No Campus com Helder Coelho

Olhem para os Dados

Helder Coelho

Os três termos “Big Data”, “Deep Learning” e “Social Analytics” tornaram-se populares nos meios da comunicação social, graças à Google e ao Facebook. Antes falava-se mais de Aprendizagem (“Machine Learning”), Redes Neuronais (“Neural Nets”), Algoritmos Genéticos (“Genetic Algorithms”), ou de Programação Evolucionária (“Evolutionary Programming”), embora o alvo nem sempre fosse o mesmo.

Com o avanço da velocidade de processamento, da facilidade de armazenamento e do paralelismo computacional não teria sido possível construir o filme Avatar, em 2009. James Cameron, o seu realizador, falou dos 10 anos em que lutou para obter recursos computacionais, para a feitura da batalha final, em computador.

Desde o início deste século que se lamentava e sentiam as montanhas dos dados e a dificuldade em fazer algo com eles (por exemplo, descobrir padrões com a Análise de Dados, (“Analytics”), principalmente em Economia, Urbanismo, e nas Ciências Sociais e Políticas. No MIT, nomeadamente no Media Lab, Alex Pentland, e os seus alunos, vinham desbravando os caminhos para abordar o comportamento humano (veja-se o livro recente “Social Physics” de 2014) e pensar a empresa ou a cidade de forma a torná-la atraente (esperta), agradável e cómoda para os seus habitantes, graças a políticas que levassem em consideração os seus desejos e necessidades. Em Lisboa quanto tempo se perdeu, com discussões sem fim quanto à articulação dos seus transportes públicos e para retirar os automóveis do seu centro? Ou seja, resolver os problemas organizacionais e sociais pode ser estimulante (graças à Simulação Social), e mais interessante do que se pensava, sobretudo se isso facilitar depois a atração de criativos e inovadores!

O que é a Física Social, avançada por Pentland, e assente na proposta de Auguste Comte, um sociólogo do século XIX? Apenas uma nova disciplina que visa a compreensão, a previsão e a influência do comportamento humano recorrendo a equações matemáticas e à computação. Claro que há algo mais como a análise do acompanhamento das comunicações entre as pessoas (numa rede social), o recurso a sensores para capturar dados, e a exploração das ligações sociais (Teoria das Redes). E, ainda as consequências benéficas, tais como tornar as organizações mais produtivas, os governos mais eficazes quanto ao bem-estar público (veja-se o indicador “well being” (o da felicidade) dos países da OCDE introduzido há poucos anos). Os seres humanos são entidades sociais e os seus hábitos estão ligados via a coordenação dos seus grupos. As ideias fluem através das redes sociais e viram em ações e depois, mais tarde, em comportamentos, que acabam por nos afetar a todos.

Uma câmara municipal tem de prever o que irá passar-se nos próximos anos (demografia, transportes, cultura, ciência, inundações) sob pena de não se pensarem os riscos e evitar os desastres, criando políticas para acomodarem possíveis mudanças. Viver com tantos dados significa também que existem negócios (interesses da Defesa, de empresas) que farão pressões para se violar a privacidade de uma série de pessoas, o que implica uma nova consciência de cidadania que forçosamente exigirá que todos nós procuremos compreender em que mundo queremos de facto viver.

Helder Coelho, professor do Departamento de Informática de Ciências
Tecnologia na educação
Alunos da FCUL

A Schlumberger realiza uma sessão de recrutamento em Ciências. As grandes empresas procuram os melhores profissionais. A FCUL apoia a inserção profissional dos seus diplomados.
 

O evento é uma organização conjunta da Norton/Symantec e do mestrado em Segurança Informática do DI-FCUL.

O DM está na Futurália

Para Duarte Flor, presidente da associação académica e aluno do 12.º ano em Ciências, é importante que os candidatos ao ensino superior visitem as instalações de uma faculdade.

Desenho de uma figura masculina

“Existe um espaço onde o sentimento de pertença a uma escola pode ser reavivado", afirma Miguel Ramos.

Aluna junto a uma das colunas do átrio do C6

A mostra pictórica da atividade científica da FCUL é inaugurada a 13 de março. Conheça as razões pelas quais deve visitar a exposição.

O que são líquidos iónicos? Num dos primeiros programas do ano, o Com Ciência entrevistou o professor e investigador da FCUL, Carlos Nieto de Castro sobre esta classe de solventes.

Desenho de uma figura masculina

A data de lançamento do livro ainda não é pública, mas o evento deverá ocorrer brevemente, na Faculdade de Belas-Artes da UL.

Ontem evocou-se o Dia das Doenças Raras. A fibrose quística é um desses males incomuns. A investigação científica é importante em todos os setores, mas ganha especial sentido em áreas como esta.

Cerca de 20 professores de Ciências da Natureza e Ciências Naturais de nove concelhos portugueses participam na atividade promovida pelo MNHNC-UL a decorrer até abril.

Imagem de um folheto promocional

A FCUL volta a marcar presença no evento, juntamente com outras unidades orgânicas da UL.

Fotografia com pontos de interrogação

Alunos finalistas aconselham Engenharia da Energia e do Ambiente. Testemunhos de Guilherme Gaspar e Ricardo Leandro.

Fotografia de mesa com cinco pessoas sentadas, na Reitoria da UL

A rede pretende formalizar colégios doutorais em áreas transversais. Opinião de Maria Amélia Martins-Loução.

Fotografia de pessoas sentadas num dos anfiteatros da FCUL

A iniciativa acontece a 17 de março e é organizada pelos Departamentos de Física e de Informática.

Fotografia de Dois voluntários, sentados junto a uma banca no átrio do C5

Em fevereiro estão abertas inscrições para a admissão de novos voluntários.

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avançados" com mais quatro instituições universitárias portuguesas e brasileiras.

Vale a pena recordar a iniciativa do Gabinete de Mobilidade, Estágios e Inserção Profissional da FCUL.

Fotografia de alunos a andarem, junto ao C8

A primeira edição do curso realiza-se já em 2012.

Outra forma de fazer turismo.

Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25.Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25

O Encontro decorreu em Junho no GeoFCUL.

Páginas