Investigadores da Ciências ULisboa e da UBI participam na experiência CLOUD no CERN

Novo mecanismo pode acelerar perda de gelo marinho no Ártico

Science apresenta resultados de importância fundamental para a compreensão do clima atual e sua evolução futura

CLOUD

A CLOUD investiga como as partículas de aerossol, sob condições atmosféricas cuidadosamente controladas em laboratório, se formam e crescem a partir de gases reativos

CERN
esquema da formação de nuvens a partir de precursores de iodo nos ambientes Ártico e marinho
Esquema da formação de nuvens a partir de precursores de iodo nos ambientes Ártico e marinho. As espécies de iodo, emitidas do gelo marinho e da superfície do mar, são rapidamente fotolisadas para formar oxoácidos de iodo que formam novas partículas e podem crescer para se tornarem novos núcleos de condensação
Fonte Helen Cawley

As partículas de aerossol atmosférico podem modificar as nuvens e o clima ou contribuir para a poluição urbana. O estudo “Role of iodine oxoacids in atmospheric aerosol nucleation” publicado esta sexta-feira na Science apresenta os resultados da experiência CLOUD (Cosmics Leaving Outdoor Droplets), anuncia o CERN. Este artigo é assinado por mais de cem investigadores, entre os quais se contam João Almeida, António Amorim, António Dias e António Tomé.

A CLOUD investiga como as partículas de aerossol, sob condições atmosféricas cuidadosamente controladas em laboratório, se formam e crescem a partir de gases reativos.

Esta experiência simulou os efeitos dos raios cósmicos usando um feixe de partículas do CERN (Proton Síncrotron) para dessa forma investigar como os raios cósmicos influenciam a criação e a estrutura das nuvens e consequentemente o clima da Terra.

A atmosfera no interior da câmara CLOUD é caracterizada por um nível de contaminantes muito mais baixos do que outras câmaras anteriores permitindo medir a nucleação de partículas e seu crescimento numa mistura rigorosamente controlada de vapores.

O estudo agora publicado debruçou-se na formação de novas partículas a partir de vapores sob as condições da camada limite marinha.

“A formação de partículas de ácido iódico é provavelmente especialmente importante nas regiões marinhas onde o ácido sulfúrico e a amónia existem em concentrações extremamente baixas. Na verdade, a formação regular de novas partículas sobre a camada de gelo do Ártico foi relatada recentemente, impulsionada pelo ácido iódico com pouca contribuição do ácido sulfúrico. As implicações para a evolução do clima são notáveis. As emissões globais de iodo triplicaram nos últimos 70 anos e podem continuar a aumentar no futuro, à medida que o gelo marinho se torna mais fino. O aumento resultante de ácido iódico e respetivos núcleos de condensação precursores das nuvens podem aumentar o forçamento radiativo na região dos infravermelhos devido à cobertura das nuvens e proporcionar um mecanismo de realimentação positiva que acelerará a perda de gelo marinho no Ártico”, contam os investigadores.

A participação portuguesa neste trabalho foi financiada pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia no âmbito de um projeto que tem António Tomé, professor da Universidade da Beira Interior (UBI) e investigador do Instituto Dom Luiz (IDL) como investigador responsável e cuja equipa conta ainda com a presença de Sandra Mogo, investigadora do IDL e professora da UBI; José Páscoa e Paulo Pimentel de Oliveira, professores da UBI e de António Amorim, professor do Departamento de Física da Ciências ULisboa e investigador do CENTRA.

ACI Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

O grande momento do dia é a sessão solene, que inclui este ano o lançamento do segundo volume dos Professores Cientistas e a inauguração do Quadro de Honra.

Sobre Namoros e Casamentos

Jorge Buescu

Quinta-feira, dia 12 de Abril de 2012, às 18h30, na sala 6.1.36

Vela

Ricardo Leandro é o vencedor da Competição Europeia. O estudante da FCUL apresentou a melhor ideia: um coletor solar térmico de baixo custo, acoplável a um módulo fotovoltaico.

A palestra "O Princípio do Tempo" proferida por Pedro Gil Ferreira é uma das iniciativas do “VII Encontro Ibérico de Cosmologia”, que decorre em abril nas instalações da FCUL.

Jovem usa microscópio

A FCUL estimula a abertura permanente à sociedade civil, promovendo acontecimentos que visam a disseminação de conhecimentos e a interligação com diferentes agentes sociais.

Os vários objectivos do DEGGE: Tudo o que nos define, e tudo o que apoiamos

O ENEI'12 vai realizar-se na FCUL.

ESTRUTURA E GESTÃO DO DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA ANIMAL (DBA)

Apresentação do Departamento

Paleontólogos do MNHN da UL e do GeoFCUL em foco na revista TVmais.

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avançados" com mais quatro instituições universitárias portuguesas e brasileiras.

O DQB e a FCUL acolheram, mais uma vez, a realização de provas semifinais das Olimpíadas de Química Júnior 2012 no sábado, 14 de abril de 2012.

Pessoas estudam numa mesa na biblioteca

“Acho que qualquer aluno consegue ser bom, se tiver uma boa disciplina de trabalho e objetivos concretos”. Quem o diz é Gonçalo Faria da Silva, estudante do 3.º ano de Biologia.

No penúltimo dia de março realiza-se a quinta e última sessão do workshop destinado a preparar os estudantes para a obtenção do 1.º emprego.

 

Alunos da FCUL

A Schlumberger realiza uma sessão de recrutamento em Ciências. As grandes empresas procuram os melhores profissionais. A FCUL apoia a inserção profissional dos seus diplomados.
 

O evento é uma organização conjunta da Norton/Symantec e do mestrado em Segurança Informática do DI-FCUL.

O DM está na Futurália

Para Duarte Flor, presidente da associação académica e aluno do 12.º ano em Ciências, é importante que os candidatos ao ensino superior visitem as instalações de uma faculdade.

Desenho de uma figura masculina

“Existe um espaço onde o sentimento de pertença a uma escola pode ser reavivado", afirma Miguel Ramos.

Aluna junto a uma das colunas do átrio do C6

A mostra pictórica da atividade científica da FCUL é inaugurada a 13 de março. Conheça as razões pelas quais deve visitar a exposição.

O que são líquidos iónicos? Num dos primeiros programas do ano, o Com Ciência entrevistou o professor e investigador da FCUL, Carlos Nieto de Castro sobre esta classe de solventes.

Desenho de uma figura masculina

A data de lançamento do livro ainda não é pública, mas o evento deverá ocorrer brevemente, na Faculdade de Belas-Artes da UL.

Ontem evocou-se o Dia das Doenças Raras. A fibrose quística é um desses males incomuns. A investigação científica é importante em todos os setores, mas ganha especial sentido em áreas como esta.

Cerca de 20 professores de Ciências da Natureza e Ciências Naturais de nove concelhos portugueses participam na atividade promovida pelo MNHNC-UL a decorrer até abril.

Imagem de um folheto promocional

A FCUL volta a marcar presença no evento, juntamente com outras unidades orgânicas da UL.

Páginas