Filipa Rocha nomeada finalista do Prémio Jovens Inventores 2023 

Filipa Rocha

Filipa Rocha está entre os três finalistas da 2.ª edição do Prémio Jovens Inventores

Ricardo Junqueira

Filipa Rocha, estudante de doutoramento na Ciências ULisboa e professora assistente no Instituto Superior Técnico (Técnico Lisboa), desenvolveu um sistema que utiliza blocos tangíveis para promover a aprendizagem digital inclusiva para crianças com deficiência visual, ensinando assim literacia digital e eliminando barreiras educativas. Este trabalho valeu-lhe a nomeação como finalista da edição de 2023 do Prémio Jovens Inventores. O vencedor será conhecido a 4 de julho de 2023, na cerimónia transmitida ao vivo que terá lugar em Valência, em Espanha.

Cerca de 90 milhões de crianças e adolescentes em todo o mundo vivem com algum tipo de perda de visão, de acordo com a Agência Internacional para a Prevenção da Cegueira. Os professores e pais de crianças com deficiência visual têm dificuldade em encontrar ferramentas e brinquedos educativos convencionais que não tenham de ser adaptados. Filipa Rocha desenvolveu um sistema de codificação baseado em blocos para resolver este problema e democratizar o acesso à educação digital.

Filipa Rocha está entre os três finalistas da segunda edição do Prémio Jovens Inventores, distinção estabelecida pelo Instituto Europeu de Patentes para inspirar a próxima geração de inventores. Este prémio reconhece a criatividade e talento de jovens inventores com idade igual ou inferior a 30 anos, que tenham desenvolvido soluções tecnológicas para enfrentar problemas globais e ajudar a alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas. O trabalho de Filipa Rocha contribui para a melhoria no acesso à educação, em particular para o ODS 4 – Educação de Qualidade e ODS 10 – Redução das Desigualdades.

 

“Acho muito importante criarmos tecnologias acessíveis e inclusivas para todos, independentemente das capacidades ou deficiências. Isto significa garantir que a tecnologia que desenvolvemos possa ser utilizada por pessoas com deficiência visual ou cegas, por exemplo, ou por pessoas com problemas de mobilidade ou destreza” Filipa Rocha 

blocos
Filipa Rocha chama à invenção “Sistema de Programação Tangível Acessível Baseado em Blocos” (em inglês, ‘Block-based Accessible Tangible Programming Systems’, BATS).
Fonte Ricardo Junqueira

Filipa Rocha está a desenvolver o seu trabalho no LASIGE e no Interactive Technologies Institute, sob a orientação de Tiago Guerreiro (Ciências ULisboa) e Hugo Nicolau (Técnico Lisboa). A base do seu trabalho é a codificação baseada em blocos – uma linguagem de programação em que o programador cria sequências de instruções arrastando e soltando blocos num monitor. Nesta invenção, os blocos são tangíveis e decorados com ícones de espuma tridimensionais, que representam por exemplo a direção de um determinado movimento ou a função de fala para comandar o comportamento de um robot. Através destes blocos, as crianças com deficiência visual podem controlar o robô, como se estivessem a jogar um jogo no computador.

Este protótipo de ferramenta de aprendizagem demorou menos de um ano a ser criado. Foi testado remotamente com cinco famílias de crianças com deficiência visual entre os 6 e 12 anos durante a pandemia de COVID-19. Quase sem financiamento para o projeto, foi através das relações que estabeleceu com escolas, associações e famílias que Filipa Rocha conseguiu dar vida a este conceito. As famílias participantes sugeriram adicionar mais blocos para treinar outros conceitos, como geografia ou matemática. O trabalho de Filipa Rocha deu passos significativos para tornar o pensamento computacional acessível a todos, especialmente a crianças com deficiência visual ou cegas.

Com o seu trabalho, Filipa Rocha tem partilhado a sua paixão pela educação ensinando a alfabetização digital através de brincadeiras, trazendo um sorriso aos rostos dos jovens enquanto estes desenvolvem capacidades como programação de computadores.

Instituto Europeu de Patentes com GCC Ciências ULisboa e Interactive Technologies Institute
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

Encontram-se abertos vários concursos para atribuição de bolsas de gestão de ciência e tecnologia para o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Acesso a texto integral de artigos

Campus de Ciências

Pedro Lencastre é do Porto e agora estuda em Lisboa. A mudança proporcionou-lhe novos conhecimentos. “As pessoas com as quais trabalho neste momento são para mim um importante modelo como cientistas e pessoas”, conta.

Encontram-se abertas as candidaturas para o Programa Trainee Volkswagen Autoeuropa.

Pedro Lencastre

Pedro Lencastre estuda método matemático que possa aferir objetivamente a fiabilidade das avaliações de rating.

O Évoa - Espaço de Visitação e Observação de Aves encontra-se a recrutar guias para o seu projeto de turismo da natureza e de educação ambiental.

Entrevista de Paulo Veríssimo em destaque na edição de dia 8 do jornal diário Público.

A Randstad Professionals procura Fixed Income Quantitative Analyst. Para mais informações contactar 

A LPN encontra-se a recrutar técnicos para vários cargos.

Para consultar os editais, aceda a www.lpn.pt

Data limite de candidatura: 10 de setembro de 2014

Desejamos as boas vindas aos novos alunos do Departamento de Informática.

As candidaturas ao programa de doutoramento em Filosofia da Ciência, Tecnologia, Arte e Sociedade estão abertas até ao dia 12 de setembro de 2014.

Alunos de Ciências

Na primeira semana em Ciências os novos alunos enquanto aguardam pela inscrição podem assistir a palestras.

A relevância do estudo publicado na “Astronomy & Astrophysics” está na quantidade e qualidade da informação obtida por aquela infraestrutura astronómica internacional, tanto a nível químico como dinâmico.

Prémio Jovem Investigador da Sociedade Europeia de Aterosclerose

“A comunidade científica presente no evento congratulou-me, e a toda a equipa, pela qualidade do trabalho desenvolvido. Disseram que Portugal estava de parabéns!”, explicou a vencedora do Prémio Jovem Investigador da Sociedade Europeia de Aterosclerose, Catarina Alves.

Os resultados da 1.ª fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior são divulgados a 8 de setembro.

A actividade científica é colectiva e cumulativa. Newton disse: “Se vi um pouco mais longe do que os outros, é porque pude subir aos ombros de alguns gigantes”.

Gestos que salvam 2014

A partir do mês de setembro, entre outras iniciativas, está prevista uma ação de sensibilização em avaliação e prevenção de riscos.

Convento da Arrábida

“No limite do (im)possível” organizado pelo Instituto de Ciências da Complexidade ocorreu no Convento da Arrábida, entre 30 de junho e 1 de julho passado.

“Nós oferecemos muitas oportunidades sobretudo para pós-doutorados, pessoas bem treinadas”, disse Jorge Almeida Guimarães, referindo que em Portugal existem mais de cinco mil bolseiros brasileiros, enquanto o número de portugueses no Brasil é ainda reduzido.

Uma reflexão sobre o ano lectivo 2013/2014.

Encontra-se aberto concurso para atribuição de uma Bolsa de Investigação para Mestre no âmbito do Projeto “ Biosustain – Mobilidade Sustentável: Perspetivas para o futuro da produção de biocombustíveis”, Laborat&oacut

De 11 a 14 de agosto as instalações da Faculdade de Ciências da ULisboa encontram-se encerradas, na sequência do corte do abastecimento de água. Os Departamentos encontram-se encerrados até 19 de agosto.

Laboratório de Ciências

Ana Paula Calixto é docente do ensino secundário há 28 anos. Cátia Silva é aluna de Ciências desde 2005, neste momento frequenta o doutoramento. Conheça os testemunhos de quem visita e estuda em Ciências.

Páginas