Verão na ULisboa

“Os sonhos são para realizar”

“Conhecer e experimentar o ritmo e espírito da vida académica” foi a proposta feita pela ULisboa, neste verão. Durante duas semanas, alunos dos ensinos básico, dos 8.º e 9.º anos, e secundário, dos 10.º, 11.º, 12.º anos, foram, veterinários, artistas plásticos, arquitetos, biólogos, advogados, escritores, engenheiros, entre outras profissões.

No total foram 21 os programas com diferentes atividades científicas, lúdicas e desportivas, à disposição dos estudantes, distribuídos pelas duas primeiras semanas de julho.


O Verão na ULisboa é uma iniciativa da Universidade de Lisboa que proporciona a oportunidade de conhecer e experimentar o ritmo e o espírito da vida académica
Fonte ULisboa, por Dário Hipólito

A Faculdade de Ciências da ULisboa participou nas duas semanas desta iniciativa convidando os alunos a “Investigar Ciências” na 1ª semana e, na 2.ª semana, a “Descobrir Ciências”.

Miguel Gonçalves, coordenador do Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura (GCIC) de Ciências, deu conta do processo de preparação do evento: “em Ciências, tudo foi preparado ao pormenor para que estes ‘futuros alunos’ pudessem desfrutar ao máximo esta sua experiência universitária, para muitos a primeira, de uma forma prática, objetiva mas também divertida”.


Os laboratórios de Ciências abriram-se para que os estudantes pudessem experimentar, investigar e descobrir
Fonte ULisboa, por Dário Hipólito

Organizadas por áreas científicas, as semanas foram diversificadas em atividades. Quarenta “cientistas”, entre os 13 e os 16 anos, trocaram ideias com especialistas, manusearam equipamentos laboratoriais, participaram em workshops e atividades práticas, realizaram experiências, discutiram resultados e chegaram a conclusões.

“[Os estudantes] foram surpreendidos com conhecimento e confrontados com técnicas e laboratórios que os motivaram para voos mais altos. Isso transpareceu nos diálogos e atitudes, particularmente nos alunos do Ensino Secundário, [através] da dinâmica criada nos pequenos grupos, no gosto pelas experiências montadas, além do interesse geral pela ciência”, explicou o professor do Departamento de Física, Rui Agostinho.
 


"A avaliar pela satisfação no final das duas semanas, foi fácil constatar que alguns tinham pena de o tempo ter passado tão rápido", comentou o coordenador do GCIC
Fonte ULisboa, por Dário Hipólito

Inês Ferreira, do 9.º ano da Escola Secundária Moinhos da Arroja, sempre gostou de ciências, quis “descobrir mais sobre esta temática”, e inscreveu-se no Verão da ULisboa. A área de maior interesse para si é a Biologia. Durante a sua passagem pela Faculdade quis perceber se seria esta a área a seguir no futuro. No final da semana, comentou: “consegui perceber que é mesmo isto que quero porque, para além das atividades, conversei com os monitores que me deram resposta a imensas dúvidas e curiosidades que trazia”.

Na área das Ciências da Vida e da Saúde, entre outras atividades, os alunos experimentaram a manipulação e clonagem molecular para estudo da função génica. Nas Ciências Físicas, compreender as aplicações dos lasers nas lentes oculares ou observar manchas solares com o telescópio, foram alguns dos desafios que entusiasmaram os jovens.
 


Durante duas semanas, os professores, investigadores e alunos de Ciências responderam às questões e curiosidades dos jovens cientistas
Fonte ULisboa, por Dário Hipólito

Como é que o planeta Terra funciona desde o núcleo até à estratosfera? Como se desenvolve o aproveitamento da energia solar?, foram algumas das questões a que os alunos obtiveram resposta na área das Ciências da Terra e do Ambiente.

No que respeita às Ciências Químicas e Matemáticas, manipular elementos químicos que constituem a matéria, resolver enigmas matemáticos e compreender possíveis aplicações da Estatística e da Matemática no quotidiano, por exemplo, captaram a atenção dos participantes.
 


Organizadas por áreas científicas, as semanas foram diversificadas em atividades
Fonte ULisboa, por Dário Hipólito

Nos dias dedicados às Tecnologias da Informação e Comunicação, os estudantes entraram no domínio da arquitetura de computadores e configuração de redes, superaram os diferentes desafios de programação que os engenheiros informáticos prepararam e compreenderam como a multimédia afeta o dia-a-dia da sociedade.

“Diversão”, “aprendizagem” e “experiência”, foram as palavras escolhidas por Ana Rita Ruivo, do 12.º ano da Escola Secundária Quinta do Marquês, para caraterizar a semana passada em Ciências. Para ela, passar alguns dias do seu verão aqui foi importante porque a ajudou a “clarificar que [assuntos] correspondem aos [diferentes] cursos” e também porque lhe permitiu “ [ter contacto com] experiências que nunca tinha feito”. Para além disso, a estudante de 16 anos reforçou as relações de amizade: “consegui fazer amizades com quase todos os colegas. Para melhorar este grupo, tivemos uns monitores ótimos, que nos apoiaram em tudo e que de certeza ficarão na nossa memória”. 
 


Nos dias dedicados às Tecnologias da Informação e Comunicação, enre outras atividades, os estudantes entraram no domínio da arquitetura de computadores e configuração de redes
Fonte ULisboa, por Dário Hipólito

O coordenador do GCIC acrescentou ainda que “a avaliar pela satisfação no final das duas semanas, foi fácil constatar que alguns tinham pena de o tempo ter passado tão rápido. [Percebeu-se que, para eles,] tinha sido uma experiência incrível que não se importariam de repetir”.

A reforçar esta satisfação, Dário Hipólito, aluno do mestrado em Biologia da Conservação e monitor central das atividades em Ciências, declarou: “o mais marcante é ouvir ‘é para aqui (FCUL) que eu venho!’”, é sinal que conseguimos passar algo e cativá-los”. Para Dário, outro aspeto importante do evento foi “passar a mensagem de que têm um longo futuro à frente mas que existem instituições, como a nossa, que estão de braços abertos para os receber e os guiar ao longo de vários anos”. Por isso, deixou a mensagem a todos os que acompanhou durante duas semanas: “os sonhos são para realizar senão para quê sonhar? Não desistam do que querem, mas sempre com respeito e humildade”.
 


Para além dos ensinamentos adquiridos, o Verão na ULisboa permitiu a interação de alunos de diferentes escolas
Fonte ULisboa, por Dário Hipólito

Para além das atividades desenvolvidas nas escolas, os participantes visitaram o Museu Nacional de História Natural e da Ciência, realizaram atividades desportivas no Estádio Universitário de Lisboa e um jantar convívio, onde se reuniram todos os grupos divididos pelas diferentes escolas da ULisboa.

Cada estudante recebeu um diploma de participação, - “o primeiro diploma que receberam de uma universidade, agora já podem dizer que são 'diplomados’”, como referiu, em jeito de brincadeira, o subdiretor da Faculdade, professor Pedro Ré.

Terminado o Verão na ULisboa, resta acrescentar que ao longo do ano as portas estarão sempre abertas para que todos possam continuar a descobrir e aprender com Ciências.

As fotografias com alguns dos momentos que marcaram a iniciativa estão disponíveis nos álbuns fotográficos do Facebook de Ciências1.ª semana e 2.ª semana -, e no Facebook da ULisboa.

Assista ainda à reportagem do Verão na ULisboa nas diferentes escolas no vídeo a seguir apresentado.

Raquel Salgueira Póvoas, Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura
info.ciencias@fc.ul.pt
Luzes

Pela primeira vez a Reitoria da UL abre as suas portas aos estudantes da cidade, organizando um evento noturno para alunos dos ensinos universitário e secundário.

A exposição está a partir de 26 de Abril no Museu Nacional de História Natural e da Ciência.

As provas de doutoramento em Biologia, especialidade de Microbiologia, da Mestre Egídia Maria Valente de Azevedo realizam-se no próximo dia 26 de Abril, pelas 10h:30 na Sala de Actos da

O grande momento do dia é a sessão solene, que inclui este ano o lançamento do segundo volume dos Professores Cientistas e a inauguração do Quadro de Honra.

Sobre Namoros e Casamentos

Jorge Buescu

Quinta-feira, dia 12 de Abril de 2012, às 18h30, na sala 6.1.36

Vela

Ricardo Leandro é o vencedor da Competição Europeia. O estudante da FCUL apresentou a melhor ideia: um coletor solar térmico de baixo custo, acoplável a um módulo fotovoltaico.

A palestra "O Princípio do Tempo" proferida por Pedro Gil Ferreira é uma das iniciativas do “VII Encontro Ibérico de Cosmologia”, que decorre em abril nas instalações da FCUL.

Jovem usa microscópio

A FCUL estimula a abertura permanente à sociedade civil, promovendo acontecimentos que visam a disseminação de conhecimentos e a interligação com diferentes agentes sociais.

Os vários objectivos do DEGGE: Tudo o que nos define, e tudo o que apoiamos

O ENEI'12 vai realizar-se na FCUL.

ESTRUTURA E GESTÃO DO DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA ANIMAL (DBA)

Apresentação do Departamento

Paleontólogos do MNHN da UL e do GeoFCUL em foco na revista TVmais.

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avançados" com mais quatro instituições universitárias portuguesas e brasileiras.

O DQB e a FCUL acolheram, mais uma vez, a realização de provas semifinais das Olimpíadas de Química Júnior 2012 no sábado, 14 de abril de 2012.

Pessoas estudam numa mesa na biblioteca

“Acho que qualquer aluno consegue ser bom, se tiver uma boa disciplina de trabalho e objetivos concretos”. Quem o diz é Gonçalo Faria da Silva, estudante do 3.º ano de Biologia.

No penúltimo dia de março realiza-se a quinta e última sessão do workshop destinado a preparar os estudantes para a obtenção do 1.º emprego.

 

Alunos da FCUL

A Schlumberger realiza uma sessão de recrutamento em Ciências. As grandes empresas procuram os melhores profissionais. A FCUL apoia a inserção profissional dos seus diplomados.
 

O evento é uma organização conjunta da Norton/Symantec e do mestrado em Segurança Informática do DI-FCUL.

O DM está na Futurália

Para Duarte Flor, presidente da associação académica e aluno do 12.º ano em Ciências, é importante que os candidatos ao ensino superior visitem as instalações de uma faculdade.

Desenho de uma figura masculina

“Existe um espaço onde o sentimento de pertença a uma escola pode ser reavivado", afirma Miguel Ramos.

Aluna junto a uma das colunas do átrio do C6

A mostra pictórica da atividade científica da FCUL é inaugurada a 13 de março. Conheça as razões pelas quais deve visitar a exposição.

O que são líquidos iónicos? Num dos primeiros programas do ano, o Com Ciência entrevistou o professor e investigador da FCUL, Carlos Nieto de Castro sobre esta classe de solventes.

Desenho de uma figura masculina

A data de lançamento do livro ainda não é pública, mas o evento deverá ocorrer brevemente, na Faculdade de Belas-Artes da UL.

Páginas