Investigadores da Ciências ULisboa e da UBI participam na experiência CLOUD no CERN

Novo mecanismo pode acelerar perda de gelo marinho no Ártico

Science apresenta resultados de importância fundamental para a compreensão do clima atual e sua evolução futura

CLOUD

A CLOUD investiga como as partículas de aerossol, sob condições atmosféricas cuidadosamente controladas em laboratório, se formam e crescem a partir de gases reativos

CERN
esquema da formação de nuvens a partir de precursores de iodo nos ambientes Ártico e marinho
Esquema da formação de nuvens a partir de precursores de iodo nos ambientes Ártico e marinho. As espécies de iodo, emitidas do gelo marinho e da superfície do mar, são rapidamente fotolisadas para formar oxoácidos de iodo que formam novas partículas e podem crescer para se tornarem novos núcleos de condensação
Fonte Helen Cawley

As partículas de aerossol atmosférico podem modificar as nuvens e o clima ou contribuir para a poluição urbana. O estudo “Role of iodine oxoacids in atmospheric aerosol nucleation” publicado esta sexta-feira na Science apresenta os resultados da experiência CLOUD (Cosmics Leaving Outdoor Droplets), anuncia o CERN. Este artigo é assinado por mais de cem investigadores, entre os quais se contam João Almeida, António Amorim, António Dias e António Tomé.

A CLOUD investiga como as partículas de aerossol, sob condições atmosféricas cuidadosamente controladas em laboratório, se formam e crescem a partir de gases reativos.

Esta experiência simulou os efeitos dos raios cósmicos usando um feixe de partículas do CERN (Proton Síncrotron) para dessa forma investigar como os raios cósmicos influenciam a criação e a estrutura das nuvens e consequentemente o clima da Terra.

A atmosfera no interior da câmara CLOUD é caracterizada por um nível de contaminantes muito mais baixos do que outras câmaras anteriores permitindo medir a nucleação de partículas e seu crescimento numa mistura rigorosamente controlada de vapores.

O estudo agora publicado debruçou-se na formação de novas partículas a partir de vapores sob as condições da camada limite marinha.

“A formação de partículas de ácido iódico é provavelmente especialmente importante nas regiões marinhas onde o ácido sulfúrico e a amónia existem em concentrações extremamente baixas. Na verdade, a formação regular de novas partículas sobre a camada de gelo do Ártico foi relatada recentemente, impulsionada pelo ácido iódico com pouca contribuição do ácido sulfúrico. As implicações para a evolução do clima são notáveis. As emissões globais de iodo triplicaram nos últimos 70 anos e podem continuar a aumentar no futuro, à medida que o gelo marinho se torna mais fino. O aumento resultante de ácido iódico e respetivos núcleos de condensação precursores das nuvens podem aumentar o forçamento radiativo na região dos infravermelhos devido à cobertura das nuvens e proporcionar um mecanismo de realimentação positiva que acelerará a perda de gelo marinho no Ártico”, contam os investigadores.

A participação portuguesa neste trabalho foi financiada pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia no âmbito de um projeto que tem António Tomé, professor da Universidade da Beira Interior (UBI) e investigador do Instituto Dom Luiz (IDL) como investigador responsável e cuja equipa conta ainda com a presença de Sandra Mogo, investigadora do IDL e professora da UBI; José Páscoa e Paulo Pimentel de Oliveira, professores da UBI e de António Amorim, professor do Departamento de Física da Ciências ULisboa e investigador do CENTRA.

ACI Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Imagens editadas pelo DI

De acordo com Luís Correia, professor do Departamento de Informática de Ciências, a inovação poderá levar à criação de robôs ou dispositivos, que interajam com animais que funcionam em coletivos, como rebanhos.

O seminario "Técnicas Geomáticas para o Património Cultural e Natural" realiza-se a 10 de abril de 2014, entre as 12h00 e as 13h00, no edifício C8, sala 8.2.47, no campus de Ciências.

O Departamento de Estatística e Investigação Operacional, divulga mais uma oferta de Emprego.

Vivemos um momento histórico no mundo da energia: da depleção dos recursos fósseis às alterações do clima, do impacte das renováveis ao re-desenhar dos sistemas de energia e das políticas públicas, tudo se discute num ambiente

Anfiteatro em Ciências

"Vem descobrir o mundo dos Quarks e Leptões com acontecimentos reais". Este é o mote da 10.ª edição das Masterclasses Internacionais em Física de Partículas.

Otília Correia

As sociedades actuais atribuem aos bosques uma série de funções para além da sua função produtora, incluindo as clássicas como o controlo hidrológico e protecção contra a erosão, valorizam-se actualmente e cada vez mais pelo seu uso recreativo, e de conservação da biodiversidade e da paisagem, e armazenamento de carbono.

Pormenor do cartaz do concurso “Belas-Artes Liga Mouraria”

Caue Sarabia, aluno da licenciatura em Tecnologias de Informação e Comunicação do Departamento de Informática de Ciências, a fazer um minor na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa, participou no concurso “Belas-Artes Liga Mouraria”, com o projeto Mudéjar, conjuntamente com mais três alunos daquela faculdade.

HisParc: Bringing physics to your neighbourhood

O projeto tem como objetivo envolver a sociedade no processo de investigação da área da Física, através da integração de detetores de raios cósmicos em universidades, escolas secundárias e museus.

Logotipos

A app teve origem no projeto QREN World Search, no qual participam Carlos Teixeira e Ana Luísa Respício, professores do Departamento de Informática da FCUL, bem como Ivo Madruga, ex. aluno do DI e Bernardo Santos, que é aluno do DI.

Imagem editada pelo DI

O projeto "Lusica - Artistas musicais lusófonos", desenvolvido pelos alunos de mestrado do Departamento de Informática de Ciências -  Carlos Barata, Farah Mussa, Gabriel Marques, Mónica Abreu e Rafael Oliveira - , no âmbito das di

Campus Solar de Ciências já tem uma página online! Quantos são os que passam todos os dias por ele e não sabem o que é?…

Energias renováveis

O Departamento de Engenharia Geográfica, Geofísica e Energia organiza a 27 de março, entre as 12h00 e as 13h00, na sala 8.2.47, no campus de Ciências, o seminário "Energias fósseis, o que temos e para onde vamos", proferido por Nuno Pimentel, docente do Departamento de Geologia de Ciências e investigador do Centro de Geologia da Universidade de Lisboa, desde 1989.

Ensino da Paleontologia: Novas abordagens

Candidaturas online abertas até 31 de Março!

No Dia do Patrono da Escola Secundária Stuart Carvalhais, Ciências participou nas atividades científicas da instituição com a presença de elementos dos Departamentos de Física e de Química e Bioquímica.

Pode a eficiência energética induzir práticas que levam a um aumento do consumo de energia por parte das famílias?

Henrique Costa

Henrique Regateiro Machado e Costa faleceu no passado dia 14 de Fevereiro.

Secção Autonoma de História e Filosofia das Ciências da FCUL

Hasok Chang, Prémio Fernando Gil

A RIGC – Rede de Informação da Indústria do Grande Consumo, empresa de consultores especializada na realização de trabalhos de consultoria n

Consulte as ofertas de emprego do Departamento de Estatística e Investigação Operacional.

A empresa Grupo Actuarial oferece estágios remunerados na área da Estatística/Probabilidades ou Matemática.

Para mais informações consultar:

RIGC – Rede de Informação da Indústria do Grande Consumo, empresa de consultores especializada na realização de trabalhos de consultoria na área de do Grande Consumo procura Analista de Dados Júnior(m/f).

Maksen é uma multinacional organizada em unidades de negócios, a fim de prestar serviços de consultoria em estratégia e redes de negócios, sistemas de informação, engenharia e comunicação e neste momento procura

Das 121 candidaturas admitidas para avaliação no âmbito do concurso para a criação do Rnie, somente 54 foram recomendadas a integrar o roteiro, dez delas incluem a presença de Ciências, sendo que cinco são lideradas por investigadores da faculdade.

Maria Helena Florêncio, Jorge Miguel Miranda, Henrique Cabral e António Branco apresentam infraestruturas de investigação de interesse estratégico para Portugal.

Gonçalo Costa Gomes Amaral

"Não se deve deixar que a sua memória seja esquecida, pois é através de tudo o que ele passou e viveu entre nós que vai continuar a viver e a iluminar tudo aquilo que fizermos", declararam em comunicado a AEFCL e o Conselho de Veteranos de Biologia.

Páginas