Amostras são processadas analiticamente nos polos do MARE e BioISI da Ciências ULisboa

Projeto MarCODE recolhe mais de 1000 amostras de pescado e marisco

Barcos de pesca em Almograve, Portugal

“Várias espécies são capturadas em locais onde a captura se encontra interdita ou utilizando artes de pesca ilegais, sendo o pescado muitas vezes processado a bordo e declarado como tendo origens geográficas diferentes da rotulada", conta Bernardo Duarte

Unsplash - Marília Castelli

O MarCODE tem como parceiros científicos o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) e a Docapesca e conta com um financiamento total de €1.257.208,71, sendo cofinanciado pelo Programa Operacional MAR 2020 no âmbito do Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas.

No âmbito do projeto MarCODE já foram recolhidas mais de 1000 amostras de pescado e marisco - robalo, dourada, raia-lenga, pescada, carapau, polvo, cavala, ouriço e percebes. A amostragem decorreu nas lotas nacionais da DOCAPESCA, nomeadamente em Matosinhos, Peniche, Sesimbra, Sines e Olhão, as principais lotas do país bem como os mercados com maior relevância em termos de volume de desembarques nacionais. As amostras encontram-se a ser processadas analiticamente nos laboratórios do Centro de Ciências do Mar e Ambiente (MARE) e do Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (BioISI), nos polos da Faculdade.

“Resultados preliminares já desenvolvidos para algumas espécies (por exemplo, o robalo) demonstram que as marcas bioquímicas propostas (como por exemplo o perfil de ácidos gordos do pescado) apresentam uma elevada capacidade de resolução em discriminar organismos capturados em diferentes zonas, nomeadamente uma elevada resolução até a uma escala bastante reduzida, sendo possível discriminar os locais de captura destes indivíduos usando estas técnicas em diferentes zonas, como por exemplo o estuário do Tejo”, conta Bernardo Duarte, investigador do MARE Ciências ULisboa e coordenador do projeto, lançado em julho passado.

Segundo o investigador estima-se que um em cada três restaurantes da Europa venda pescado incorretamente identificado, sendo que na maioria das situações é fornecido ao consumidor uma espécie diferente da que se encontra descrita nas ementas. “A venda de ‘gato por lebre’, ou seja, de espécies de baixo valor comercial no lugar de espécies mais caras, é a fraude mais recorrentemente detetada. Uma das fraudes mais comuns em Portugal de acordo com a ASAE trata-se da venda de paloco por bacalhau ou de pota por polvo”, adianta Bernardo Duarte.

Portugal é um dos maiores consumidores mundiais de peixe per capita, sendo particularmente afetado pela possibilidade de fraudes nesta área. A pesca ilegal, não declarada e não regulamentada tem impactos económicos, ecológicos e de saúde pública.

“Várias espécies são capturadas em locais onde a captura se encontra interdita ou utilizando artes de pesca ilegais, sendo o pescado muitas vezes processado a bordo e declarado como tendo origens geográficas diferentes da rotulada. O impacto estimado desta prática ronda os 26-50 biliões de dólares. Adicionalmente a captura de espécies em zonas de captura proibida levanta problemas económicos ameaçando os stocks de pescado nessas mesmas zonas. Estas capturas são depois vendidas a preços de mercado mais elevados, com rotulagem geográfica adulterada. Ao terem como origem zonas de captura interdita, estes espécimes apresentam por vezes valores de contaminantes, toxinas ou de parasitas superiores aos admitidos como sendo legalmente seguros para consumo humano, apresentando por isso um risco acrescido”, conclui Bernardo Duarte.

Scripta manent. O que se escreve, fica, permanece.
Artigo no Guardian alerta para fraude alimentar de alimentos de origem marinha.

Ana Subtil Simões, Área Comunicação e Imagem Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
MarCODE arranca em julho
Membros do Ciências em Harmonia (C-H), o projeto pioneiro de CIÊNCIAS para promoção do bem-estar entre alunos

O Ciências em Harmonia (C-H), projeto pioneiro de CIÊNCIAS, teve direito a destaque na edição de 23 de julho do jornal Público.

Ser Cientista 2024

Entre 22 e 26 de julho67 alunos do ensino secundário têm a oportunidade experienciar, durante uma semana, o que é ser cientista e como é o ambiente de investigação.

Licenciaturas CNA 2024

Vem definir o teu futuro e descobre o que temos preparado para ti. Candidata-te a CIÊNCIAS ULisboa!

Banner Prémio de Doutoramento em Ecologia - Fundação Amadeu Dias

Já são conhecidos os vencedores da edição 2024 do Prémio de Doutoramento em Ecologia - Fundação Amadeu Dias, organizado pela Sociedade Portuguesa de Ecologia (SPECO).

Jorge Buescu, professor do Departamento de Matemática (DM) de CIÊNCIAS, reeleito Vice-Presidente da European Mathematical Society (EMS)

Jorge Buescu, professor do Departamento de Matemática (DM) de CIÊNCIAS, foi reeleito Vice-Presidente da European Mathematical Society (EMS).

Verão na ULisboa em CIÊNCIAS

Foi com um sorriso na cara e com vontade de um dia regressarem, que os estudantes do programa Verão na ULisboa deixaram o campus de CIÊNCIAS, após as cerimónias de entrega de diplomas que decorreram nos dias 5 e 12 de julho.

Assinatura do Protocolo com a REDCORP

o passado dia 9 de julho a Direção de CIÊNCIAS assinou um protocolo de cooperação com a REDCORP, empresa de empreendimentos mineiros responsável pelo Projeto Lagoa Salgada.

CIÊNCIAS assinA um protocolo de colaboração com a Raiz Vertical Farms nas instalações de CIÊNCIAS, tendo sido assinado pelo Diretor da faculdade, Luís Carriço, e pela co-fundadora da startup Rede Vertical Farms, Inês Barros.

CIÊNCIAS assinou um protocolo de colaboração com a Raiz Vertical Farms, com o objetivo de instalar uma horta vertical no campus da faculdade.

Equipa do CSD Lab do BioISI

Uma equipa de investigadores do Laboratório de Estrutura e Dinâmica Celular (CSD Lab) do Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (BioIS

Diogo Rodrigues Fernandes

Diogo Rodrigues Fernandes, doutorando de CIÊNCIAS e investigador no Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais (

Banner O Planeta Vivo

“Temos este mundo, ou nada. E temos um grande problema se não entendermos o planeta que queremos salvar.” Esta citação de Carl Sagan é o mote do documentário ‘O Planeta Vivo’, que estreou no passado dia 3 de julho na RTP.

Vista Aérea do Observatório do Paranal

O Observatório do Paranal, no deserto do Atacama no Chile, que faz parte do Observatório Europeu do Sul (ESO), vai receber em 2025 um telescópio made in Portugal para observar o Sol.

Nuno Gonçalves e Inês Leite posam com os prémios junto aos restantes investigadores do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA)

Nuno Gonçalves e Inês Leite, estudantes de CIÊNCIAS, foram premiados na SPIE Astronomical Telescopes + Instrumentation, a maior conferência internacional sobre instrumentação para a Astronomia.

Ranking de Leiden: Há três áreas de investigação de CIÊNCIAS em que a ULisboa é líder nacional

A Universidade de Lisboa (ULisboa) está em primeiro lugar a nível nacional em três áreas de produção científica de CIÊNCIAS no reputado CWTS Leiden Ranking: Ciências da Vida e da Terra, Matemáti

Banner Curso PRODIGI

A partir de 2025 a Universidade de Lisboa em parceria com o Instituto Politécnico de Lisboa, vai disponibilizar uma nova formação online em competências digitais.

 

Inês Fragata, Margarida Matos, Sara Magalhães e Cristina Máguas.

CIÊNCIAS inaugura hoje oficialmente a infraestrutura laboratorial de investigação - Unidade de Evolução Experimental.

Imagem alusiva ao Deep Tech Talent Initiative (DTTI), um programa do European Institute of Innovation and Technology (EIT)

O Mestrado em Bioestatística de CIÊNCIAS foi acreditado pela Deep Tech Talent Initiative (DTTI), um programa do European Institute of Innovation and Technology (EIT).

Dois professores de CIÊNCIAS eleitos sócios da Academia das Ciências de Lisboa

Pedro Miguel Duarte e Luís Eduardo Neves Gouveia, professores de CIÊNCIAS, foram eleitos sócios da Academia das Ciências de Lisboa.

O Centro de Congressos da Alfândega do Porto é o palco da edição de 2024 do Encontro Ciência.

Luís Carriço (Diretor de CIÊNCIAS) e Carlos Martins (Presidente da EPAL) junto a um dos novos bebedouros.

A Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa aderiu ao desafio da EPAL - Empresa Portuguesa das Águas Livres de consumir Água da Torneira nas suas áreas comuns, representando mais um compromisso com o Ambiente e com

 Rodrigo Freitas, Francisco Graça e Diogo Ávila no Pódio dos 3000 metros obstáculos no Campeonato Nacional Universitário de Pista ao Ar Livre

Rodrigo Freitas, estudante de CIÊNCIAS, sagrou-se bicampeão no Campeonato Nacional Universitário (CNU) de Atletismo Pista Ar Livre.

Desde ontem que CIÊNCIAS dispõe de um novo espaço: o Lounge C7!

Carolina Margarido, Catarina Lima e Raquel Costa seguram o prémio de primeiro lugar na segunda fase do Future Innovators Program da Unicorn Factory Lisboa

Carolina Margarido, Catarina Lima e Raquel Costa venceram a segunda fase do Future Innovators Program da Unicorn Factory Lisboa

A cientista Ana Russo, investigadora do Instituto Dom Luiz (IDL), visitou duas escolas básicas do concelho de Sintra no dia 23 de abril para rea

Páginas