Conferências CIUHCT

As conexões entre o Brasil e Portugal na origem da criação do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo

Com Ewerton Luiz Silva (Universidade de São Paulo)

FCT - NOVA (Edifício VIII, Sala 4.8), Monte de Caparica
Imagem ilustrativa do evento

As Conferências do CIUHCT são um ciclo de palestras organizado anualmente pelo CIUHCT acerca de assuntos de História das Ciências e da Tecnologia.

Sinopse: Em janeiro de 1959, por iniciativa de alguns professores da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), foi inaugurado o Instituto de Medicina Tropical (IMT) como um centro de pesquisa e ensino voltado para aquela especialidade médica. Seu primeiro diretor, Carlos da Silva Lacaz - docente de Microbiologia e Imunologia da Faculdade - reconheceu que a inspiração para criar, na capital paulista, um instituto de medicina tropical nasceu durante sua estadia em Portugal a fim de participar do VI Congresso Internacional de Medicina Tropical e Paludismo (1958), sediado no recém-fundado edifício do Instituto de Medicina Tropical de Lisboa. Pretendo defender, ao longo de minha apresentação, que a participação de médicos brasileiros – entre eles Carlos Lacaz e Emmanuel Dias – naquele congresso, foi consequência, para além do reconhecimento internacional da medicina brasileira, de um processo de aproximação científica entre médicos tropicalistas dos dois lados do Atlântico, reforçado a partir de 1944. Naquele ano, João Fraga de Azevedo – diretor do Instituto de Medicina Tropical de Lisboa – e Augusto Salazar Leite – docente da cadeira de Dermatologia e Micologia Tropicais – protagonizaram a primeira missão médica oficial portuguesa de estudos ao Brasil. Os professores lusitanos permaneceram em terras brasileiras por 38 dias e estagiaram nos principais centros científicos do país como o Instituto Oswaldo Cruz, no Rio de Janeiro, e o Instituto Butantan, em São Paulo. Na altura, foi proposta a intensificação do intercâmbio científico mediante a criação de um Instituto Brasil-Portugal e a realização de congressos médicos entre os dois países. Ao longo da década de 1950, diversos congressos promoveram espaços para uma maior cooperação científica entre brasileiros e portugueses, como: o V Congresso de Microbiologia (Rio de Janeiro, 1950), o I Congresso Nacional de Medicina Tropical (Lisboa, 1952), as Jornadas Médicas luso-brasileiras (Rio de Janeiro e São Paulo, 1952 e Lisboa e Coimbra, 1956) e o Congresso Internacional sobre a doença de Chagas (Rio de Janeiro, 1959). Desta forma, pretendo expor como estas conexões foram importantes para alimentar uma movimentação em São Paulo com o intuito de erigir um instituto voltado para o estudo de moléstias tropicais que também acometiam o estado e sua população.

Sobre o Orador: Historiador diplomado pela Universidade Estadual Paulista (Unesp), Mestre em História pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), autor do livro “Do sonho à loucura: hospitais psiquiátricos e imigração portuguesa em São Paulo (1929-1939)”, Doutorando pelo Departamento de Saúde Coletiva da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e bolseiro da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

13h00
CIUHCT - Centro Interuniversitário de História das Ciências e da Tecnologia
CIUHCT
Logótipo da Unite!

Summer School no âmbito da Rede UNITE! (University Network for Innovation, Technology and Engineering), de que faz parte a ULisboa.

Cartaz do evento

Uma iniciativa com o objetivo de aproximar a ciência dos jovens de todas as idades, com desafios, palestras e muita diversão, num formato inteiramente online!

Primeira edição das Manhãs de Matemática na Aberta, dedicada à Geometria, com a participação de Carlos Florentino (Ciências ULisboa). 

Hi-Phi Seminar, por Lorenzo Baravalle (FCUL, CFCUL) e Maurizio Esposito (FCUL, CIUHCT).

Imagem ilustrativa da sessão

Sessão de homenagem no âmbito da 13.ª Reunião Anual da APG - Associação Portuguesa de Geólogos.

Colóquio de Matemática, por Teresa Monteiro Fernandes (Departamento de Matemática | Ciências ULisboa).

O curso visa apresentar uma série de perspetivas sobre o desenvolvimento conceitual da estatística e sobre o uso de inferências e modelos estatísticos nas ciências empíricas.

Mapa antigo

Workshop internacional associado ao projeto Medea-Chart.

Imagem ilustrativa do curso, acompanhada de várias informações úteis

Um curso dirigido ao público em geral e a estudantes de arte ou ciência (a partir dos 16 anos), com interesse em desenho de observação, ilustração e biologia, com ou sem experiência em desenho.

The objective of this course is to introduce participants to the details of communication and writing scientific publications.

Imagem ilustrativa do programa, acompanhada do respetivo título

Um programa de aceleração de ideias e negócios, promovido pela redeSaúde, com candidaturas até 30 de setembro de 2021.

The objective of this course is to introduce participants to the details of communicating science to non-specialized audiences, including, but not exclusive to, public and private stakeholders, students and teachers, and media professionals.

This course aims to evidence the importance of natural history collections for the study of biodiversity, to show new tools and approaches to extract and disseminate biodiversity data from natural history collections and to increase awareness of young researchers for the scientific and cultural value of Natural History Museums.

The course aims at providing an introduction to stable isotopes ratios as tools to understand global, ecosystem and community level bio/geo cycles; light isotopes: H, N, C, O and S isotopes, geo cycles and ecological significance; sampling and analytical methodologies in stable isotope analysis.

EvoS aims at turning evolutionary theory into a common language to areas that pertain to the natural world, including human affairs.

The course SoilEco aims at introducing attendants to an updated state of the art of diversity of the soil biota and the functional roles played by soil organisms in key ecological processes.

In this course, we promote a multidisciplinary approach presenting the most recent findings on the topic and challenging the traditional way of considering symbiotic associations as exceptions and not as the rule.

The goal of this course is to provide to the participants with current and practical knowledge on urban ecology, including ecological and social aspects.

This course aims to explore ways of communicating science to non-specialized audiences, such as policy makers, industry, general public (including students and teachers), through their engagement and participation in citizen science activities.

This course introduces the field of island biogeography, a discipline that has long influenced other research areas such as macroecology, community ecology, evolution and conservation biology.

Scientists, as the main actors in the production of scientific knowledge, have the responsibility of having an active voice in communicating this knowledge – and that can be achieved for example by a conscious use of the communication tools at their disposal and a better articulation with journalists, among other means.

This course aims at providing students with basic knowledge of R programming, allowing them to manipulate and visualize data with R.

This course aims at providing students with statistical knowledge and tools to manipulate, analyze and visualize biological data with R. It also includes an introduction to modeling, simulations and Bayesian statistics.

Under the general framework of Global Change Ecology, the goal of this course is to provide the participants with the most recent and practical knowledge on the use of Functional Diversity.

The course provides essential skills and knowledge that enable the participants to develop climate change adaptation strategies.

Páginas