O Sol dá horas e põe um robot a pintar?

Última Revisão —

Raquel Figueiredo e o Rodrigo Silva, alunos de doutoramento da Faculdade e do Instituto Dom Luiz, demonstraram que o Planeta Terra gira e que o Sol nem sempre brilha para todos

IDL

O Colégio da Beloura trabalha em projetos, cujos temas são lançados pelos próprios alunos. Desta vez, o tema foi a energia solar.

“O que é o Planeta Terra?” foi a questão que marcou o início dos workshops “Relógio Solar” e “Robot/Pintor” que decorreram no passado dia 9 de abril na Faculdade de Ciências e que contaram com a participação de 15 alunos do Colégio da Beloura em Sintra com idades entre os 4 e os 5 anos.

“É onde vivem as pessoas”, foi uma das respostas. Essas pessoas acordam e dormem, porque é de dia ou porque chega a noite. Foi este o ponto de partida para a Raquel Figueiredo e o Rodrigo Silva, alunos de doutoramento da Faculdade e do Instituto Dom Luiz, demonstrarem que o Planeta Terra gira e que o Sol nem sempre brilha para todos. Mas o Sol não só nos diz se é dia ou noite, como também pode ser usado para nos indicar que horas são. Os 15 alunos do Colégio da Beloura perceberam como através da construção de um relógio solar. Com dobras, vincos, lápis, bússolas e uma lanterna – porque o dia estava nublado - perceberam que neste relógio podem ver se são 12h00, hora de ir almoçar ou 13h30, hora de fazer a sesta.

relógio solar
Relógio Solar, construído por um dos alunos do Colégio da Beloura, cuja sombra indica que são 12h00
Fonte IDL

O Luís Martins, aluno do mestrado integrado em Engenharia da Energia e do Ambiente (MIEEA) e membro da Oficina das Energias, dinamizou ainda o workshopRobot/pintor” e explicou que este robot, tal como as plantas, precisa do Sol para produzir energia. Desta vez, com células solares, fios elétricos, um copo de iogurte, uma lanterna, papel e um marcador, os alunos tiveram a oportunidade de montar os seus robots/pintores e produzir obras de arte, que levaram para expor na sua escola.


Robot/pintor e a sua obra de arte
Fonte IDL

Visite o álbum no facebook do IDL

Raquel Figueiredo, estudante do doutoramento em Sistemas Sustentáveis de Energia, diz que o que a motiva a participar neste tipo de workshops é a possibilidade de partilha de conhecimento e o sentir que consegue chegar a pessoas de ambientes muito diferentes do seu. Rodrigo Silva, estudante do programa doutoral Earthsystems, refere que o que mais gostou nesta atividade foi a curiosidade, a espontaneidade e o à vontade que os alunos demonstraram.

Marta Aido, IDL com ACI Ciências
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt