Rede Europeia de Especialistas em Bioadesão

Organismos que produzem adesivos

Ouriço-do-mar agarrado à rocha através de centenas de órgãos adesivos que produzem uma cola à prova de água e resistente à força das ondas

cedida por Romana Santos

O MARE – Centro de Ciências e do Mar e o Centro de Química e Bioquímica estão a investigar “a forma como os ouriços-do-mar se agarram às rochas com o intuito de criar novos adesivos biomédicos”. De acordo com o comunicado de imprensa emitido por Ciências, em 2017 ocorre o primeiro grande evento da Rede Europeia de Especialistas em Bioadesão, no Museu de História Natural de Viena, na Áustria. Cientistas, engenheiros e empresários de 25 países europeus devem marcar presença.

Sabia que existem pequenos vermes que conseguem disparar fios super adesivos a mais de 30 cm de distância para capturar as suas presas? A natureza está recheada de exemplos de organismos que produzem colas para se fixarem, para se alimentarem ou para se camuflarem e defenderem, como por exemplo insetos que conseguem fixar-se em tetos, paredes ou mexilhões que se agarram às rochas com adesivos à prova de água e resistentes à força das ondas.

Para ir mais além, para decifrar os segredos destes super adesivos e usar as suas importantes características para os converter em novos produtos, com aplicações médicas e industriais, foi criada em outubro de 2016, no âmbito de uma Ação COST, a Rede Europeia de Especialistas em Bioadesão. O projeto é financiado até outubro de 2020.

 “Durante muitos anos pensou-se que estes animais [ouriços-do-mar] utilizavam os seus órgãos adesivos como ventosas para se moverem e agarrarem às rochas. No entanto, agora sabemos que produzem secreções adesivas e ‘desadesivas’, que lhes permitem colar-se e descolar-se repetidamente do substrato, através de um adesivo forte mas reversível (…) ao contrário das colas sintéticas, este bioadesivo é resistente e eficaz na presença de água, aderindo a diversas superfícies naturais e sintéticas, podendo vir a ter aplicações biomédicas como adesivo cirúrgico ou para fixar tecidos e células em cultura.” Romana Santos, vice-presidente da Rede Europeia de Especialistas em Bioadesão, investigadora do MARE – Centro de Ciências e do Mar e do Centro de Química e Bioquímica da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

Raquel Salgueira Póvoas, Área de Comunicação e Imagem
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

O ENEI'12 vai realizar-se na FCUL.

ESTRUTURA E GESTÃO DO DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA ANIMAL (DBA)

Apresentação do Departamento

Paleontólogos do MNHN da UL e do GeoFCUL em foco na revista TVmais.

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avançados" com mais quatro instituições universitárias portuguesas e brasileiras.

O DQB e a FCUL acolheram, mais uma vez, a realização de provas semifinais das Olimpíadas de Química Júnior 2012 no sábado, 14 de abril de 2012.

Pessoas estudam numa mesa na biblioteca

“Acho que qualquer aluno consegue ser bom, se tiver uma boa disciplina de trabalho e objetivos concretos”. Quem o diz é Gonçalo Faria da Silva, estudante do 3.º ano de Biologia.

No penúltimo dia de março realiza-se a quinta e última sessão do workshop destinado a preparar os estudantes para a obtenção do 1.º emprego.

 

Alunos da FCUL

A Schlumberger realiza uma sessão de recrutamento em Ciências. As grandes empresas procuram os melhores profissionais. A FCUL apoia a inserção profissional dos seus diplomados.
 

O evento é uma organização conjunta da Norton/Symantec e do mestrado em Segurança Informática do DI-FCUL.

O DM está na Futurália

Para Duarte Flor, presidente da associação académica e aluno do 12.º ano em Ciências, é importante que os candidatos ao ensino superior visitem as instalações de uma faculdade.

Desenho de uma figura masculina

“Existe um espaço onde o sentimento de pertença a uma escola pode ser reavivado", afirma Miguel Ramos.

Aluna junto a uma das colunas do átrio do C6

A mostra pictórica da atividade científica da FCUL é inaugurada a 13 de março. Conheça as razões pelas quais deve visitar a exposição.

O que são líquidos iónicos? Num dos primeiros programas do ano, o Com Ciência entrevistou o professor e investigador da FCUL, Carlos Nieto de Castro sobre esta classe de solventes.

Desenho de uma figura masculina

A data de lançamento do livro ainda não é pública, mas o evento deverá ocorrer brevemente, na Faculdade de Belas-Artes da UL.

Ontem evocou-se o Dia das Doenças Raras. A fibrose quística é um desses males incomuns. A investigação científica é importante em todos os setores, mas ganha especial sentido em áreas como esta.

Cerca de 20 professores de Ciências da Natureza e Ciências Naturais de nove concelhos portugueses participam na atividade promovida pelo MNHNC-UL a decorrer até abril.

Imagem de um folheto promocional

A FCUL volta a marcar presença no evento, juntamente com outras unidades orgânicas da UL.

Fotografia com pontos de interrogação

Alunos finalistas aconselham Engenharia da Energia e do Ambiente. Testemunhos de Guilherme Gaspar e Ricardo Leandro.

Fotografia de mesa com cinco pessoas sentadas, na Reitoria da UL

A rede pretende formalizar colégios doutorais em áreas transversais. Opinião de Maria Amélia Martins-Loução.

Fotografia de pessoas sentadas num dos anfiteatros da FCUL

A iniciativa acontece a 17 de março e é organizada pelos Departamentos de Física e de Informática.

Fotografia de Dois voluntários, sentados junto a uma banca no átrio do C5

Em fevereiro estão abertas inscrições para a admissão de novos voluntários.

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avançados" com mais quatro instituições universitárias portuguesas e brasileiras.

Vale a pena recordar a iniciativa do Gabinete de Mobilidade, Estágios e Inserção Profissional da FCUL.

Páginas