Opinião

Sem distâncias…


Paula Estrócio e Sousa

Falar de um projeto que nasceu em 2007, que se foi desenvolvendo e ganhando corpo, que caminha com metas desejáveis e além-fronteiras, e que em finais de 2013 abre portas ao interesse da sociedade, a partir de um convite do Programa Nós – RTP 2, será o mote do presente artigo que desenho, na sequência do recente pedido por parte do Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura da FCUL.

Como nasce o projeto…

Trabalhar diretamente com o acolhimento de alunos de mobilidade, nomeadamente oriundos do Brasil fez-me pensar, em 2007, num outro universo de estudantes cujo destino era igualmente a Faculdade de Ciências.

Alargar o acolhimento já prestado pela FCUL na vertente de mobilidade, a todos os outros alunos estrangeiros a estudar na instituição, direcionando um foco para os estudantes oriundos dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa e de Timor, foi um dos objetivos do projeto.

Saber quem eram estes alunos, de onde vinham, quais as suas dificuldades, quais as suas áreas preferenciais de estudo, expetativas, vivências e culturas, etc..

Provavelmente haveria muito para partilhar e para nos inteirarmos. E assim aconteceu…!

Este universo de estudantes passou a usufruir do mesmo modelo de acolhimento direcionado aos alunos estrangeiros de mobilidade. Mas com algumas particularidades que importava serem exploradas: chegavam de países com sistemas de ensino substancialmente diferentes do nosso; pretendiam realizar períodos completos de estudos em Portugal (licenciatura ou mestrado); apenas alguns vinham com bolsa de estudo; e embora para a grande maioria a língua não representava um entrave, era importante saber interpretar e conhecer diferenças e semelhanças culturais e algumas dificuldades que se iam revelando.

Do acolhimento à integração…

Se as reuniões institucionais de acolhimento não previam ser tarefa fácil, atendendo às datas diferenciadas de chegada dos estudantes à FCUL, a integração e respetivo acompanhamento assumiam-se como passos imperativos deste processo: desde o convite lançado à participação e conhecimento do projeto às Direções da FCUL, aos serviços internos como o Gabinete de Apoio Psicopedagógico, Serviços Académicos e Gabinete de Estudos Pós-Graduados e Associação dos Estudantes; desde o convite aos interlocutores das respetivas Embaixadas; das reuniões institucionais de acolhimento e acompanhamento com os alunos; do reporte à FCUL e UL sobre temáticas relevantes; da pertinência de indicadores internos na vertente local e internacional, do apoio diariamente prestado pelos professores da FCUL e cimentado com a vertente das tutoriais, desenvolvido pelo GAPSI; da criação de um site dedicado à vertente dos estudantes da CPLP; e dos serviços que se encontram ao seu dispor, a eventos recentemente organizados pelos estudantes, tudo traduz um conjunto de passos conjuntamente percorridos que levaram a que o projeto crescesse, ganhando corpo e alma.

Falar do futuro

Chegado aqui, a meta é a de que o projeto possa correr por si e se expanda. Se alimente das necessidades e soluções que forem surgindo, mas também de boas iniciativas a desencadear pelos próprios alunos, tendo em vista a melhor integração.

Que os estudantes utilizem os recursos à disposição na instituição e criem sinergias com os professores, colegas e Associação dos Estudantes: conheçam os seus colegas conterrâneos, nacionais, e estrangeiros a estudar na FCUL, (e com o nosso contributo) a estudar na Universidade de Lisboa.

Que partam sempre à conquista da melhor vivência e de bons resultados académicos na FCUL, partilhando experiências, dificuldades e sucessos.

Sobretudo que as suas experiências académicas e de aprendizagem na Faculdade, em Lisboa e em Portugal possam cumprir objetivos iniciais, e que tragam igualmente frutos e mais-valias no seu futuro profissional, seja ainda na ajuda ao desenvolvimento nos seus países de origem. É essa a sua e a nossa ambição também.

Falar ainda sobre cooperação e ajuda ao desenvolvimento no decurso deste projeto. Outros caminhos...

Creio que este projeto é apenas uma pequena parcela da imensa vertente da Cooperação e, atendendo particularmente aos vários níveis de dificuldade que muitos estudantes referem na sua deslocação para a Europa, acredito que projetos relacionados com a transferência de conhecimentos e formação de quadros para e naqueles países, irão também ajudar a reforçar os respetivos ensino secundário e 1.º ciclo universitário - fases cruciais de aprendizagem, tendo em vista a especialização necessária que este universo de estudantes poderá vir a realizar mais tarde, quer nos seus países, quer na Europa e no Mundo, encontrando-se mais habilitados e com maiores competências em termos do conhecimento.

Que o sucesso académico e profissional possa estar sempre presente na vida de todos quanto apostam na formação, trabalhando para isso. É missão das instituições e da sociedade, mas também dos formandos, caminharem lado a lado nesse sentido.

Votos de muito sucesso para todos os estudantes da FCUL!

Paula Estrócio e Sousa, técnica superior do Gabinete de Cooperação e Relações Externas da FCUL
Mapa

A recomendação de inclusão da Clarin Portugal no Roteiro Nacional de Infraestruturas de Investigação de Interesse Estratégico (Rnie) representa um passo da maior importância para a internacionalização da língua portuguesa e para a sua preparação para a era digital. 

O Seminário Diagonal realiza-se dia 17 de março, pelas 18h00, na FCUL, no anfiteatro 6.2.53.

Henrique Cabral

Investigadores de seis universidades portuguesas criam novo centro de investigação em ciências marinhas: o Mare.

Candidaturas decorrem até 21 de março de 2014.

Após as audiências pública e privada dos candidatos a diretor, o Conselho de Escola elegeu com maioria absoluta, no dia 26 de fevereiro, a candidatura do professor do Departamento de Química e Bioquímica, frisando na ocasião “o empenho de ambos os candidatos no enriquecimento da discussão e definição dos problemas e desafios que a FCUL enfrenta”.

Jornadas e-Planning

“O objetivo das jornadas é refletir e debater as grandes prioridades e desafios societais que enfrentamos”, diz Pedro Ferraz de Abreu, dinamizador da iniciativa.

Filipe Duarte Santos aceitou coordenar a equipa que vai avaliar a estratégia de gestão da zona costeira nacional, “porque é um serviço para o meu país numa área em que tenho algum conhecimento e experiência”, na sequência do convite feito pelo ministro do Ambiente, Jorge Moreira da Silva.

Ciências em Movimento - Laboratório Biologia Animal

“Não conhecia a Faculdade e estou a gostar. Nunca tinha aberto um peixe! Acho que é importante fazer parte deste tipo de iniciativas para que quem queira seguir [a área das ciências], tenha contacto com a realidade antes de fazer a sua escolha”, declarou Alexandra Monteiro, aluna do 12.º ano de Biologia da Escola Secundária Dona Filipa de Lencastre.

O Departamento de Estatística e Investigação Operacional apresenta uma oferta de emprego.

O artigo científico com o título "Chord-based Correction for Multitouch Braille Input" recebeu o prémio de Melhor Artigo Científico na Conferência CHI 2014.

O Prof. Nuno Neves é o novo prof. Associado com Agregação do Departamento de Informática da FCUL.

Henrique Leitão

Quem cultiva a terra sabe que os pepinos devem ser podados, para que possam crescer sem rama e com um gosto agradável. Quem trabalha com as comunidades do pré-escolar e dos ensinos básico e secundário deve ter cuidados semelhantes aos dos agricultores. Despertar o gosto pelas ciências, seja em que contexto for, é sempre uma boa prática.

Imagem de ULisboa

No dia em que a VicenTuna festeja os seus 20 anos, a Universidade de Lisboa realiza a sessão de abertura do ano académico 2013/2014.
 

Mediterranean water eddies in the Atlantic (Meddies) are long-living intermediate water eddies spreading long distances across the Atlantic ocean at the depths of about 1000m.

logotipo nielsen

A Nielsen é líder em Estudos de Mercado a nível mundial e Portugal.

To the attention of reviewing panels: On the recent policy of FCT of using ORCIDSCOPUS to assess individual and research units’ bibliographic productivity and impact.

 

A M Galopim  de Carvalho

Para os que tiveram o privilégio de lidar com ele, o Catarino, na gíria dos alunos, ou o Mangas, para os amigos mais chegados, é uma mistura alegre e contagiante de sabedoria, humanidade e simpatia.

Os alunos Afonso M Cardoso, Noa Estes, João Jorge e António Relógio criaram sob a orientação do professor João Serra um protótipo de um sistema de seguimento solar passivo, com o objetivo de aumentar a exposição solar de painéis solares.

Rafael Soledade

Segundo o orientador da Accenture o aluno da FCUL contribuiu decisivamente para a abertura de um nicho de mercado, permitindo a exportação de tecnologia para um cliente estadual norte-americano, materializada num contrato de mais de 40 milhões de dólares.

A AdvanceCare pretende recrutar um Analista de Informação de Gestão.

Estátua de José Pinto Peixoto por Laranjeira Santos

O processo de audição pública aos candidatos ao cargo de diretor da FCUL deverá terminar a 24 de fevereiro. Dois dias depois, o Conselho de Escola deverá eleger o diretor para os próximos quatro anos.

Páginas