60 Minutos de Ciência

Será a ética determinante na sustentabilidade de uma sociedade de consumo?

MUHNAC, Lisboa
MUHNAC

O consumo caracteriza e define as sociedades ocidentais no último século: somos a sociedade de consumo. Nesta configuração o sistema económico assenta na produção e no consumo e no pressuposto que estes têm que crescer continuamente. Este crescimento económico tem possibilitado o acesso a melhores condições de vida, incluindo uma melhor nutrição, uma vida mais segura e mais saudável, uma maior longevidade, um maior acesso à educação e cultura, uma menor mortalidade infantil, a possibilidade de utilizarmos equipamentos que nos poupam trabalho, melhores condições para recreio e lazer, entre outros muitos benefícios. No entanto, este sistema também promove injustiças, iniquidades, desequilíbrios vários e a maior parte dos problemas ambientais que afetam o nosso planeta advém do sistema de produção e consumo e do estilo de vida que os países desenvolvidos têm e a que os países em via de desenvolvimento aspiram. 

A ética ajuda-nos a refletir, argumentar e fundamentar as nossas decisões, escolhas e ações. A ética é um guia que garante que as sociedades floresçam com respeito e justiça. Mas a ética não tem apenas um papel na estruturação da sociedade, contribui também a um nível individual na construção da identidade, em quem somos e em quem queremos ser. As discussões do tema do consumo podem ser enriquecidas com esta perspetiva ética. Como poderá a ética ajudar nas decisões rotineiras mas estruturais das vidas atuais de como, o quê, quando e porquê consumir?


Nota biográfica

Sofia Guedes Vaz tem trabalhado em diversos organismos, públicos e privados, nacionais e internacionais na área do ambiente. A sua formação académica, que começou em engenharia e acabou em filosofia do ambiente, deu-lhe uma perspetiva interdisciplinar e uma compreensão abrangente do tema. Como comunicar melhor sobre temas ambientais é uma das suas paixões e fez parte dos Cientistas de Pé, um grupo que comunica ciência através de stand up comedy. Consumo sustentável é o seu tema de eleição.


2.ª Edição do Ciclo de conversas "60 Minutos de Ciência"

Num formato informal e descontraído, 60 minutos de Ciência pretende ser um fórum de discussão entre especialistas e cidadãos sobre temas atuais de Ciência. Com a duração de uma hora, as suas sessões decorrem nas quartas quintas-feiras do mês, pelas 17h30.
Este ciclo é uma iniciativa do Museu Nacional de História Natural e da Ciência da Universidade de Lisboa, do Comité UNESCO Matemática do Planeta Terra e da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

17h30

Por Carina Silva (Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa - Instituto Politécnico de Lisboa).

Inês da Silva Pinto Campos defende a dissertação "Trigonometria: encantos e recantos de uma abordagem didática".

Raquel Maria Vicente Filipe defende a dissertação "Coupled Wiener processes: from single to collective dynamics of active particles".

Joana Correia Pinto defende a dissertação "Desenvolvimento Aplicacional CRM em Modelo Cloud".

Por Gabriela Gomes (Liverpool School of Tropical Medicine, UK / Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos, Universidade do Porto).

Por Nuno Peres (Universidade do Minho).

Pode a matemática ajudar a resolver os problemas do Turismo?

Ana Rita da Silva Ferreira defende a dissertação “Otimização dos serviços de cuidados de saúde: planeamento de cirurgias eletivas em hospitais públicos".

As Conferências do CIUHCT são um ciclo de palestras organizados anualmente pelo CIUHCT sobre assuntos de História das Ciências e da Tecnologia.

Por Nuno M. Pedroso (Post-doc researcher CENA/São Paulo University and cE3c collaborator - Conservation Ecology group).

Por Henrique Leitão e Joaquim Alves Gaspar (FCUL).

Esta sessão conta com a participação de Cristina Branquinho (Ce3c, FCUL),  Luísa Nogueira (CCDR-LVT), Jorge Maia Alves (FCUL), André Borges (aluno FCUL) e moderados por Ricardo Trigo (IDL, FCUL).

Por Imme Van Den Berg (Universidade de Évora).

O concerto conta com a presença da Orquestra Académica da Universidade de Lisboa, do Coro da Universidade de Lisboa, do Coro de Câmara do Instituto Gregoriano de Lisboa e do Coro Essence Voices.

Por César Rodrigo (Academia Militar, CMAF-CIO, CINAMIL).

Por Fernando Buitrago (IA - Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço).

Criado no seguimento do ciclo de oficinas Leguminosas no Ponto!, este livro  representa o culminar de um ano de consciencialização coordenado pelo MUHNAC-ULisboa para os benefícios e potencialidades das leguminosas secas em Portugal e no mundo. 

André Lourenço Gonçalves defende a dissertação "Inclusion of biology in treatment planning for proton therapy".

Marta Carrilho defende a dissertação "Development of an Exoskeleton Model in a Neurorehabilitation Perspective".

Por Bruno Sousa (University of Cincinnati).

Catarina Pereira Rodrigues da Venda defende a dissertação “Análise da presença de variáveis mediadoras”.

Por Jean-Éric Pin (Institut de Recherche en Informatique Fondamentale, CNRS et University Paris-Diderot).

Páginas