Personalidades em Ciências

“Physical Tourist in Lisbon”

Em Portugal há lugar para um turismo de cariz científico. Há cerca de quatro anos, Ana Simões foi convidada a escrever para a rubrica Physical Tourist da revista americana “Physics in Perspective”, uma publicação de História das Ciências dirigida essencialmente aos professores do ensino secundário. O artigo “Physical Tourist in Lisbon” assinado por Ana Simões, juntamente com outras duas colegas, já foi aprovado pelos editores da revista e deverá ser publicado até ao final do ano. Os percursos pedestres sugeridos pelas autoras podem ser realizados em dois dias, tendo como ponto de partida a Estátua do Fernando Pessoa, no Chiado. Caso a candidatura portuguesa à organização do próximo congresso da European Society for the History of Science saia vencedora, quem sabe se em 2014 os congressistas não irão poder efetuar este roteiro!

Um destes dias a professora e investigadora Ana Simões trará às instalações da FCUL um historiador da Química para apresentar a obra “Neither Physics nor Chemistry: A History of Quantum Chemistry”, um livro escrito em colaboração com Kostas Gavroglu, professor de História das Ciências da Universidade de Atenas, na Grécia, desde 1994.

“É mais do que uma ideia”, comenta a docente da Secção Autónoma de História e Filosofia das Ciências da FCUL e coordenadora do Centro Interuniversitário de História das Ciências e da Tecnologia, uma unidade de investigação que tem como instituições de acolhimento a FCUL e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa.

Em entrevista, a historiadora das ciências, nascida a 13 de outubro de 1958, dá-nos a conhecer este último trabalho, publicado em outubro passado pelo MIT Press. “Neither Physics nor Chemistry: A History of Quantum Chemistry” não existe nas livrarias portuguesas, mas pode ser encomendado pela Amazon. O livro, redigido em cerca de dois anos, reflete o trabalho desenvolvido pelos investigadores nos últimos 18 anos. Ana Simões diz que se trata de “um livro que não é propriamente muito fácil de ler porque estamos a tratar de uma disciplina que é complexa, que usa muito o formalismo matemático da mecânica quântica. Escrevemos o livro praticamente sem equações. A temática é relativamente circunscrita e técnica”. Outro “megaprojeto” de Ana Simões com Kostas Gavroglu consiste na escrita de um livro dedicado às relações entre a Química e a Matemática, procurando perceber qual foi o papel que a Matemática e a matematização tiveram na Química.

A antiga aluna de Física, professora na Faculdade de Ciências desde 1982, dedica muito do seu tempo à História da Ciência em Portugal. No final do verão espera finalizar, juntamente com outros quatro colegas, um livro sobre a história da Faculdade de Ciências, desde a sua criação até à Democracia. Para além desta obra, Ana Simões também participou recentemente noutro  livro sobre a história da UL,  consagrado à universidade contemporânea, séculos XIX e XX e que, em conjunto com outro sobre a universidade medieval, deverão ser apresentados publicamente num futuro muito próximo.

A história da FCUL é singular, mas pouco conhecida, por isso, projetos como estes assumem particular importância. Para Ana Simões, “um trabalho que reflita sobre o passado de uma instituição, ou o passado da ciência em Lisboa ou em Portugal, é sempre algo de muito importante para repensarmos o nosso trajeto e até é, do meu ponto de vista, importante para percebermos o momento presente, projetarmos o futuro e percebermos que há muitas questões que vão reaparecendo”, como por exemplo, as coligações e conflitos entre faculdades, um tema tão na ordem do dia e igualmente presente na génese da Faculdade de Ciências.

A preservação e divulgação do património científico português tem grande importância na vida da antiga aluna da licenciatura de Física da FCUL, mais tarde estudante de doutoramento em História, com especialização em História e Filosofia das Ciências, na Universidade de Maryland em College Park, nos EUA. Inclusivamente, Ana Simões, bem como outros colegas, têm escrito alguns papers usando os arquivos dos Museu Nacional de História Natural e da Ciência e do Observatório Astronómico de Lisboa. O espólio patrimonial destas instituições é, de facto, uma mais-valia para a História das Ciências em Portugal. Recentemente, o reitor da UL, António Sampaio da Nóvoa, recebeu o título de membro honorário da Universeum – European Academic Heritage Network, uma rede reconhecida pelo Conselho Europeu e que procura valorizar o património científico, museológico, monumental, botânico e arquivístico das universidades europeias.

Com mais de 90 publicações no currículo, a professora da FCUL coordenou juntamente com o colega Henrique Leitão a coleção História e Filosofia das Ciências, publicada pela Porto Editora e entretanto encerrada. Esta coleção integra 14 volumes de traduções de livros importantes para a História das Ciências, como é o caso de “Galileu, Cortesão”, de Mario Biagioli, traduzido por Ana Sampaio e que recebeu a esse propósito uma menção honrosa na 15.ª edição do Prémio de Tradução Científica e Técnica em Língua Portuguesa.

Outro volume incluído nesta prestigiada coleção é a obra “Cidadão do Mundo. Uma Biografia Científica do Abade Correia da Serra”. A obra escrita por Ana Simões, Maria Paula Diogo e Ana Carneiro sobre o naturalista e um dos fundadores da Academia das Ciências foi traduzida recentemente para Inglês, pela Universidade de Califórnia, Berkeley, uma opção que teve em consideração as relações entre o cientista português e os primeiros presidentes americanos. O encerramento da coleção História e Filosofia das Ciências foi determinado pelo limitado número de vendas. Ana Simões acredita que existe público para estes livros e que as editoras devem continuar a investir neste tipo de edições, apostando fortemente na divulgação das obras. “Estes livros não tinham grande saída porque eu acho que eles não tinham grande visibilidade”, conclui. Segundo a direção editorial da Porto Editora, “a decisão de não dar continuidade à coleção demorou algum tempo e foi difícil de tomar”. A empresa fundada em 1944 explica que enfrentou dificuldades em rentabilizar a coleção devido, sobretudo, à pequena dimensão do mercado português e aos elevados investimentos a que este tipo de publicações obriga. Para a direção editorial daquela sociedade por quotas: “estes aspetos foram sendo agravados pelo recurso frequente a fotocópias e à facilidade com que os alunos portugueses leem textos em língua estrangeira, preferindo nalguns casos as edições originais às traduções, mesmo que muito cuidadas e de grande qualidade, como é o caso das da coleção História e Filosofia das Ciências”.

Ana Subtil Simões, Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura da FCUL
info.ciencias@fc.ul.pt

Proposal for a REGULATION OF THE EUROPEAN PARLIAMENT AND OF THE COUNCIL.

Laying down the rules for the participation and dissemination in 'Horizon 2020 – the Framework Programme for Research and Innovation (2014-2020).

EUA represents over 850 universities and university associations across 47 European countries. Its highly diverse membership covers the full spectrum of universities participating in European research programmes.

Vai realizar-se de 18 a 20 de Março de 2013, em honra do Professor Ross Leadbetter, o "Symposium on Recent Advances in Extreme Value Theory ".

Face de Maria Amélia Martins-Loução

O Flora-On sistematiza informação fotográfica, geográfica, morfológica e ecológica de todas as espécies de plantas vasculares autóctones ou naturalizadas listadas para a flora de Portugal. Atualmente, através deste portal acede a 164 famílias, 836 géneros e 2991 espécies.

Cortejo académico na Aula Magna

A cerimónia de abertura do ano letivo de 2012/2013 marca uma nova etapa do ensino superior público.
Exegi monumentum aere perennius - Ergui um monumento mais duradouro que o bronze.
Da nova Universidade de Lisboa vê-se o mundo...

Crianças dos 5 aos 9 anos descobrem as Ciências na FCUL

A FCUL abriu as portas do conhecimento aos alunos do Colégio Infantes de Portugal, de Palmela. Durante uma manhã, os laboratórios de Biologia e de Química e Bioquímica foram explorados por cerca de 20 crianças com idades compreendidas entre os 5 e os 9 anos.

Encontra-se aberto concurso externo para o Banco de Portugal - Departamento de Supervisão Prudencial, com vista ao preenchimento de vagas de Técnico Superior para a área de supervisão

“A inovação é tipo ‘ovo de Colombo’, depois de se saber, parece fácil. Só que ‘saber’ significa um longo caminho de amadurecimento do conhecimento”, declara Maria Filomena Camões, docente do Departamento de Química e Bioquímica da FCUL, a propósito da atribuição da Bolsa Europeia de Excelência de Investigação.

A. M. Galopim de Carvalho num dos geoparques

O pioneiro da Geoconservação em Portugal sente-se agradado pelo reconhecimento dos mais de 20 anos de serviço em prol da preservação e salvaguarda dos geoparques, considerando o tributo um importante incentivo para a defesa territorial, para a promoção da geodiversidade e para o desenvolvimento sustentável baseado no património geológico.

Isaac Carrêlo e Rita Almeida, alunos do curso de Engenharia e Energia do Ambiente e Eva Barrocas, do curso de Biologia, viajaram até Cabo Verde para fazer parte da equipa Turtle Foundation. Durante um mês de experiências intensas, protegeram tartarugas e levaram os ensinamentos apreendidos na FCUL até à comunidade local.

Mapa

O Memorando de Entendimento celebrado com Portugal estabelece oito áreas programáticas para a respetiva alocação de verbas para 2009/2014. A abertura de concursos para Portugal deve acontecer ainda este ano.

Palestra por Jennifer de Jonge

Centro de Biotecnologia Vegetal/IBB

Evolução Tecnológica e o Cadastro Territorial Multifinalitário no Brasil

VicenTuna anima Sessão de Boas-vindas

Receber os novos alunos numa sessão de boas-vindas é uma das tradições da FCUL. Agora, o espírito da cerimónia pode ser conhecido pela voz dos profissionais e alunos que fizeram parte da última sessão, através de uma reportagem multimédia presente na página do YouTube da Faculdade, bem como na pasta de vídeos do Facebook.

Pormenor de obra de arte

Atualmente, o antigo aluno da FCUL é post-doc na Universidade Federal do Rio Grande - Fundação Universidade do Rio Grande, no Brasil, sendo responsável por projetos na área da Biologia Antártica – Biologia Polar.

Miguel Ramos

Miguel Ramos, professor do Departamento de Matemática da FCUL, faleceu esta quinta-feira, dia 3 de janeiro. O corpo será velado no dia 5 de janeiro, entre as 17h00 e as 24h00, na Capela da Igreja das Furnas, em São Domingos de Benfica, assim como no dia 6 de janeiro, a partir das 12h00, seguindo-se a missa pelas 15h00. A cerimónia de cremação ocorre no Cemitério dos Olivais.

Miguel Ramos (1963-2013)

Estão disponíveis os calendários de exames do 2º ciclo para as seguintes áreas:

- Mestrados de Engenharia Geográfica e SIG

Páginas