Missão Gaia

O caso da nuvem molecular Orion A

Segundo lançamento de dados acontece em abril

Última Revisão —

A imagem mostra a densidade das estrelas observadas durante a exploração desta região do céu

ESA/Gaia/DPAC

“O nosso grupo na FCUL tem vindo a desenvolver um trabalho pioneiro na visualização destas enormes quantidades de dados: queremos tornar inteligível o inimaginável!”
André Moitinho de Almeida

A missão Gaia, lançada em 2013, dedica-se a observar estrelas - quase dois mil milhões. A sua finalidade é mapear a Via Láctea em 3D: mais de um milhar de milhões de estrelas já foram cartografadas. O primeiro lançamento de dados de Gaia ocorreu em 2016. O próximo acontece no próximo dia 25 de abril e corresponde à primeira entrega com distâncias, velocidades e vários outros parâmetros astrofísicos para a maioria das estrelas.

“Vão ser quase 1.7 biliões (1.7 mil milhões) de estrelas. É impossível imaginar!”, comenta eufórico André Moitinho de Almeida, professor do Departamento de Física e coordenador do grupo português na missão Gaia.

A missão Gaia permite determinar posições e velocidades de estrelas com uma exatidão sem precedentes. “Podemos, usando as medidas de estrelas que estão à frente (e também das poucas que que se conseguem ver por detrás de algumas regiões mais transparentes destas nuvens) determinar as distâncias a que se encontram”, conta André Moitinho de Almeida, acrescentando que “estas nuvens não são totalmente opacas em toda a sua extensão e podemos em certas zonas ver os movimentos das estrelas no seu interior, revelando aspetos da estrutura e dinâmica dos processos coletivos de formação estelar”.

As zonas escuras são nuvens moleculares que contêm a matéria que pode dar origem a novas estrelas.

Recentemente, a ESA divulgou uma densa nuvem de gás e poeira na constelação de Orion, que corresponde a um aglomerado de estrelas próximo da famosa Nebulosa Orion, M42. Esta imagem é baseada em dados da primeira versão do satélite Gaia e mostra a densidade das estrelas observadas durante a exploração daquela região do céu.

Para André Moitinho de Almeida, “o caso da nuvem molecular Orion-A é muito interessante”, já que diz respeito “a uma das grandes regiões de formação estelar mais próxima da Terra e que tem proporcionado grande parte do conhecimento referente à formação estelar”.

Nos primeiros mapas os cientistas identificaram um gato, mas a identificação do animal tem sido controversa, brinca André Moitinho de Almeida a esse propósito.

Imagem da Orion A
As fotografias de Orion A já têm mais de 7 mil likes no Instagram da ESA
Fonte ESA

 

Ana Subtil Simões, Área de Comunicação e Imagem de Ciências
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

“O mais importante é saber gerir o tempo, ter alguma disciplina, definir os objetivos a alcançar e não dispersar”. A declaração pertence a Ana Bastos, jovem investigadora da FCUL e uma das vencedoras em 2011 do Programa de Estímulo à Investigação da Fundação Calouste Gulbenkian (FCG).

“Acredito que o meu projeto vá ter efeitos na área da Saúde Pública. Ainda que não seja já nesta fase, espero poder contribuir para evoluções, por exemplo, ao nível da vacinação”, refere Tomás Aquino, um dos vencedores da edição de 2011 do Programa de Estímulo à Investigação.

A Bial, procura um Bioestatista para a oportunidade de emprego que pode ser visualisada em maior detalhe na página através do link:

Information dissemination in unknown radio networks with large labels

Professor Shailesh Vaya,
Xerox Research Centre, India,

July 20 at 10h00 on room 6.3.38

O pedido de apoio à formação pós-graduada na área da Geologia do Petróleo deve ser apresentado até 15 dias úteis, após o último dia do prazo de inscrição no respetivo curso.

Já é possível solicitar a criação de Unidades Curriculares na plataforma Moodle para o ano letivo 2012/2013.

Os pedidos podem ser realizados no Portal da FCUL, após inicio de sessão.

O Centro de Informática terminou, no passado dia 12 de Julho, a migração de um equipamento central na rede da FCUL.

A excelência de sempre na construção do futuro. Escolhe um dos nossos cursos de Física, Astronomia e Astrofísica, Engenharia Física, ou Engenharia Biomédica e Biofísica. [ + ]

O “6th SPJ-OCS” realiza-se pela primeira vez em Portugal. Os organizadores do evento acreditam que “este congresso contribui para dar uma imagem do potencial científico de Portugal” nesta área.

Chieko Asakawa and Hironobu Takagi

17 Julho 2012 - 10h30
Anfiteatro da Fundação da FCUL

Chieko Asakawa and Hironobu Takagi

17 Julho 2012 - 10h30
Anfiteatro da Fundação da FCUL

Os promotores do FP7 acreditam que “centenas de instituições científicas de toda a União Europeia irão apresentar propostas” e esperam captar novos participantes, nomeadamente pequenas e médias empresas, incrementando dessa forma a competitividade europeia.

Carlos Miguel Farinha, bioquímico docente do DQB e investigador do BioFIG , foi premiado em Junho com o Romain Pauwels Research Award, atribuído pela European Respiratory Society.

 

2ª fase de candidaturas:  15 a 22 de Julho.

O mestrado em Matemática para Professores é uma excelente oportunidade para consolidar,  recordar e aprender muitos temas relacionados com a matemática escolar.

No dia 12 de Julho foram feitas as apresentações de quatro trabalhos feitos no âmbito da disciplina de Projecto em Matemática para o Ensino do Mestrado em Matemática para Professores.

A Universidade de Lisboa e a Fundação Amadeu Dias estão a atribuir bolsas aos alunos de 1º Ciclo de qualquer área do saber, leccionado na Universidade de Lisboa e que já tenham concluído o 1.º ano curricular, ou alunos que frequentem&n

Em 18 anos, o Programa de Estímulo à Investigação premiou 34 jovens investigadores e 19 instituições da Universidade de Lisboa. Na última edição, dos oito premiados, três são jovens cientistas da FCUL. As candidaturas à próxima edição decorrem até 21 de setembro.

No dia dia 16 de Julho, pelas 11H00, na sala 6.4.30, realizar-se-á um Seminário organizado pelo Centro de Investigação Operacional com o título 'Lagrangian-Based Branch-and-Bound for Two-Echelon Uncapacitated Facility Location with Single Assignment Cons

Os resultados das experiências ATLAS e CMS divulgados recentemente pelo CERN, também foram apresentados publicamente na FCUL, numa sessão organizada pela professora do Departamento de Física Amélia Maio, a responsável pela participação portuguesa na experiência ATLAS.

Apresentações dos Projectos de Física dia 19 de Julho, às 10h, na sala 8.2.17:

O que faz o profissional que passa os seus dias no laboratório? E quem se dedica a resolver equações ou a estudar animais e plantas? Cinquenta alunos da associação EPIS descobriram as respostas a estas e a outras questões.

O projeto de reestruturação do Centro de Dados da FCUL, iniciado em junho, deverá estar concluído no próximo mês de setembro.

A Faculdade de Ciências abre as portas dos seus laboratórios a 50 jovens, vindos de diferentes pontos do País, para mais uma edição da “Rota das Vocações de Futuro” da EPIS.

Apesar de ser uma das áreas mais recentes da FCUL, atualmente é uma vertente da ciência portuguesa em franca expansão.

Páginas