Bolsa Marie Skłodowska-Curie

Novo modelo teórico tridimensional para antecipar futuras observações de exoplanetas

Gabriella Gilli

IA

A par de Gabriella Gilli também Tiago Campante, investigador do IA, recebeu uma bolsa Marie Skłodowska-Curie, que irá financiar um projeto de deteção e caraterização de planetas gasosos que orbitam estrelas mais evoluídas que o Sol, as chamadas gigantes vermelhas. Este apoio da Comissão Europeia foi atribuído a 1348 projetos.

Gabriella Gilli, investigadora do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço, pretende usar um novo modelo teórico tridimensional, análogo ao que é usado para descrever a atmosfera de Vénus, para antecipar as futuras observações de exoplanetas quentes de tipo terrestre.

O projeto de Gabriella Gilli é financiado pela Bolsa Marie Skłodowska-Curie e terá a Faculdade de Ciências como instituição de acolhimento. Gabriella Gilli estuda os processos físicos responsáveis pelo modo como variam as atmosferas de Vénus e de Marte. Vénus, em particular, é um planeta semelhante à Terra na aparência mas extremamente inóspito.

“Pretendemos disponibilizar predições fidedignas sobre o clima de exoplanetas parecidos com a Terra, deste modo abrindo o caminho para observações mais desafiantes, que irão alimentar a nossa esperança de encontrar planetas potencialmente habitáveis num futuro próximo."
Gabriella Gilli

 

ACI Ciências com IA
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt