Opinião

Mar Mineral

Chaminés hidrotermais no campo Rainbow inativas

FB

Fernando Barriga

Preparado para mineração nos fundos marinhos profundos? E para viver sem telemóvel? Venha visitar a exposição Mar Mineral e compreender a relação.

Ao longo dos últimos 40 anos, a investigação acerca dos fundos marinhos revolucionou várias vezes a nossa percepção acerca da dinâmica dos fundos marinhos, da biosfera e do próprio planeta, demonstrando simultaneamente a existência de recursos até aí insuspeitados. Descobriram-se os campos hidrotermais (e os seus jazigos minerais) e a fauna extremófila quimiossintética, independente (ou quase) da fotossíntese, e capaz de viver nas mais inóspitas condições; vimos aprendendo que vastas áreas de fundos marinhos estão repletas de hidratos de metano, uma espécie de gelo que arde; descobrimos depois a biosfera profunda, a população microbiana que habita a porosidade das rochas. Em 2011, há literalmente meia dúzia de anos, descobriu-se que enormes extensões de fundos marinhos são muito ricos em terras raras e ítrio, multiplicando as reservas conhecidas em terra. Acresce ainda o estudo moderno dos nódulos e crosta polimetálicos, conhecidos desde o século XIX. Não há palavras para descrever cabalmente as implicações científicas, filosóficas e económicas destas descobertas.

O mundo, e a Europa em particular, vão necessitar de novas fontes de matérias primas. Sem os recursos dos fundos marinhos, poderemos num futuro próximo vermo-nos com dificuldades de fornecimento de matérias primas críticas para numerosíssimas aplicações, incluindo telemóveis, écrans de computador e televisores, e até para energias verdes, como turbinas eólicas, placas solares e veículos eléctricos.

A exposição patente no Museu Nacional de História Natural e da Ciência é inaugurada a 13 de julho, pelas 17h30.

A exposição, num ambiente evocativo dos fundos marinhos, leva-nos de descoberta em descoberta, com algumas peças inesperadas, incluindo um AUV português verdadeiro, chaminés hidrotermais do Atlântico e do Pacífico, nódulos do Pacífico e crostas do Atlântico, minerais e produtos metalúrgicos, e uma visita a fundos marinhos de há cerca de 350 milhões de anos. A preservação dos ecossistemas não ficou esquecida, a mineração submarina terá de ser “verde”. Inclui ainda um conjunto de imagens extraordinárias, pouco conhecidas, muitas em filmes originais, realizados para a exposição Mar Mineral.


Chaminés hidrotermais no campo Rainbow ativas
Fonte FB

Nota da redação: o autor não segue o atual Acordo Ortográfico.

Fernando Barriga, comissário científico da exposição Mar Mineral e professor do Departamento de Geologia de Ciências
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Pessoas estudam numa mesa na biblioteca

“Acho que qualquer aluno consegue ser bom, se tiver uma boa disciplina de trabalho e objetivos concretos”. Quem o diz é Gonçalo Faria da Silva, estudante do 3.º ano de Biologia.

No penúltimo dia de março realiza-se a quinta e última sessão do workshop destinado a preparar os estudantes para a obtenção do 1.º emprego.

 

Alunos da FCUL

A Schlumberger realiza uma sessão de recrutamento em Ciências. As grandes empresas procuram os melhores profissionais. A FCUL apoia a inserção profissional dos seus diplomados.
 

O evento é uma organização conjunta da Norton/Symantec e do mestrado em Segurança Informática do DI-FCUL.

O DM está na Futurália

Para Duarte Flor, presidente da associação académica e aluno do 12.º ano em Ciências, é importante que os candidatos ao ensino superior visitem as instalações de uma faculdade.

Desenho de uma figura masculina

“Existe um espaço onde o sentimento de pertença a uma escola pode ser reavivado", afirma Miguel Ramos.

Aluna junto a uma das colunas do átrio do C6

A mostra pictórica da atividade científica da FCUL é inaugurada a 13 de março. Conheça as razões pelas quais deve visitar a exposição.

O que são líquidos iónicos? Num dos primeiros programas do ano, o Com Ciência entrevistou o professor e investigador da FCUL, Carlos Nieto de Castro sobre esta classe de solventes.

Desenho de uma figura masculina

A data de lançamento do livro ainda não é pública, mas o evento deverá ocorrer brevemente, na Faculdade de Belas-Artes da UL.

Ontem evocou-se o Dia das Doenças Raras. A fibrose quística é um desses males incomuns. A investigação científica é importante em todos os setores, mas ganha especial sentido em áreas como esta.

Cerca de 20 professores de Ciências da Natureza e Ciências Naturais de nove concelhos portugueses participam na atividade promovida pelo MNHNC-UL a decorrer até abril.

Imagem de um folheto promocional

A FCUL volta a marcar presença no evento, juntamente com outras unidades orgânicas da UL.

Fotografia com pontos de interrogação

Alunos finalistas aconselham Engenharia da Energia e do Ambiente. Testemunhos de Guilherme Gaspar e Ricardo Leandro.

Fotografia de mesa com cinco pessoas sentadas, na Reitoria da UL

A rede pretende formalizar colégios doutorais em áreas transversais. Opinião de Maria Amélia Martins-Loução.

Fotografia de pessoas sentadas num dos anfiteatros da FCUL

A iniciativa acontece a 17 de março e é organizada pelos Departamentos de Física e de Informática.

Fotografia de Dois voluntários, sentados junto a uma banca no átrio do C5

Em fevereiro estão abertas inscrições para a admissão de novos voluntários.

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avançados" com mais quatro instituições universitárias portuguesas e brasileiras.

Fotografia de alunos procuram informações junto a uma banca no átrio do C3

Vale a pena recordar a iniciativa do Gabinete de Mobilidade, Estágios e Inserção Profissional da FCUL.

Fotografia de alunos a andarem, junto ao C8

A primeira edição do curso realiza-se já em 2012.

Outra forma de fazer turismo.

Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25.Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25

O Encontro decorreu em Junho no GeoFCUL.

Páginas