Descobertas quatro novas espécies de moscas-formiga na Península Ibérica

Tachydromia stenoptera

A Tachydromia stenoptera apenas existe em Portugal

Imagem cedida por ARG

As moscas-formiga são moscas pertencentes ao género Tachydromia, têm diminutas dimensões (cerca de 2 mm), habitam a manta morta de bosques nativos de folha caduca e marcescente, tais como carvalhais, e não possuem asas funcionais. Podem confundir-se com formigas à primeira vista, não só no seu aspeto morfológico como por vezes também nos seus comportamentos. Encontram-se frequentemente junto a formigas que tendem a ignorá-las.

Ana Rita Gonçalves concluiu o mestrado em Biologia da Conservação na Ciências ULisboa e no âmbito da sua tese estudou e (re)descreveu a morfologia de todas as moscas-formiga conhecidas da Península Ibérica e de Itália - dez espécies no total. Quatro delas são novas para a Ciência: Tachydromia ebejeri, Tachydromia stenoptera, Tachydromia nigrohirta e Tachydromia cantabrica.

A Tachydromia stenoptera apenas existe em Portugal, numa área relativamente restrita da Serra da Estrela e Serra da Malcata, em zonas de floresta de folha caduca ou marcescente, sobretudo em carvalhais.

Este trabalho foi publicado como uma monografia no European Journal of Taxonomy. Mediante os dados recolhidos os cientistas avaliaram o estado de conservação da Tachydromia lusitanica para o Livro Vermelho dos Invertebrados de Portugal e, de seguida, também serão avaliadas outras moscas-formiga.
Ana Rita Gonçalves estudou as moscas-formiga a vários níveis. Na maioria dos casos, apenas se conhecia a localidade em que os únicos espécimes conhecidos tinham sido coletados pela primeira e única vez (há mais de 100 anos).

Espécies moscas-formiga
As novas espécies das moscas-formiga
Imagem cedida por ARG

Uma das características mais interessantes é que, em alguns casos, os machos das moscas-formiga têm asas reduzidas a pequenos segmentos tubulares com um lobo na extremidade apical, que parece uma pequena bandeira. Em algumas espécies este tipo de asa é utilizado durante a cópula, em que o macho as abana em frente aos olhos da fêmea, de modo a mantê-la "entretida" e evitando assim que tente escapar. Estas asas têm então uma função sinalizadora.

“Com base em dados moleculares reconstruiram-se as relações filogenéticas entre todas as moscas-formiga. Esses resultados estão de acordo com as relações que nos pareciam fazer sentido quando se estuda a morfologia de cada espécie, o que ajudou a fundamentar a descrição destas novas espécies e a entender que a redução das asas não tem importância taxonómica”, diz Ana Rita Gonçalves.

Para Ana Rita Gonçalves o mestrado foi uma excelente oportunidade para aprender sobre conservação de espécies e ecossistemas. “Desde técnicas de genética até técnicas de amostragem no campo, há muitas disciplinas que darão as bases necessárias para enveredar por uma carreira de sucesso”, diz, mencionando ainda que os estágios ao abrigo do programa Erasmus +, por exemplo, podem abrir os horizontes. A jovem também aconselha a participação em congressos e encontros científicos, mesmo que os mestrandos não tenham ainda nada para apresentar. “É outro método muito eficiente para criar conexões e, sobretudo, ficar a par de mais hipóteses de investigação”, revela.

Durante o mestrado Ana Rita Gonçalves decidiu estudar como ocorre a cópula em espécies com asas diferentes (ou sem asas) e chegou à conclusão de que na espécie T. iberica (áptera) o macho utiliza as patas dianteiras (pretas e amarelas) do mesmo modo em que se utilizam as asas sinalizadoras, abanando-as em frente aos olhos da fêmea. No caso de T. semiaptera, o macho também tem asas reduzidas a uma porção algo tubular com um lobo similar a uma bandeira na extremidade. Contudo, estas asas são muito menos rígidas do que as das outras espécies.

“O que se observou foi que o macho não utiliza de todo as asas como sinalizadoras durante a cópula e, em vez disso, utiliza as patas dianteiras tal como T. iberica. No entanto, o macho de T. semiaptera tem as patas dianteiras muito peculiares por serem distintamente infladas, negras e amarelas, provavelmente características importantes para a função que desempenham”, conta Ana Rita Gonçalves, acrescentando que nas moscas-formiga há vários tipos de redução de asas, desde a sua completa ausência, passando por asas que são minúsculas escamas, até à existência de asas muito reduzidas com o lobo apical. “O que é verdadeiramente interessante é que não só ocorreu um processo de redução das asas (o que é algo que acontece frequentemente com insetos que vivem na manta morta, por exemplo), como uma modificação com importância sexual. Já outras moscas-formiga, seguiram um caminho evolutivo diferente, e apenas ocorreu redução das asas, sendo as patas a estrutura que sofreu modificação de modo a sinalizarem durante a cópula”, conclui.

Recentemente, Ana Rita Gonçalves inscreveu-se no programa doutoral de Entomologia do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), no Brasil. O seu projeto de doutoramento é focado no desenvolvimento de técnicas para acelerar a descrição taxonómica de forma eficiente e acessível de grupos megadiversos, com aplicação em dois géneros de moscas da família Hybotidae, Elaphropeza e Platypalpus. O segundo objetivo é estudar a evolução e biogeografia destes géneros, de modo a perceber quais os limites entre espécies e padrões de especiação ao longo de diferentes zonas biogeográficas.

mapa
Distribuição das moscas-formiga
Imagem cedida por ARG

 

Ana Subtil Simões, Área Comunicação e Imagem Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Nova espécie de abelha em Portugal
Primeira imagem de um buraco negro, localizado no centro da galáxia Messier 87

A primeira imagem direta de um buraco negro foi divulgada esta quarta-feira, dia 10 de abril, em sete conferências de imprensa simultâneas, pela iniciativa internacional Event Horizon Telescope.

Grupo de Transição Energética do IDL Ciências ULisboa

Raquel Figueiredo, estudante de doutoramento em Sistemas Sustentáveis de Energia, é a primeira autora do artigo que será publicado na edição de junho do Journal of Cleaner Production e que avalia alternativas renováveis às centrais de carvão em Portugal.

"Torna-se urgente e imperativo travar e reverter todo este processo de destruição. Amemos ou odiemos os insetos, o certo é que será difícil sobrevivermos sem eles", escreve o cientista José Alberto Quartau.

Edição 2018 da Jobshop Ciências

A feira de emprego de Ciências já vai na X edição e todos os anos mais empresas estão presentes assim como mais estudantes participam na iniciativa.

livros

Henrique Leitão, investigador do Departamento de História e Filosofia das Ciências e do Centro Interuniversitário de História das Ciências e da Tecnologia de Ciências ULisboa ganhou uma European Research Council (ERC) Advanced Grant 2018, no valor de dois milhões de euros, no âmbito do projeto “Making the Earth Global: Early Modern Nautical Rutters and the Construction of a Global Concept of the Earth”.

Cérebro

Cláudio Gomes, professor no Departamento de Química e Bioquímica de Ciências ULisboa e investigador no BioISI, apresenta dia 28 de março o mais recente trabalho do seu laboratório sobre um novo mecanismo bioquímico nas células nervosas que retarda a formação de agregados de proteína no cérebro, causadores da doença de Alzheimer, na 14ª Edição daAD/PDTM - Conferência Internacional de Doença de Alzheimer e Parkinson.

Maria José calhorda

O Prémio Ferreira da Silva 2018 da Sociedade Portuguesa de Química (SPQ) é atribuído a Maria José Calhorda, professora do Departamento de Química e Bioquímica de Ciências ULisboa, e será entregue durante o XXVI Encontro Nacional da SPQ, a ocorrer no Porto, de 24 a 26 de julho de 2019.

Participantes da missão oceanográfica a bordo do RV METEOR

Resultados preliminares da missão oceanográfica a bordo do RV METEOR parecem confirmar a presença de eventos catastróficos e que afetaram a costa portuguesa ao longo dos últimos 12 mil anos.

ASSISIbf

"Robots mediating interactions between animals for interspecies collective behaviors" da autoria de Frank Bonnet, Rob Mills, Martina Szopek, Sarah Schönwetter-Fuchs, José Halloy, Stjepan Bogdan, Luís Correia, Francesco Mondada e Thomas Schmickl é um dos artigos da Science Robotics, publicado a 20 de março de 2019.

Direção Ciências ULisboa

A Direção da Faculdade visitou em fevereiro e março os dez departamentos de Ciências ULisboa. “Acho que foi muito positivo”, comenta Luís Carriço, diretor de Ciências ULisboa mencionando ainda que as reuniões permitiram a apresentação e discussão de ideias muito interessantes.

Margarida Amaral

Margarida Amaral, diretora do BioISI e professora no Departamento de Química e Bioquímica de Ciências ULisboa, proferiu duas palestras na Johns Hopkins University School of Medicine em Baltimore, nos EUA, sobre terapêutica personalizada da Fibrose Quística, nos passados dias 6 e 7 de março de 2019.

ETAR de Faro Noroeste

Uma equipa de Ciências ULisboa e do Laboratório Nacional de Engenharia Civil foi distinguida com o Prémio WEX Global 2019 “Inovação em Tecnologia” pela produção sustentável de novos carvões ativados a partir de cascas de pinhão e sua aplicação na remoção de compostos farmacêuticos em estações de tratamento de águas residuais urbanas.

Mohan Munashinghe em Ciências ULisboa

O Prémio Nobel da Paz em 2007 – Mohan Munashinghe - na época vice-presidente do Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas (IPCC), das Nações Unidas -, esteve em Ciências ULisboa no passado dia 15 de março.

Tarifa, sul de Espanha, província de Cádiz

“Recomendamos que as autoridades reconheçam este impacto alargado da produção de energia eólica e estabeleçam novas medidas reguladoras a aplicar em áreas importantes para a migração de aves planadoras que permitam conciliar a produção de energia eólica com a conservação da vida selvagem”, diz Ana Teresa Marques, estudante de doutoramento em Biodiversidade, Genética e Evolução e primeira autora do artigo “Wind turbines cause functional habitat loss for migratory soaring birds”, publicado no Journal of Animal Ecology.

Nélson Pinto

A Glintt - Global Intelligent Technologies conta já com mais de 1050 colaboradores, entre eles alguns ex-alunos de Ciências ULisboa, como é o caso de Nélson Pinto, licenciado em Engenharia Informática e mestre em Engenharia Informática, especialização em Sistemas de Informação. Leia o seu testemunho, fique a par das vantagens do curso e de como é que é trabalhar nesta empresa, que opera a partir de dez escritórios, sediados em seis países - Portugal, Espanha, Reino Unido, Irlanda, Angola e Brasil.

IEEE

​Nuno Neves, professor do Departamento de Informática de Ciências ULisboa, foi eleito vice-presidente do IEEE Technical Committee on Dependable Computing and Fault Tolerance (TCFT). A tomada de posse ocorreu este mês e o mandato tem a duração de dois anos. Na sequência desta eleição, Nuno Neves tomará posse como presidente do IEEE TCFT em 2021, por um período de dois anos.

Pavilhão do Conhecimento

A Ciência Viva volta a homenagear as mulheres cientistas portuguesas, destaque para as personalidades de Ciências ULisboa - Cristina Branquinho, Cristina Máguas, Diana Prata, Margarida Santos-Reis, Margarida Telo da Gama,Maria Ivette Gomes e Vanda Brotas.

Lucanus cervus macho

Pela primeira vez em Portugal continental realiza-se um plano de inventariação sistemática de insetos. Um grupo de entomólogos iniciou a 9 de março, o primeiro trabalho de campo, na costa sudoeste e barlavento algarvio. A primeira sessão pública ocorre no dia 24 de março, na Estação de Biodiversidade de Mértola.

tabela periódica

Vinte e duas escolas do ensino secundário da zona da grande Lisboa participam na semifinal das Olimpíadas de Química Mais (OQ+) em Ciências ULisboa.. Os participantes das OQ+ têm a chance de se qualificar para a 53ª Olimpíada Internacional de Química e para as Olimpíadas Ibero-americanas de Química.

Anfiteatro Ciências ULisboa

Cerca de 70 alunos do 9.º ano da Saint Dominics' International School participaram numa mesa-redonda e ficaram a saber um pouco mais sobre as áreas de Matemática, Matemática Aplicada, Estatística Aplicada, Informática, Engenharia Geoespacial e Bioquímica.

C7

Após o evento de 12 de fevereiro, que antecedeu o Flash Mob Tabela Periódica Humana de Ciências ULisboa estão programadas duas tertúlias sobre a tabela periódica com os cientistas Raquel Gonçalves Maia e Miguel Castanho, respetivamente nos dia 10 de abril e 9 de maio.

Cruz

Fernando Roldão Dias Agudo, jubilado de Ciências ULisboa desde o ano de 1996, faleceu no passado dia 23 de fevereiro. A Faculdade lamenta o triste acontecimento, apresentando as condolências aos familiares, amigos e colegas de Fernando Roldão Dias Agudo.

Reitoria ULisboa

Em 2018 os Prémios Científicos ULisboa/Caixa Geral de Depósitos foram atribuídos aos investigadores de Ciências ULisboa Cristina Branquinho, Francisco Couto, Nuno Araújo e Pedro Antunes. A edição de 2018 do Prémio Científico ULisboa/ Santander Universidades também distinguiu a professora Carla Silva.

Logotipo

Sentiu o sismo de 28 de fevereiro de 1969? Conhece relatos desse acontecimento? Se as respostas forem afirmativas, então responda ao inquérito macrossísmico nacional por ocasião dos 50 anos sobre o grande sismo de 1969, lançado este mês pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera,Instituto Superior Técnico, Ciências ULisboa e Instituto Dom Luiz.

Ciências ULisboa e Milestone Consulting assinam protocolo

Ciências ULisboa e a Milestone Consulting assinaram recentemente um protocolo de cooperação para a atribuição de um Prémio para o Melhor Aluno do 1.º ano do Mestrado em Matemática.

Páginas