Ciclo de Seminários em Biologia Humana e Ambiente

Desigualdades no Rastreio do Cancro do Colo do Útero

Será a auto-colheita a solução?

Sala 2.3.13, Ciências ULisboa

Por Patrícia Marques (Escola Nacional de Saúde Pública - UNL).

Mundialmente, o cancro do colo do útero (CCU) é o 2.º cancro com maior incidência e o mais mortal nas mulheres em idade reprodutiva. Esta doença apresenta a particularidade de virtualmente todos os casos resultarem de uma infeção persistente de HPV. Esta característica associada ao facto da progressão da doença, desde a infeção ao surgimento das primeiras lesões neoplásicas, poder ser superior a 15 anos, oferece uma janela de oportunidade para uma deteção atempada. Por esta razão o rastreio do CCU tem mostrado extrema eficácia no diagnóstico precoce da doença e associação significativa com a redução na mortalidade.

Porém, o acesso aos cuidados de saúde é díspar nas populações, e alguns grupos de risco, “hard-to-reach”, apresentam uma taxa de adesão ao rastreio inferior ao recomendado. O projeto ELEVATE surgiu com o intuito de dar resposta a estas disparidade e de reduzir as barreiras no acesso ao rastreio do CCU. Este projeto pretende, identificar as mulheres “hard-to-reach” e desenvolver uma estratégia de rastreio que promova a sua adesão. Esta estratégia inclui o desenvolvimento de uma ferramenta de rastreio por auto-colheita, de fácil utilização e de baixo custo, que permite detetar 14 tipos de papiloma vírus humano (HPV) de alto risco, sem necessidade de deslocação aos serviços de saúde.

17h00
Departamento de Biologia Animal | Ciências ULisboa
Logótipo do evento, sobre um fundo branco

Um evento de reunião da comunidade nacional nas diversas vertentes da informática, com a ambição de ser o fórum de eleição para a divulgação, discussão e reconhecimento de trabalhos científicos.

Páginas