Journal Club por António Gouveia (Diretor do Jardim Botânico da Universidade de Coimbra)

Documentary Club: No trilho dos naturalistas

Sala 8.2.03, FCUL, Lisboa

Sessão Doc Club (projecão de documentários) do ciclo de encontros informais Journal Club, promovido pelos investigadores do CIUHCT.


Séc. XVIII, na esteira do Iluminismo, a Coroa patrocinou uma vasta e inédita empreitada científica: as "viagens filosóficas" às colónias, para estudar os seus recursos naturais. Quatro naturalistas formados na Universidade de Coimbra foram enviados ao Brasil, Angola, Moçambique e Cabo Verde.

Série documental em quatro episódios que irão contar a história da botânica em Portugal, principalmente na sua ligação às antigas colónias em África, um percurso indissociável da Universidade de Coimbra.

Alguns conteúdos serão transversais ao documentários:

  • abordagem cronológica e enquadramento histórico das explorações botânicas às ex-colónias e os seus principais actores - conhecimento científico e interesse económico na exploração dos recursos naturais;
  • retraçar parte dos percursos das mais importantes missões científicas tendo como cicerone o investigador e naturalista Jorge Paiva, com ênfase no conhecimento e conservação da enorme biodiversidade de cada um dos países visitados;
  • observações da natureza, in situ e ex situ, com enfoque na biologia e ecologia de espécies vegetais;
  • avaliação do legado destas expedições no desenvolvimento do conhecimento científico e, em particular, da botânica, nos países africanos e em Portugal, passado e presente.

 AS MISSÕES BOTÂNICAS EM ÁFRICA - VIAGENS PHILOSOPHICAS

Neste primeiro documentário será dado o enquadramento histórico do desenvolvimento da ciência botânica em Portugal e na Universidade de Coimbra, assim como algum do percurso biográfico e científico dos naturalistas que serão objecto dos restantes documentários.

As viagens filosóficas dão o mote para o arranque da série. Realizadas em finais do século XVIII, tinham como objectivo realizar o estudo organizado e sistemático da história natural ultramarina. Com o apoio da coroa portuguesa, diversos discípulos de Domingos Vandelli, participaram nas ditas explorações: Alexandre Rodrigues Ferreira no Brasil, Manuel Galvão da Silva, em Angola; Joaquim José da Silva, em Goa e Moçambique; e João da Silva Feijó em Cabo Verde.

 

AS MISSÕES BOTÂNICAS EM ÁFRICA - SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE

Seguindo a viagem de Júlio Henriques a São Tomé, este documentário explora a enorme diversidade vegetal e os ecossistemas naturais da ilha de São Tomé, descritos em detalhe na obra A ilha de S. Tomé sob o ponto de vista histórico-natural e agrícola do mesmo naturalista.

Em 1866, Júlio Henriques tornou-se professor da UC e retomou o empenho desta universidade no conhecimento e exploração das antigas colónias africanas. Foi um cientista com múltiplos interesses e grande dinamizador da botânica em Portugal, incluindo na sua vertente aplicada. Por exemplo, trabalhou na selecção das espécies produtoras de quina, utilizada na prevenção da malária. Estabeleceu um extensa rede de contactos, nacionais e internacionais, e transformou o Jardim Botânico de Coimbra num importante centro de aclimatação de plantas.

A ilha de S. Tomé é extremamente montanhosa, o que cria interessantes gradientes da vegetação em altitude. Como o país é atravessado pelo Equador, iremos explorar a floresta equatorial húmida perfeitamente preservada, com a sua flora vascular rica em endemismos, isto é, plantas que só ocorrem num determinado local.

 

AS MISSÕES BOTÂNICAS EM ÁFRICA - ANGOLA

Retraçando parte do percurso das missões científicas de Luís Carrisso a Angola, será feita uma exploração da diversidade vegetal e dos ecossistemas naturais da província de Huíla ao deserto de Namibe. Aqui, num dos mais antigos desertos do mundo, exploraremos a ecologia da vegetação semidesértica, incluido a peculiar Welwitschia mirabilis.

Nas 3 missões que realizou a Angola (1927, 1929 e 1937), Carrisso percorreu mais de 30.000 km, explorações que resultaram num importante contributo para o Herbário da Universidade de Coimbra e para a publicação da obra Conspectus Flora Angolensis. Nestas expedições, Luís Carrisso produziu ainda um importante espólio fotográfico e fílmico. Morreu no deserto durante a sua terceira missão, em 1937.

 

AS MISSÕES BOTÂNICAS EM ÁFRICA - MOÇAMBIQUE

Este documentário retrata as missões de António Rocha da Torre, entre 1933 e 1940, de que resultaram mais de 20.000 colheitas de plantas, e a primeira investida científica no terreno de Jorge Paiva, que esteve em Moçambique em 1963, no âmbito da elaboração da Flora Zambesiaca.

Na província de Nampula, exploraremos a grande diversidade de ecossistemas incluindo dunas, mangal e a floresta aberta (miombo).

O filme destaca também o trabalho de Aurélio Quintanilha, que leccionou em Coimbra de 1919 a 1935, ano em que foi saneado pelo regime. Depois de um período de exílio em Paris, mudou-se em 1943 para Moçambique, onde desenvolveu a cultura do algodoeiro no Centro de Investigação Científica Algodoeira.

13h00
CIUHCT - Centro Interuniversitário de História das Ciências e da Tecnologia
CIUHCT

Seminário de Tese no âmbito do Doutoramento em Biologia e Ecologia das Alterações Globais.

Colóquio de Matemática, por Carlos André (Departamento de Matemática | Ciências ULisboa e CEAFEL-Ciências - Centro de Análise Funcional, Estruturas Lineares e Aplicações).

Logótipo do evento, sobre um fundo branco

Understanding plant water relations at several scales under climate change is the theme of the XV Portuguese-Spanish Water relations Symposium: “Water relations under climate change: from genes to ecosystem”.

Seminário Helena Avelar de Astronomia e Astrologia Antiga, por Martin Gansten (Lund University e Umeå University).

Logótipos ERC e EIC

A sessão visa apresentar os programas ERC e EIC e as potenciais sinergias que podem ser estabelecidas entre ambos.

Fotografia de candidatos, acompanhada do título "M23 2022|2023"

A ULisboa promove o Dia Aberto M23, um evento que pretende aproximar o público adulto do meio universitário.

In this course, we promote a multidisciplinary approach presenting the most recent findings on the topic and challenging the traditional way of considering symbiotic associations as exceptions and not as the rule.

The goal of this course is to provide to the participants with current and practical knowledge on urban ecology, including ecological and social aspects.

Neste encontro, vamos descobrir as potencialidades da utilização do Jamboard - um quadro branco digital gratuito da Google - em trabalhos colaborativos.

Nesta formação, aprenderemos a criar apresentações dentro do Mentimeter, a criar diferentes tipos de slides e a selecionar as configurações mais adequadas aos objetivos pedagógicos.

Nesta formação, iremos abordar as diferentes etapas do processo de planificação de unidades curriculares e refletir conjuntamente em boas práticas sustentadas pela investigação.

Fotografia de placa de identificação de zona de plantação de vinha

Candidaturas até 28 de fevereiro de 2022.

This course aims to explore ways of communicating science to non-specialized audiences, such as policy makers, industry, general public (including students and teachers), through their engagement and participation in citizen science activities.

O evento pretende juntar técnicos, investigadores, estudantes, produtores, industriais e demais agentes da fileira, contribuindo para a atualização de dados sobre o setor e a partilha de conhecimentos sobre as potencialidades da flora portuguesa, para além, das condições edafoclimáticas nacionais que potenciam produtos de elevada qualidade.

This course introduces the field of island biogeography, a discipline that has long influenced other research areas such as macroecology, community ecology, evolution and conservation biology.

Scientists, as the main actors in the production of scientific knowledge, have the responsibility of having an active voice in communicating this knowledge – and that can be achieved for example by a conscious use of the communication tools at their disposal and a better articulation with journalists, among other means.

This course aims at providing students with basic knowledge of R programming, allowing them to manipulate and visualize data with R.

This course aims at providing students with statistical knowledge and tools to manipulate, analyze and visualize biological data with R. It also includes an introduction to modeling, simulations and Bayesian statistics.

Under the general framework of Global Change Ecology, the goal of this course is to provide the participants with the most recent and practical knowledge on the use of Functional Diversity.

The course provides essential skills and knowledge that enable the participants to develop climate change adaptation strategies.

The objective of this course is to provide participants with basic knowledge on a) the fundamental aspects of experimental design and b) workflows, platforms and tools to increase reproducibility at all scientific levels.

This is a mostly practical course offering an overview on different community ecology and macroecological methods and software. These will include all steps of a research project, from the optimal sampling of communities to process inference from large-scale patterns of taxon, phylogenetic and functional diversity.

This course aims to walk through the grounds of modern botany studies, covering subjects that have been excluded from most academic curricula.

The course aims at enabling the participants to use different methods to measure the impacts of pollutants on ecosystems. Basic knowledge will be provided through theoretical and practical lessons on how to select and use the most suitable metrics based on the analysis of multiple compartments of the ecosystems.

This course offers an overview of the different ways to measure biodiversity, and provides tips for the stratification of primary biodiversity data and the construction of variables that describe its various facets. It also includes an in-depth review of the different types of data used to measure biodiversity and their problems and limitations.