Conferência no GeoFCUL

Geodynamic evolution of the Scotia Arc: the final breakup of Gondwanaland and its global implications

por Andrés Maldonado (Instituto Andaluz de Ciencias de la Tierra, Consejo Superior de Investigaciones Científica/Universidad

Maldonado

“Geodynamic evolution of the Scotia Arc: the final breakup of Gondwanaland and its global implications” por Andrés Maldonado, Instituto Andaluz de Ciencias de la Tierra, Consejo Superior de Investigaciones Científicas, Universidad de Granada.

 

Resumo da conferência:

The Scotia Arc embraces southern South America, the Antarctic Peninsula, and the intervening part of the Southern Ocean including the South Georgia and South Orkney crustal blocks and the volcanically active South Sandwich Arc. It is a region of critical importance because of its role as a developing ocean gateway during Eocene-Miocene times, and because of its impact on global ocean circulation, with possible importance for Palaeogene-Neogene palaeoenvironmental change, early phases of development of Antarctic ice sheets, gene flow, and resulting biodiversity.

The opening of the Scotia Sea and of the Drake Passage located between South America and the Antarctic Peninsula is a subject of considerable controversy. Drake Passage is widely recognized as a key gateway that controlled Cenozoic water-mass circulation and climate in the southern hemisphere. The gateway permitted the gradual instauration of the Antarctic Circumpolar Current (ACC), which isolated Antarctica from the influx of warm currents from the north and intensified its glaciation. An initial interpretation attributed the climatic change and the development of the large Antarctic ice sheets to the opening of Drake Passage, although additional hypothesis attributed the Eocene/Oligocene climate change and the subsequent Cenozoic glaciation of Antarctica to variations in the concentrations of greenhouse gases.

Evidence of oceanic crust formation in Drake Passage prior to the Oligocene, however, was lacking. The earliest evolutionary stages of the Drake Passage and the Scotia Sea, as well as the impact of that evolution on the global climate and development of Antarctic ice sheets will be analyzed in this presentation. A dense geophysical data set collected in the southwestern Scotia Sea is presented and evidences for the occurrence of oceanic crust that is older than previously reported are shown. The initial tectonic fragmentation of the South America-Antarctic Bridge, followed by oceanic spreading, was characterized by jumping of the spreading centers. An Eocene spreading center in the SW Scotia Sea was the precursor for the opening of the basin. A model with four tectonic evolutionary phases will be analyzed: Phase I, Pacific subduction –Paleocene to middle Eocene; Phase II, eastern Ona back-arc spreading – middle to late Eocene; Phase III, ridge jumping and western Ona back-arc spreading –early Oligocene; and Phase IV, ridge jumping and WSR spreading –early Oligocene to late Miocene.

The development of shallow gateways allowed an early connection between the Pacific and Atlantic oceans and, hence, initiated the thermal isolation of the Antarctic during the middle and late Eocene. Deep gateways that enhanced the full isolation of the Antarctica were developed in Drake Passage from the Eocene/Oligocene transition. A significant correlation is observed between the tectonics, stratigraphic units and major climate events, thereby indicating the influence of the local tectonic and paleoceanographic events of the southern oceans on the global evolution.

Organização:

Departamento de Geologia da FCUL e IDL - Instituto Dom Luís.

Como chegar ao C6 da FCUL? 

http://ciencias.ulisboa.pt/pt/pagina/1334/contactos?refer=6

FR / CMS
frosas@fc.ul.pt

O ENEI'12 vai realizar-se na FCUL.

ESTRUTURA E GESTÃO DO DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA ANIMAL (DBA)

Apresentação do Departamento

Paleontólogos do MNHN da UL e do GeoFCUL em foco na revista TVmais.

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avançados" com mais quatro instituições universitárias portuguesas e brasileiras.

O DQB e a FCUL acolheram, mais uma vez, a realização de provas semifinais das Olimpíadas de Química Júnior 2012 no sábado, 14 de abril de 2012.

Pessoas estudam numa mesa na biblioteca

“Acho que qualquer aluno consegue ser bom, se tiver uma boa disciplina de trabalho e objetivos concretos”. Quem o diz é Gonçalo Faria da Silva, estudante do 3.º ano de Biologia.

No penúltimo dia de março realiza-se a quinta e última sessão do workshop destinado a preparar os estudantes para a obtenção do 1.º emprego.

 

Alunos da FCUL

A Schlumberger realiza uma sessão de recrutamento em Ciências. As grandes empresas procuram os melhores profissionais. A FCUL apoia a inserção profissional dos seus diplomados.
 

O evento é uma organização conjunta da Norton/Symantec e do mestrado em Segurança Informática do DI-FCUL.

O DM está na Futurália

Para Duarte Flor, presidente da associação académica e aluno do 12.º ano em Ciências, é importante que os candidatos ao ensino superior visitem as instalações de uma faculdade.

Desenho de uma figura masculina

“Existe um espaço onde o sentimento de pertença a uma escola pode ser reavivado", afirma Miguel Ramos.

Aluna junto a uma das colunas do átrio do C6

A mostra pictórica da atividade científica da FCUL é inaugurada a 13 de março. Conheça as razões pelas quais deve visitar a exposição.

O que são líquidos iónicos? Num dos primeiros programas do ano, o Com Ciência entrevistou o professor e investigador da FCUL, Carlos Nieto de Castro sobre esta classe de solventes.

Desenho de uma figura masculina

A data de lançamento do livro ainda não é pública, mas o evento deverá ocorrer brevemente, na Faculdade de Belas-Artes da UL.

Ontem evocou-se o Dia das Doenças Raras. A fibrose quística é um desses males incomuns. A investigação científica é importante em todos os setores, mas ganha especial sentido em áreas como esta.

Cerca de 20 professores de Ciências da Natureza e Ciências Naturais de nove concelhos portugueses participam na atividade promovida pelo MNHNC-UL a decorrer até abril.

Imagem de um folheto promocional

A FCUL volta a marcar presença no evento, juntamente com outras unidades orgânicas da UL.

Fotografia com pontos de interrogação

Alunos finalistas aconselham Engenharia da Energia e do Ambiente. Testemunhos de Guilherme Gaspar e Ricardo Leandro.

Fotografia de mesa com cinco pessoas sentadas, na Reitoria da UL

A rede pretende formalizar colégios doutorais em áreas transversais. Opinião de Maria Amélia Martins-Loução.

Fotografia de pessoas sentadas num dos anfiteatros da FCUL

A iniciativa acontece a 17 de março e é organizada pelos Departamentos de Física e de Informática.

Fotografia de Dois voluntários, sentados junto a uma banca no átrio do C5

Em fevereiro estão abertas inscrições para a admissão de novos voluntários.

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avançados" com mais quatro instituições universitárias portuguesas e brasileiras.

Vale a pena recordar a iniciativa do Gabinete de Mobilidade, Estágios e Inserção Profissional da FCUL.

Pages