"HisParc: bringing physics to your neighbourhood"

HisParc: Bringing physics to your neighbourhood
Filipe Freire

Investigação, educação e networking. Estes são os pilares que sustentam o projeto “HisParc: bringing physics to your neighbourhood”, criado na Holanda há 12 anos, e do qual faz parte o antigo aluno do curso de Física da FCUL, Filipe Freire, agora professor no departamento de Física e Astronomia na University College pertencente à Universidade de Utrecht.

Filipe Freire estudou na FCUL entre 1980 e 1985, altura em que o campus ainda não existia. Do tempo enquanto estudante, recorda ter feito parte da turma que “estreou o único edifício existente da FCUL no Campo Grande, o C1”. Agora, identifica como uma das grandes conquistas da Faculdade o sentido de pertença alcançado com a concentração de todos os departamentos num mesmo local: “Hoje penso que há espírito universitário, há o “calor humano” por existir uma zona comum a todos, há um polo com que os alunos se podem identificar!”.

Ciências recebeu o antigo aluno no dia 19 de março, a convite do Departamento de Física (DF-FCUL) e do Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL), num seminário dirigido a professores e educadores do ensino secundário, bem como a todos os interessados pela investigação na área dos raios cósmicos.

De acordo com o cientista, o projeto apresentado surge da necessidade de fomentar o interesse dos alunos pela área da Física e de integrá-la na sociedade, fazendo com que todos se sintam parte do processo de investigação científica e compreendam que “a evolução da Ciência requer interação e colaboração”. Para isso, o trabalho solicitado pressupõe a integração de detetores de raios cósmicos em universidades, escolas secundárias e museus para a obtenção de resultados.

Os alunos são desafiados a fazer parte do trabalho da manutenção do aparelho, análise de dados e de comunicação de resultados com os investigadores. Para Filipe Freire, esta é uma oportunidade de “adquirir uma certa independência a nível do desenvolvimento projetos, uma vez que o alcance de dados e a descoberta do que fazer com esses dados, permite que os estudantes se questionem sobre o que há de interessante e se proponham a encontrar coisas que não se explicam de uma forma fácil, a tentar encontrar respostas e a explicar fenómenos”.

Nesta altura, existem cerca de 80 escolas holandesas envolvidas no projeto. Para além deste país, existem já detetores instalados em países como a Inglaterra, a Dinamarca, a Alemanha e o Vietnam.

Para o professor do DF-FCUL, José Mimoso, o HisParc “é uma iniciativa com um enorme potencial para estimular o interesse de estudantes do ensino secundário pela Física, envolvendo-os conjuntamente com os seus professores e, articuladamente, com a Universidade num projeto de investigação científica coletivo acessível e atual”, sendo que a vinda do professor Filipe Freire à FCUL “serviu para estudar a possibilidade de uma futura adesão da Universidade de Lisboa a esta iniciativa, nomeadamente através do CAAUL e do DF-FCUL”.

Filipe Freire espera que Portugal se possa juntar à lista e, assim, estimular a “aprendizagem exploratória dos alunos” do seu país de origem.

As informações sobre o projeto podem ser encontradas no portal http://www.hisparc.nl/en/about-hisparc/ .

Raquel Salgueira Póvoas, Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura da FCUL
info.ciencias@fc.ul.pt

O evento é uma organização conjunta da Norton/Symantec e do mestrado em Segurança Informática do DI-FCUL.

O DM está na Futurália

Para Duarte Flor, presidente da associação académica e aluno do 12.º ano em Ciências, é importante que os candidatos ao ensino superior visitem as instalações de uma faculdade.

Desenho de uma figura masculina

“Existe um espaço onde o sentimento de pertença a uma escola pode ser reavivado", afirma Miguel Ramos.

Aluna junto a uma das colunas do átrio do C6

A mostra pictórica da atividade científica da FCUL é inaugurada a 13 de março. Conheça as razões pelas quais deve visitar a exposição.

O que são líquidos iónicos? Num dos primeiros programas do ano, o Com Ciência entrevistou o professor e investigador da FCUL, Carlos Nieto de Castro sobre esta classe de solventes.

Desenho de uma figura masculina

A data de lançamento do livro ainda não é pública, mas o evento deverá ocorrer brevemente, na Faculdade de Belas-Artes da UL.

Ontem evocou-se o Dia das Doenças Raras. A fibrose quística é um desses males incomuns. A investigação científica é importante em todos os setores, mas ganha especial sentido em áreas como esta.

Cerca de 20 professores de Ciências da Natureza e Ciências Naturais de nove concelhos portugueses participam na atividade promovida pelo MNHNC-UL a decorrer até abril.

Imagem de um folheto promocional

A FCUL volta a marcar presença no evento, juntamente com outras unidades orgânicas da UL.

Fotografia com pontos de interrogação

Alunos finalistas aconselham Engenharia da Energia e do Ambiente. Testemunhos de Guilherme Gaspar e Ricardo Leandro.

Fotografia de mesa com cinco pessoas sentadas, na Reitoria da UL

A rede pretende formalizar colégios doutorais em áreas transversais. Opinião de Maria Amélia Martins-Loução.

Fotografia de pessoas sentadas num dos anfiteatros da FCUL

A iniciativa acontece a 17 de março e é organizada pelos Departamentos de Física e de Informática.

Fotografia de Dois voluntários, sentados junto a uma banca no átrio do C5

Em fevereiro estão abertas inscrições para a admissão de novos voluntários.

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avançados" com mais quatro instituições universitárias portuguesas e brasileiras.

Vale a pena recordar a iniciativa do Gabinete de Mobilidade, Estágios e Inserção Profissional da FCUL.

Fotografia de alunos a andarem, junto ao C8

A primeira edição do curso realiza-se já em 2012.

Outra forma de fazer turismo.

Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25.Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25

O Encontro decorreu em Junho no GeoFCUL.

Páginas