Segurança do Trabalho

Exercício de evacuação geral dos ocupantes do C8

Como agir em situações de emergência

Conheça os percursos de evacuação, as plantas de emergência e as instruções de evacuação disponíveis em https://ciencias.ulisboa.pt/pt/edificio-c8. Ao som do alarme de evacuação, abandone o edifício seguindo os percursos de evacuação até ao ponto de encontro. Cumpra as indicações das equipas, não utilize elevadores e não volte para trás. Não abandone o ponto de encontro, aguarde instruções da equipa de segurança.

Sob o mote “criar rotinas de comportamento e de atuação em caso de sinistro”, a FCUL realizou o primeiro exercício de evacuação geral no edifício C8, no dia 17 de dezembro de 2013.

Para Júlia Alves, assessora para a segurança do trabalho na FCUL, a relevância desta iniciativa passa por “permitir aos ocupantes do edifício reconhecer e distinguir os sinais sonoros de alarme, testar os meios e os procedimentos de evacuação e testar o cumprimento das instruções por parte de todos os envolvidos (equipas e ocupantes). [A importância passa ainda por] limitar as consequências de eventuais situações reais de emergência; facilitar a evacuação e o salvamento dos ocupantes em risco e permitir a intervenção eficaz dos meios de socorro”.

Neste exercício participaram 24 equipas de evacuação: uma equipa para cada bloco, constituídas no total por 97 ocupantes do edifício, entre docentes, não docentes, investigadores, colaboradores e alunos de pós-graduação. A iniciativa promovida pela Direção da FCUL foi organizada pela Assessoria para a Segurança do Trabalho, em colaboração com a Unidade de Infraestruturas e Apoio Técnico e a área de Sustentabilidade dos Serviços Centrais da ULisboa. Este exercício beneficiou ainda do trabalho realizado por uma formanda do curso de técnico superior de segurança e saúde no trabalho, realizado no edifício C8.

A construção que foi distinguida com o Prémio Valmor foi escolhida para o desenvolvimento do exercício, sobretudo porque é um edifício que reúne 100 espaços laboratoriais, existindo contacto constante com vários tipos de agentes químicos inflamáveis e/ou tóxicos e equipamentos com riscos específicos.

O período de preparação iniciou-se em maio de 2013, com a atualização das plantas do edifício. Em outubro, decorreu a elaboração do plano de evacuação, a constituição e a formação de equipas de evacuação. Na fase final, em novembro, foram feitos testes às instalações e equipamentos de segurança.

Por forma a evacuar da forma mais rápida todas as pessoas do edifício, o percurso do exercício organizou-se de acordo com o número de ocupantes e a proximidade das saídas do edifício. Para além desta medida, foram alteradas as plantas de emergência (as novas foram elaboradas pela área de Sustentabilidade dos Serviços Centrais da Reitoria da ULisboa); foram colocadas indicações de abertura das portas com barras antipânico; foram colocadas indicações sobre a localização dos pontos de encontro junto a todas as saídas do edifício; foram identificados todos os setores do edifício e foram atualizadas as indicações de abertura só em caso de emergência nas portas respetivas.

Estima-se que estivessem entre 300 a 350 pessoas no edifício na altura de soar o alarme. De acordo com a organização do exercício “os ocupantes cumpriram as instruções, saíram do edifício de forma muito ordeira e a evacuação foi feita com rapidez. Passados 32 minutos do alarme de evacuação ter tocado, todas as pessoas tinham saído [excetuando duas], os delegados de segurança tinham feito a verificação do edifício e dava-se a indicação de retorno à normalidade. Para um primeiro exercício, é um ótimo tempo. Houve falhas em equipamentos de segurança e houve falhas nos procedimentos que serão corrigidos e melhorados. É para isso que servem estes exercícios: para identificar o que não está bem, corrigir e melhorar. A principal conclusão que pessoalmente retiro deste exercício é o apoio e a colaboração da esmagadora maioria das pessoas. É um privilégio! Que se traduz numa enorme responsabilidade para o meu trabalho”, acrescenta Júlia Alves.

Os simulacros, como este, devem, de acordo com a responsável pelo projeto, ser conduzidos uma vez por ano. Por esta razão, em 2014 pretende-se realizar os primeiros exercícios de evacuação nos edifícios C1 e C2 e “um exercício mais ambicioso no C8”, com um simulacro de incêndio que irá envolver a participação formal de entidades externas à FCUL, como os bombeiros.

 

Raquel Salgueira Póvoas, Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura da FCUL
info.ciencias@fc.ul.pt
Um grupo de membros de Instituições do Ensino Superior, onde se inclui CIÊNCIAS, está reunido em frente a um jardim, em visita à Siemens

 A iniciativa teve como objetivo aproximar a academia do tecido empresarial.

Nuno Gonçalves alcança o segundo lugar na competição 3MT ULisboa.

Nuno Gonçalves foi distinguido com o segundo lugar, na final da competição ‘Três Minutos de Tese – 3MT ULisboa’, que se realizou esta quint

Inês Ventura

Inês Ventura, a desenvolver o seu doutoramento no Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE) e no Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (

Universidade de Lisboa

A Universidade de Lisboa alcança a 260ª posição no QS World University Rankings (SUR) 2025, tornando-se na universidade portuguesa mais bem classificada neste ranking.

Signatários do acordo

Dia 5 de junho foi assinado o acordo para a construção do espectrógrafo ANDES (ArmazoNes high Dispersion Echelle Spectrograph – Espectrógrafo Echelle de alta dispersão do Armazones), entre o Observatório Europeu do Sul (

 Luís Carriço, Diretor de CIÊNCIAS, e David Gonçalves, Dean do Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ) assinam acordo sentados a uma mesa

CIÊNCIAS assinou no dia 5 de junho um acordo de cooperação com o Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ), com vista à cooperação científica em várias áreas de interesse comum.

Equipa do projeto 'Ciências em Harmonia'

Esta terça-feira, 28 de maio, o projeto ‘Ciências em Harmonia’ assinalou o seu primeiro ano de atividades: um marco comemorado com um convívio informal com a comunidade, que

António Branco

António Branco, docente do Departamento de Informática de CIÊNCIAS, foi um dos oradores convidados da conferência que

Sabemos que no futuro um sismo de magnitude significativa voltará a atingir Lisboa. Não sabemos é quando. E se o pudéssemos prever? E se existisse uma probabilidade forte de ser já em 2027?

Ana Santos, finalista 3MT ULisboa

Ao longo dos próximos dias, daremos a conhecer os quatro finalistas de CIÊNCIAS que irão participar na final da competição

Painel e sessão de Perguntas & Respostas | Estreia de documentário

Perto de 120 pessoas assistiram este sábado, 25 de maio, à estreia do documentário ‘O que se esconde na luz? A ciência da missão espacial Euclid’, produzido pelo Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA).

Investigadores do Instituto Dom Luiz, de CIÊNCIAS, instalaram um sismómetro na Escola Básica Professor Delfim Santos, que se encontra a menos de um quilómetro do Estádio da Luz, em Lisboa, onde vão ter lugar os concertos.

Banner Bênção de Finalistas & Queima das Fitas 2024

Este fim de semana a Alameda da Universidade de Lisboa vai voltar a encher-se de finalistas de CIÊNCIAS e de tantas outras faculdades e universidades. A cerimónia de Bênção de Finalistas decorre amanhã dia 25 de maio, a partir das 11h30.

 

3MT ULisboa 2024

Quatro dos doze finalistas da competição ‘Três Minutos de Tese – Universidade de Lisboa’ são de CIÊNCIAS.

Pinguins-de-adélia

Num artigo agora publicado na Science, investigadores de instituições de renome a nível mundial propõem uma estratégia para envolver todas as partes interessadas na governança do Oceano Antártico através de um processo de ordenamento do espaço marinho (OEM) inteligente do ponto de vista climático.

Impressão artística da missão Euclides no espaço.

A 25 de maio (sábado), às 21h00, vamos ver e compreender as novas imagens de entre as maiores alguma vez feitas do Universo, no Grande Auditório de CIÊNCIAS (Edifício C3). A entrada é livre.

Redes Doutorais Marie Curie Projeto PROMOTE

CIÊNCIAS vai participar numa das propostas vencedoras do concurso 2023 das Redes Doutorais de Ações Marie Skłodowska-Curie (MSCA DN).

Foto de entrega de prémio aos vencedores

No âmbito do projeto Invasives e como atividade inserida na

Dia Nacional dos Cientistas - 16 de maio

O Dia Nacional dos Cientistas foi instituído em 2016 por Resolução da Assembleia da República com o objetivo de reconhecer e celebrar a contribuição vital dos cientistas para o progresso da sociedade.

CIÊNCIAS e OKEANOS em parceria para monitorizar biodiversidade e alterações dos ecossistemas marinhos

Projeto internacional SEAGHOSTS visa a monitorização e conservação das populações de painhos, as aves marinhas mais pequenas do planeta.

Reitoria da ULisboa

O CWUR 2024 avaliou de entre 20.966 instituições de ensino superior e atribuiu à ULisboa o 211.º lugar (top 1.1%) e a 80.ª posição no panorama europeu.

Pages