Geração sustentável para pilhas de combustível

Novo método de produção de hidrogénio

Scripta manent. O que se escreve, fica, permanece.
Behind the paper por Alexei Ganin; Newsletter SCM

Em plena emergência climática, um grupo de investigadores desenvolveu um novo método de criar hidrogénio a partir da água e que pode fomentar novas oportunidades para a captura de energia renovável, de acordo com comunicado de imprensa.

Num artigo publicado recentemente na revista Nature Communications, os cientistas descrevem o processo refente ao pulsar da corrente elétrica sobre um catalisador sólido e que permite quase duplicar a quantidade produzida de hidrogénio gasoso por milivolt de eletricidade.


 O trabalho experimental do estudo publicado recentemente na Nature Communications foi realizado por Jessica C. McGlynn
Imagem cedida por NAGB

“Este estudo permite uma melhor compreensão dos resultados experimentais [realizados por Jessica C. McGlynn, primeira autora do artigo] e poderá guiar estudos futuros da mesma linha temática”, refere Nuno A. G. Bandeira, investigador do Departamento de Química e Bioquímica da Ciências ULisboa, do Centro de Química e Bioquímica, do Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas e um dos autores do artigo.

Nuno A. G. Bandeira ajudou a equipa liderada pela Universidade de Glasgow, no Reino Unido, a identificar uma nova espécie intermediária, até agora desconhecida, com recurso a modelação computacional da adsorção de hidrogeniões na superfície catalítica. Este trabalho sucede outro estudo com iões moleculares, publicado em janeiro na Nature Communications, noticiado nessa data pela Faculdade e que tem o cientista português como segundo autor.

Nuno A. G. Bandeira conta ainda que "o hidrogénio gasoso é por excelência o combustível não carbónico mais apelativo utilizável em pilhas de combustível para diversas formas de transporte automóvel”, acrescentando que avanços recentes no campo da inteligência artificial poderão também otimizar o desempenho catalítico destes impulsos elétricos para a produção máxima de hidrogénio.


Nuno A. G. Bandeira ajudou a equipa a identificar uma nova espécie intermediária com recurso a modelação computacional da adsorção de hidrogeniões na superfície catalítica
Imagem cedida or NAGB

 

"Os próximos passos a dar serão explorar em mais detalhe as propriedades dos di-calcogenetos de metais de transição do grupo VI da tabela periódica no âmbito da catálise da geração de hidrogénio."
Nuno A. G. Bandeira

Ana Subtil Simões, Área de Comunicação e Imagem Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Pessoas estudam numa mesa na biblioteca

“Acho que qualquer aluno consegue ser bom, se tiver uma boa disciplina de trabalho e objetivos concretos”. Quem o diz é Gonçalo Faria da Silva, estudante do 3.º ano de Biologia.

No penúltimo dia de março realiza-se a quinta e última sessão do workshop destinado a preparar os estudantes para a obtenção do 1.º emprego.

 

Alunos da FCUL

A Schlumberger realiza uma sessão de recrutamento em Ciências. As grandes empresas procuram os melhores profissionais. A FCUL apoia a inserção profissional dos seus diplomados.
 

O evento é uma organização conjunta da Norton/Symantec e do mestrado em Segurança Informática do DI-FCUL.

O DM está na Futurália

Para Duarte Flor, presidente da associação académica e aluno do 12.º ano em Ciências, é importante que os candidatos ao ensino superior visitem as instalações de uma faculdade.

Desenho de uma figura masculina

“Existe um espaço onde o sentimento de pertença a uma escola pode ser reavivado", afirma Miguel Ramos.

Aluna junto a uma das colunas do átrio do C6

A mostra pictórica da atividade científica da FCUL é inaugurada a 13 de março. Conheça as razões pelas quais deve visitar a exposição.

O que são líquidos iónicos? Num dos primeiros programas do ano, o Com Ciência entrevistou o professor e investigador da FCUL, Carlos Nieto de Castro sobre esta classe de solventes.

Desenho de uma figura masculina

A data de lançamento do livro ainda não é pública, mas o evento deverá ocorrer brevemente, na Faculdade de Belas-Artes da UL.

Ontem evocou-se o Dia das Doenças Raras. A fibrose quística é um desses males incomuns. A investigação científica é importante em todos os setores, mas ganha especial sentido em áreas como esta.

Cerca de 20 professores de Ciências da Natureza e Ciências Naturais de nove concelhos portugueses participam na atividade promovida pelo MNHNC-UL a decorrer até abril.

Imagem de um folheto promocional

A FCUL volta a marcar presença no evento, juntamente com outras unidades orgânicas da UL.

Fotografia com pontos de interrogação

Alunos finalistas aconselham Engenharia da Energia e do Ambiente. Testemunhos de Guilherme Gaspar e Ricardo Leandro.

Fotografia de mesa com cinco pessoas sentadas, na Reitoria da UL

A rede pretende formalizar colégios doutorais em áreas transversais. Opinião de Maria Amélia Martins-Loução.

Fotografia de pessoas sentadas num dos anfiteatros da FCUL

A iniciativa acontece a 17 de março e é organizada pelos Departamentos de Física e de Informática.

Fotografia de Dois voluntários, sentados junto a uma banca no átrio do C5

Em fevereiro estão abertas inscrições para a admissão de novos voluntários.

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avançados" com mais quatro instituições universitárias portuguesas e brasileiras.

Fotografia de alunos procuram informações junto a uma banca no átrio do C3

Vale a pena recordar a iniciativa do Gabinete de Mobilidade, Estágios e Inserção Profissional da FCUL.

Fotografia de alunos a andarem, junto ao C8

A primeira edição do curso realiza-se já em 2012.

Outra forma de fazer turismo.

Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25.Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25

O Encontro decorreu em Junho no GeoFCUL.

Páginas