC. Na opinião de João Telhada, a experiência universitária passa por adquirir um conjunto de soft skills, normalmente em ambiente fora da sala de aula, por isso o professor defende que se deve ajustar a carga letiva com idênticos objetivos e exigências, garantindo cada vez mais a possibilidade dos estudantes participarem neste tipo de concursos.

João Telhada com os alunos da 2,ª volta do GMC 2019
À 2.ª volta em 2019 competiram cinco alunos da licenciatura em Matemática. uma equipa patrocinada pela Fidelidade e que na 1.ª volta foi a 19ª melhor a nível nacional
Fonte ACI Ciências ULisboa

Na edição do ano passado, Ciências ULisboa esteve representada nesta competição com seis equipas. À 2.ª volta em 2019 competiram cinco alunos da licenciatura em Matemática - Daniela Alberto, João Chaves, Luís Viola, Mafalda Silva e Pedro Carvalho -, uma equipa patrocinada pela Fidelidade e que na 1.ª volta foi a 19ª melhor a nível nacional, se se ordenar o desempenho de todas as 200 participantes. No verão do ano do passado foi possível ouvir esses alunos, da Matemática pura, que escolheram esta Faculdade como 1.ª opção. Todos salientaram que a aprendizagem foi o mais importante desta experiência.

“A aprendizagem foi o mais importante. Fomos confrontados com muita informação nas decisões e deu para recolher muita informação, que ajudou bastante na aula de Economia e Gestão.”
Pedro Carvalho, aluno Ciências ULisboa e participante do GMC 2019

O professor João Telhada corrobora estas opiniões, defendendo que ao frequentarem este tipo de desafio, os alunos aprendem de uma forma prática: adquirem competências técnicas e consolidam alguns conceitos, destacando também que o objetivo essencial não é a classificação final. “Há equipas que têm pessoas com uma formação forte na área da Economia e Gestão e dominam à partida outros conceitos, que os nossos alunos têm que aprender enquanto estão a competir, ou porque são constituídas por quadros de empresas e já são pessoas que têm experiência profissional”, conclui.

Scripta manent. O que se escreve, fica, permanece.

Milestone mistura estudantes com quadros”, in Expresso, setembro 2019, destaque para Isabel Nobre, aluna do Mestrado em Matemática e que em 2019 recebeu o prémio Milestone. “Viagem em equipa ao mundo real das empresas”, in Expresso, novembro de 2019, destaque para a participação de Inês Oliveira, antiga aluna de Matemática Aplicada da Ciências ULisboa e que já havia participado no GMC pela Faculdade anteriormente, numa equipa tutorada pelo professor João Telhada. Este mês e o próximo, o jornal Expresso publica artigos sobre os primeiros classificados de cada grupo. Fique atento!

A final nacional do GMC 2019 aconteceu no passado mês de janeiro. A equipa de quadros CGD_BUSINESS PLAN consagrou-se vencedora e irá representar Portugal na final internacional, em Lisboa, que devido à COVID-19 foi adiada, por agora, para outubro deste ano. Um mês depois, em novembro deverá acontecer a Final Nacional do GMC 2020 e em abril de 2021, em Macau, a final internacional.

O GMC é considerado por muitos a maior competição de gestão do mundo, com equipas provenientes de mais de 30 países. Esta competição é fortemente suportada pelo grupo Impresa, que tem apoiado a divulgação das equipas portuguesas participantes, com notícias e reportagens, sobretudo no Expresso e também na SIC.

Ana Subtil Simões, Área de Comunicação e Imagem Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

O projeto MarCODE visa desenvolver uma ferramenta multidisciplinar para potenciar o rastreio e a rotulagem ecológica de espécies marinhas de interesse comercial, segundo comunicado de imprensa emitido pela Faculdade. O estudo iniciado este mês de julho deverá terminar daqui a três anos.

Sexta rubrica Radar Tec Labs, dedicada às atividades do Centro de Inovação da Faculdade. A empresa em destaque é a Nevaro.

Cláudio Pina Fernandes, coordenador do GAPsi Ciências ULisboa, escreve sobre o Princípio da Incerteza e chama a atenção para alguns aspetos.

O mundo de hoje é completamente dominado pela necessidade imperiosa de saber recolher e analisar dados, escrevem os cientistas Tiago A. Marques e Soraia Pereira. Leia o artigo dedicado ao roteiro serológico nacional, uma iniciativa promovida pelo Instituto Gulbenkian de Ciência e que conta com a colaboração do Centro de Estatística e Aplicações da Universidade de Lisboa, da autoria destes investigadores.

Ciências ULisboa volta a participar com equipas de estudantes no Global Management Challenge (GMC). No passado dia 16 de junho começou a 1ª fase do GMC 2020, que conta com quatro equipas desta faculdade compostas por alunos dos mestrados integrados em Engenharia Biomédica e Biofísica, em Engenharia da Energia e do Ambiente e em Engenharia Física, assim como alunos das licenciaturas em Matemática Aplicada e Tecnologias de Informação.

Cerca de 194 milhões de aves e 29 milhões de mamíferos podem ser atropelados por ano nas estradas europeias, de acordo com a estimativa de uma equipa internacional de investigadores liderada por Clara Grilo, investigadora do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar (CESAM), polo da Ciências ULisboa, com sede na Universidade de Aveiro. Os resultados estão publicados na revista científica Frontiers in Ecology and Environment.

“A História do Pi em hipervídeo” está na Internet e pode ser consultada por todos e em toda a parte. O hipervídeo integra de forma estruturada e interativa vídeo e outros tipos de informação, nomeadamente, textos, imagens, áudio e animações. Saiba mais sobre este projeto lendo a entrevista com as professoras Suzana Nápoles e Teresa Chambel.

A dinâmica das epidemias é descrita por sistemas de equações diferenciais. Jorge Buescu, professor do Departamento de Matemática da Ciências ULisboa, apresenta neste artigo o modelo epidemiológico desenvolvido em 1927 por Kermack e McKendrick.

No próximo ano letivo, Ciências ULisboa irá utilizar novos modelos de ensino/aprendizagem, todos com horas de contacto entre docentes e alunos, mas que se diferenciam pela existência e forma da componente presencial, anunciou a Faculdade em comunicado de imprensa.

Um grupo de cientistas da Ciências ULisboa e da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, membros do CENTRA - Centro de Astrofísica e Gravitação participa no desenvolvimento do METIS (Mid-infrared ELT Imager and Spectrograph), um poderoso instrumento que vai equipar o maior telescópio do mundo - o Extremely Large Telescope.

A equipa do projeto Lista Vermelha de Invertebrados Terrestres e Dulçaquícolas de Portugal Continental preparou a campanha de ciência cidadã - “Invertebrados da Lista Vermelha procuram-se” -, cujo lançamento ocorre esta sexta-feira, dia 5 de junho.

"A nossa necessidade de conexão e de afeto é singular, no sentido em que precisamos e procuramos o contacto com outros seres humanos", escreve Inês Ventura, psicóloga do GAPsi Ciências ULisboa.

Um grupo multidisciplinar de cientistas propõe a criação de um roteiro nacional para a realização de testes serológicos em Portugal e defende que a avaliação rigorosa e concertada da prevalência da doença COVID-19 é a única forma de conhecer a real vulnerabilidade da população e monitorizar a dinâmica da epidemia.

Quinta rubrica Radar Tec Labs dedicada às atividades do Centro de Inovação da Faculdade. A empresa em destaque é a THEREUS.

A primeira etapa do COVIDETECT já está concluída e com sucesso anunciou esta quarta-feira a AdP - Águas de Portugal. Ciências ULisboa assegura a coordenação científica do projeto, financiado através do programa Compete 2020.

"Estudar em tempos da COVID-19 é novo e exigente. No entanto, temos recursos para tomar as rédeas, mesmo numa situação desta dimensão, e retomar o controlo", escreve Madalena Pintão, estagiária académica do GAPsi Ciências ULisboa. Conheça as suas sugestões...

"Independentemente das soluções adotadas, a crise sanitária da COVID-19 vem inequivocamente demonstrar que a Bioética, para além de uma vertente mais teórica e fundamental, tem uma vertente prática que atua no terreno e dá um contributo importante para a estabilização do funcionamento dos sistemas de saúde." Opinião de Jorge Marques da Silva, professor do Departamento de Biologia Vegetal da Ciências ULisboa e investigador do polo da Faculdade do BioISI. 

O Centro de Testes da Ciências ULisboa atualmente inteiramente dedicado à investigação, diagnóstico e rastreio do SARS-CoV-2 e suas variantes começou a sua atividade a 1 de maio, tendo já realizado mais de mil testes de diagnóstico à COVID-19, com a ajuda de cerca de 50 voluntários, sendo que mais de 300 pessoas manifestaram interesse em colaborar voluntariamente nesta nova infraestrutura da Faculdade.

A Delox foi distinguida recentemente com o Born from Knowledge (BfK) Awards no âmbito do protótipo de uma câmara de descontaminação transportável, que permitirá reutilizar máscaras respiratórias e que está a desenvolver em parceria com o Exército Português. A propósito desta distinção entrevistamos um dos fundadores da spin-off fundada há cerca de dois anos – Fernando Antunes, professor do DQB e investigador do polo da Faculdade do CQE.

"Estar em casa, da forma como se tem estado, pode surgir como o 'único lugar' seguro, dando uma forte sensação de proteção. Em oposição, a ideia de sair torna-se ameaçadora. Esta é uma ideia que é preciso cuidar, para que não se torne avassaladora e angustiante no processo de retomar, no encontro entre o 'mundo cá dentro' e o 'mundo lá fora'", escreve a psicóloga Andreia Santos.

"Neste exercício permanente de experimentar será que ganhamos uma impressão do que é uma Teoria Geral da Complexidade?" Mais um ensaio "No Campus com Helder Coelho", em destaque no Dia Nacional dos Cientistas.

“A nossa Faculdade tem uma oferta vasta, diversificada e de enorme qualidade”, diz Fernanda Oliveira, subdiretora da Faculdade em comunicado de imprensa emitido recentemente a propósito dos dias virtuais que têm como público alvo sobretudo candidatos ao ensino superior e que acontecem nos dias 21 de maio e 3 de junho de 2020.

"No restabelecimento do contacto com o mundo alguns receios e ansiedades poderão estar presentes, a recuperação fisiológica e emocional é um processo, e como tal, leva o seu tempo." Mais um artigo do GAPsi, com nova sugestão, convidando a refletir sobre aquilo que era a vida de cada um de nós, exatamente, há um ano atrás.

Rodrigo Santos, atualmente estudante de doutoramento em Informática na Ciências ULisboa, foi galardoado este ano com o prémio da melhor dissertação de mestrado sobre o Processamento de Língua Portuguesa no período de 2017-2019, durante a PROPOR – “14th International Conference on the Computational Processing of Portuguese”, ocorrida em Évora. 

O consórcio da missão Euclid, um telescópio que irá penetrar no lado escuro do Universo e que tem lançamento previsto para 2022, atribuiu o prémio Euclid STAR 2020 na categoria “equipa” a um dos grupos do consórcio com uma forte participação portuguesa, nomeadamente de investigadores do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA) e da Ciências ULisboa.

Páginas